Os indiferentes minguam e rejeição a Bolsonaro dispara

A pesquisa do El País, com dados do Atlas Político, não surpeeende ninguém ao apontar um índice expressivo de crescimento na rejeição de Jair Bolsonaro.

Nem tanto pelo número total – 36,2% de clasificação como ruim ou péssimo – mas pela velocidade com que vem se erodindo a popularidade alguém que foi eleito, faz pouco tempo, por 57% dos eleitores.

Os 28,6% de bom e ótimo que o ex-capitão alcança são, em linguagem direta e dura, apenas  a metade dos que o sufragaram.

É verdade que os remanescentes, pela radicalização à qual o presidente carrega o processo político, ainda é grande.

Não há razão objetiva para que 28% das pessoas achem ótimo ou bom um governo que nada de positivo para o Brasil ou para suas vidas trouxe.

Mas é ainda o núcleo duro do ódio que sobrevive.

O mal que a histeria trouxe ao Brasil é tão grande que é maior que a desgraça que Jair Bolsonaro dos trouxe e, ao que tudo indica, sobreviverá a ele.

O breve, porque nenhum governante, nestes tempos, consegue sobreviver com sua base de aprovação se dissolvendo nesta velocidade.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

17 respostas

  1. São ainda muitos fascistas apoiando esse psicopata,a tropa de jegues já acordou da alfafa estragada que lhes serviram no cocho.

    1. Com certeza alfafa alucinógena. Depois de consumida passaram a ver um mito onde existia um mitômano.

      1. Mitômano? Assim, de seco? sem nota explicativa ou remissão ao dicionário? É esperar demais de nós, os beócios.

  2. Pergunta que não se cala: se os filhos de Bolsonaro que estão no Congresso apóiam manifestações que exigem o fechamento da instituição republicana por que não renunciam já aos respectivos mandatos? Aliás, por que os demais deputados do PSL que estão na mesma trilha não renunciam também? Se o Congresso não serve para eles o que estão fazendo lá?

  3. Brito, acho que tem muita gente querendo dar o Bolsonaro por morto antes da hora.
    Você tem toda a razão que nessa toada ele não se sustenta. Mas quem garante que continuará nesta toada? Infelizmente o que aflige nós que acompanhamos a política, que é a incapacidade de Bolsonaro, não chega no povo nem mesmo em grande parte da classe média. Ninguém sabe quem é Olavo de Carvalho, vilas boas, Vitor Hugo etc.
    A única coisa que conta é grana no bolso e escândalos. Esses 37% já são os que nao gostavam do Bolsonaro pra começo de conversa. Quem era neutro ou votou nele está esperando pra ver o que vai acontecer. Após 4 meses a opinião ainda é muito volúvel. Se em 2020 a economia vira ele sobe facilmente. Se seguir até o nfim do ano em pib negativo ele cai. O que pode matar ele a curto prazo é se pegarem ele com a boca na botija do Queiroz. O Flávio já foi mas ele ainda pode se salvar. O olhar deveria se concentrar nisso aí. Olho nessa força tarefa nova aí .

    1. Com o Guedes e sua política neoliberal não existe hipótese de a economia reagir.
      O caminho é o da tragédia econômica e social.

  4. Pois a mim o que me causou admiração foi o índice de aprovação do acéfalo. Há 28% de brasileiros fascistas que apoiam o canalha.

  5. Bolsonaro não foi eleito com 57% dos eleitores, mas sim dos votos úteis. Na verdade sequer passou de um terço dos eleitores. Essa é uma mistificação propalada pelos analistas da midia. A inferência feita não está correta, apesar de não diminuir a velocidade da queda em um periodo de boa vontade para os governantes eleitos.

  6. O pior é que são fascistas armados! Quando se vê o Clube Militar convidando estes beócios para a manifestação do dia 26, o que me pergunto é: para que servem as Forças Armadas do Brasil? Quando se vê a justiça agindo contra o povo a pergunta é a mesma. E o que falar das polícias, militar e federal?

  7. “É verdade que os remanescentes, pela radicalização à qual o presidente carrega o processo político, ainda é grande.
    Não há razão objetiva para que 28% das pessoas achem ótimo ou bom um governo que nada de positivo para o Brasil ou para suas vidas trouxe.
    Mas é ainda o núcleo duro do ódio que sobrevive.
    O mal que a histeria trouxe ao Brasil é tão grande que é maior que a desgraça que Jair Bolsonaro nos trouxe e, ao que tudo indica, sobreviverá a ele.”
    Ótimo, principalmente a parte acima.
    A mídia e o judiciário partidarizado conseguiram destruir o Brasil, inclusive a relação entre as pessoas.
    Há ódio dos dois lados e isto pode acabar em tragédia porque os do lado dos bozos são os armados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.