Para os bancos, nada de crise

LUCROCREDITO

O país inteiro está sofrendo com a crise, não é?

Errou, meu caro leitor e minha cara leitora.

No Valor de hoje,  Vinícius Pinheiro e Talita Moreira dizem que “o resultado combinado [ do lucro] de Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander Brasil foi de R$ 16,4 bilhões, alta de 14,6% em relação ao mesmo período do ano passado. O lucro contábil, que inclui despesas consideradas não recorrentes no trimestre, foi de R$ 13,6 bilhões, alta de 10,4%.

Embora com o registro de pequenas reduções na inadimplência –  onde, certamente, foram “comidos” boa parte da liberação de recursos da liberação do FGTS – , o “milagre econômico” de ganhar mais com menos empréstimos (as carteiras de crédito, em regra, recuaram) deveu-se também a um brutal aumento de tarifas:

Entre julho e setembro, os ganhos com prestação de serviços, que incluem desde a manutenção de conta corrente até a taxa de administração de fundos de investimento, aumentaram 7,1% na comparação com o terceiro trimestre do ano passado, para R$ 28,1 bilhões.

Outra  razão do crescimento da rentabilidade foi a redução de custos de administração – leia-se, demissão de funcionários, voluntárias ou não, e redução do número de agências. A qualidade do atendimento presencial, que já era ruim, ficou pior.

contrib1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

9 respostas

  1. Com uma grande diferença Sr. BARUCH… nos governos Lulas e Dilma os bancos ganharam, sim, mas o país também ganhou com crescimento econômico e distribuição de renda. Agora com Temer e seus golpistas só os bancos ganham !!!!!!

    1. Caro Jonas Moreira. O Baruch Spinoza aqui é nada mais, nada menos, que outro nome de um mesmo São Benedito Mercado, sempre ávido de orações, e ações, e extorsões. Na linha da Opus Dei, considera o trabalhismo social do PT ameaça tao grande que não hesita em compará-lo a partidos revolucionários marxistas ou a dissidência PSOL, que ganhou desde o início a simpatia da burguesia, i.e, do mercado, exatamente por romper com o PT. Para o velho São Bento Mercado, o Estado, os governos, os políticos de “centro” ou de esquerda, serão sempre um entrave a livre exploração e circulação de mercadorias e riquezas. Programas de proteção e bem-estar sociais, só como compensação por grandes sofrimentos e mortes em guerras por interesse do Santo Mercado Graal, senão é coisa de comunista. Um radical conservador e reacionário, nunca chegará a compreender o sentido da luta entre o domínio das pulsões individuais e os materializados direitos sociais, como o verdadeiro Spinoza, bom ateu, preconizou. Pela Lei Cancellier, pelo Referendum Revogatório, abaixo o golpe!

  2. O que os capetalistas dirão destes números? Que absurdo! Vejam o lucro pequeno do BB! Privatizem já este cabide de emprego…e segue a dança…

  3. Queria saber se o corpo do PSDB já foi liberado pela FIESP/FEBRABAN ou só depois da privatização da Eletrobrás e fim da previdência?

    Privatizar de graça o Banco do Brasil,Caixa e BNDES,não da mais tempo.

    Fora isso,ainda estamos sem saber como foi a viagem de João Dólar o Jacques Costeau pelo Amazonas,quanto foi que custou a placa que ele recebeu de uma proprietária de uma rede de tv mercenária local,quanto essa emissora vai cobrar para apoiar ele ano que vem,o encontro dele com o atual governador estado e que mataria Brizola de vergonha de ter um sujeito daquele nos quadros do PDT(esse camarada já foi do PSL,PFL,PMDB,Arena),etc,etc.

    Mas sinceramente falando,ainda estou com dúvidas se o PSDB já faz parte do passado.

    Eles ainda tem em seus quadros Sérgio Cabral Moro,Deltan Dallagnol,Beto Richa,Aécio,Andreia Neves,Gilmar Mendes,Serra,Alckmin,Marina Silva,William Waack,Boris Casoy,Diogo Mainardi(que chamou os nordestinos de suínos,ou seja,chamando o QG fora do Rj do Flamengo,Vasco,Fluminense e Botafogo de porcos),Ratinho do HSBC,Maite Proença do HSDC,Regina Duarte e etc.

    Se eles acharem que o Bolsonaro tem chance,não tenha dúvidas que eles vão pro lado dele.

  4. Falando nisso , faz aproximadamente trezentos e sessenta e cinco dias que não escuto a palavra crise da boca dos globais. Eta palavrinha desgraçada, ventilada e abordada diariamente por aqueles marionetes para derrubar Dilma Rousseff. Afinal existiu realmente a crise? Se existiu eu não percebi. O que teria melhorado de 2016 para cá? Desapareceram realmente os ladrões? Heim Dona Globo?

  5. já estava escrito na bíblia do diabo que numa nação fundada por escórias sociais, os piores assaltantes seria legalizados como banqueiros

  6. https://en.wikipedia.org/wiki/German_public_bank

    O sistema bancário alemão está estruturado em três pilares diferentes, totalmente separados um do outro. [1] Eles geralmente diferem em sua forma jurídica e propriedade. [2] Os bancos privados, representados por bancos como Deutsche Bank ou Commerzbank como empresas listadas, e Hauck & Aufhäuser ou Bankhaus Lampe como empresas privadas menos conhecidas, fazem parte do primeiro nível. O segundo nível é composto por bancos cooperativos como os numerosos Volksbanken e Raiffeisenbanken. [1] Eles são baseados em uma estrutura de membros em que cada membro, independentemente de sua participação em capital, possui um voto. [3] O terceiro nível é composto por bancos públicos, que são um braço legalmente definido do setor bancário na Alemanha. Eles são divididos em dois grupos principais.

    As primeiras caixas de poupança na Alemanha foram fundadas no início do século 18 em suas principais cidades comerciais. Uma das primeiras instituições com o modelo de negócios das caixas de poupança modernas foi a Ersparungscasse der Hamburgischen Allgemeinen Versorgungsanstalt em Hamburgo em 1778. Os fundadores eram ricos comerciantes, funcionários e acadêmicos. Eles pretendiam desenvolver soluções para pessoas com baixa renda para economizar pequenas somas de dinheiro e para apoiar as empresas em fase de arranque. [14] Em 1801, o primeiro banco de poupança com um garante municipal foi fundado em Göttingen para combater a pobreza. [15] Entre 1850 e 1903, a idéia das caixas de poupança municipais se espalhou e o número de caixas de poupança na Alemanha aumentou de 630 para 2834. [16] Cumprir os interesses públicos ainda é uma das características mais importantes dos bancos públicos em geral e das caixas de poupança em particular. Embora o interesse público seja muito inespecífico, os objetos dessas empresas geralmente são ornecendo serviços financeiros e monetários em regiões economicamente subdesenvolvidas
    apoiando processos de poupança e acumulação de capital
    reforçando a concorrência no setor bancário [17]

    O total de ativos do Sparkassen é de cerca de 1 trilhão de euros. As 431 caixas de poupança operam uma rede de mais de 15.600 agências e escritórios e empregam mais de 250.000 pessoas. [18] Os bancos de poupança são bancos universais e fornecem todo o espectro de serviços bancários para clientes de médio porte privados e comerciais. [4] 50 milhões de clientes mantêm atividades comerciais com caixas de poupança. [19] Embora independentemente e regionalmente espalhados, as caixas de poupança atuam como uma unidade sob a marca Sparkasse com o famoso logotipo e a conhecida cor vermelha.

  7. A concentração absurda bancária e do mercado financeiro em geral não agregam absolutamente nenhum valor real a economia. O modelo do setor bancário e financeiro simplesmente extraem riqueza do sistema.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.