Acordo por “não-ministérios” joga no esvaziamento do dia 26

Todos sabem que, há vários dias, há decisão de Rodrigo Maia, na Câmara, e Davi Alcolumbre, no Senado, de não indicarem os ocupantes dos ex-futuros ministérios das Cidades e da Integração Nacional.

O acordo para que a sua criação não seja aprovada é um “não-acordo”.

Sua finalidade é tirar da pauta da manifestação dos bolsonaristas o argumento de que estariam lutando contra o “toma-lá-dá-cá” e pelo enxugamento da máquina administrativa.

Bolsonaro, ao que parece, foi convencido a “baixar a bola” das manifestações.

Até o “inimigo” Paulo Tonnet, diretor da Globo em Brasília- e pivô da demissão de Gustavo Bebianno há dois meses, foi chamado para dialogar, numa conversa intermediada por Vicente Jorge Espíndola, amigo de Bolsonaro e dono da afiliada da Globo em Caruaru (PE), de uma cia. aérea regional e de vários negócios imobiliários no Nordeste.

A esta altura, tentar desfazer o ato será inútil, porque os grupos que já começaram a se mover e sentiram o cheiro de sangue.

Como parece inútil pretender descolar a imagem de Bolsonaro de um possível fracasso da mobilização.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

14 respostas

  1. Mais uma trapalhada desnecessária ,fruto da incompetência e insanidade do grupo governante ,e não ,como pretendem alguns o resultado de calculadas e precisas manobras de um jogo planificado.
    Ainda bem que estes são absolutamente incompetentes,pobre de nós se tivessem cérebro!.

    1. Deus não dá asas pra cobras … Senão teríamos uma ditadura “eleita” pelo povo e contra o povo …

  2. Essa mobilização fascista só pode escapar do fisco se os evangélicos forem mobilizados. Aliás esse apoio das igrejas se torna cada vez mais bizarro e pode ser um tiro no pé.

    1. Tenho conhecidos evangélicos e sei, por ouvir seus comentários, que abominam desordem e manifestações de qualquer tipo. Evangélico sério vai ao culto e não gritar na rua. Só devem participar as legiões que se dizem evangélicas, capitaneadas pelos bispos mais safados.

    2. Os evangélicos foram mobilizados logo após os atos do “ele não”, lembra-se? Claro que, agora, muitos estão desempregados e desesperançados, mas não se sabe até onde vai a doutrinação.

    3. Principalmente depoisque um louco, devidamente armado pelo decreto de liberação de armas do presidente, entrou numa igreja evangélica e matou 3 possíveis eleitores dele. Está nos jornais de hoje.

  3. bolsonaro, bolsominho / hoje aprendeu sozinho / nenhum inimigo é daninho / como a rede dos marinho

    entre a estupidez franca e a estupidez dissimulada, eu simplesmente não consigo decidir o que me parece pior.

  4. Bolsonaro conversando… E negociando com a globo. Agora a maldade está ficando organizada e profissional. A situação vai de mal a pior. E mais perigosa…

  5. Moro já convocou a ” força Nacional ” ? . Essa turma tem mais armas que os índios na última manifestação em Brasília ou serão eles os manifestantes ?.

  6. O presidente miliciano é um mijão! Se ver perigo de alguma coisa, afina na hora! É melhor jair acostumando com suas recuadas!

  7. Só acho temeroso a esquerda subestimando e desprezando o poder dessas passeatas do dia 26.

    Vai que essas passeatas lotam… o Bozo vai se sentir ainda mais livre pra tramar um autogolpe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.