Pior adversário de Covas, no 2° turno, será João Doria

Dias atrás, este blog afirmou que Guilherme Boulos faria o segundo turno das eleições paulistanas com o atual prefeito da cidade, Bruno Covas e isso é mais que confirmado pelo resultado atrasado do Datafolha, dois dias retidos por uma esdrúxula decisão judicial tomada, nitidamente, para preservar – como se isso fosse possível – Celso Russomanno do precipício nos índices de intenção de voto.

Dá para repetir o texto: “os dados diferentes que traz são algo que todos já sabíamos: o “derretimento” da candidatura de Celso Russomanno e que o apoio de Jair Bolsonaro, em lugar de votos, traz rejeição. A candidatura de Guilherme Boulos, ao contrário, mostra que já estabeleceu uma base sólida e, por isso, será natural que muitos eleitores partidariamente alinhados com o PT comecem a ver nele a possibilidade de um segundo turno contra Covas, o candidato de João Dória.”

Não se pode adivinhar resultado de eleição, mas está evidente que iniciou-se uma migração de votos em favor do candidato do PSOL que, tudo indica, crescerá até domingo. Jilmar Tatto, do PT, em São Paulo, repete o grave erro que cometeu o PSOL no Rio de Janeiro, sem o que as duas maiores cidades do país teriam candidato de esquerda no segundo turno.

Márcio França, que chegou a ser visto como aquele que poderia absorver o sentimento anti-Doria – como, para baixo, Russomanno absorveu o antibolsonarismo – não conseguiu se livrar do tucanismo e ficou pelo caminho.

Bruno Covas, no segundo turno, terá em João Doria seu pior adversário.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *