Panetone rachadinho

“O panetone é cem reais, mas se o senhor pagar em dinheiro sai a oitenta reais”.

Certamente todo mundo já passou por isso, imaginando que iria ser sem nota fiscal.

Mas na loja da Kopenhaguen de Flávio Bolsonaro o esquema era outro, com nota fiscal e, olhe só, de R$ 100.

Portanto, o faturamento “aumentava” o suficiente para encobrir as outras fontes de renda do então deputado

O esquema, que consta da investigação do Ministério Público e foi mostrado ontem no Jornal Nacional só foi descoberto porque outros franqueados da Kopenhaguen, que vendiam os produtos a preço de tabela, souberam da mutreta e denunciaram à franqueadora, que verificou ser verdade e até filmou uma das “propostas indecentes” feita fregueses.

O ex-proprietário da loja, Cristiano Correia Souza e Silva, por conta disso foi intimidado por Alexandre Santini, socio de Flávio, por mensagens que incluíam imagens de pessoas enforcadas. Meigo, não é?

Não passa um dia sem que venha à toma mais um detalhe escabroso de que trata-se de uma gente rastaquera, praticante de pequenas espertezas e delitos, tudo para ir amealhando e lavando um dinherinho.

Estas são “espertalhões”, criminosos de baixa extração, gente que tem como único critério e objetivo arrumar com que fazer patrimônio e “curtir a vida adoidado”.

O impressionante é que a elite brasileira tenha feito de uma camorra assim a ferramenta para destruir as forças de esquerda deste país e que, mesmo fazendo carinhas de nojo, continue dando suporte a eles.

Bolsonaro é uma história que, se nos tivessem contado há três anos, ninguém acreditaria.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

  1. E todo mundo sabia do esquema antes das eleições , mas em nome do ódio ao PT aceitaram deixar chegar ao poder uma família de criminosos .
    Por isso torço com todas minhas forças que esses Milicianos quebrem o Brasil de uma forma nunca vista .
    Quem sabe assim esse povo de merda acorde .

    1. Se quebrar vão dizer que é culpa do PT. A pesquisa que amplia o apoio da população a Bolsonaro confirma prá mim que o país não tem mais jeito. Nossa vocação é terceiro mundista com ampliação da desigualdade e da miséria.

  2. E diante disso tudo o que acontece? A popularidade do coiso aumenta. Ou seja, é o que tenho repetido exaustivamente aqui nesse espaço: O POVO NÃO PRESTA!!!

  3. Desculpe Brito, mas eu conheço e acredito nessa história já vai pra 30 anos, infelizmente os brasileiros incrédulos votaram nesta joça…

  4. Tudo bem, porém, “não vem ao caso”, não incrimina o PT e nem o Lula, esquece…

  5. Brito, nem acho impressionante que grande parte da “elite” tenha tomado o barco do bolsonarismo. Na maioria não são diferentes na essência. A diferença é de aparência. É uma elite corrupta, escravocrata, racista, eivada na pilhagem do erário público e descomprometida com um projeto de nação. Bolsonaro é a cara deles quando acordam de manhã antes de arrumar a aparência. Bolsonaro e esta parte majoritária da “elite” mais que se merecem, se necessitam.

  6. Rodrigo Maia acha que está bom, protege um energúmeno genocida e chefe de uma quadrilha familiar especialista em lavar dinheiro. Grave mesmo foram as “pedalas fiscais”…

  7. Como esquerda não sabemos nos comunicar com o povão. Aumentamos o auxílio de 200 para 600 reais e o mito leva a fama. Assim como Trump vai dar um jeito de melar a eleição, Bolsonaro será reeleito. É triste reconhecer, somos incompetentes como oposição. Só um “fator externo inesperado” nos salvará.

  8. Isso tudo se deve,exclusivamente,ao PENDOR DO POVÃO,que sonha ha séculos,ficar RICO.Por isso,existem Trumps e Bósta-naros.E outros,menos votados,mas igualmente sem vergonhas.Obra do POVÃO,CUJA MAIOR LIBERDADE,PRA ELES,É VOTAR.

  9. A maldade contra o Quilombo Campo Grande me faz ter nojo de ser brasileiro.
    Amanheci após um pouco dormir com o coração pequeno mas carregado de ódio e rancor.
    Quem conheceu,conviveu algum tempo entre quilombolas,quem comeu seu feijão com manteiga de garrafa,seu doce de cidra,sua paçoca de carne,sua polenta de fubá pilado,dançou o coco,entendeu a cantoria e o lamento de seus antepassados não consegue acordar como se nada tivesse acontecido.
    Os nazistas que suportamos colocam na rua homens,mulheres crianças,assassinam sonhos usando seus animais fardados.
    Eu não entendo o lutar com palavras,não creio na força das palavras,o Brasil não precisa de palavras pois não existe palavras que o definam e definam seu povo.

  10. Camorra é a plutocracia, associada á juristocracia, , aos militares e à banca internacional, que se servem de batedores de carteira para poder continuar extorquindo o cofre e o patrimônio público.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.