Por onde vão começar

Existem coisas evidentes na montagem da estrutura de poder autoritário que se faz sob a égide de Jair Bolsonaro que, tenho insistido aqui, não têm sido devidamente percebidas, olhadas como se fossem movimentos políticos naturais na montagem de um governo dentro dos limites de um estado democrático, algo que não é, em hipótese alguma, o caso deste.

Vejam: embora precise, desesperadamente, da construção de uma maioria suficiente para emendar a Constituição, não existe, senão por algumas conversas mantidas em absoluto sigilo, nenhuma articulação com bancadas partidárias no Congresso com este fim.

O pouco que aparece é indicativo mais de bajulação do que de articulação. A nomeação, por exemplo, do General Juarez Aparecido de Paula Cunha para a presidência dos Correios é, senão uma ordem, um mimo ao General Hamílton Mourão, seu colega na turma de 1975 da Academia das Agulhas Negras e seu par constante ao longo de anos de serviço.

Já os acenos de Rodrigo Maia para fazer votar antes do fim do ano o afrouxamento das regras para a compra de armas foram solenemente ignorados.

Bolsonaro não quer que se perca a identificação pessoal que deve conter o cardápio de repressão e força que é o prato central do início de seu governo.

Quase todo o resto serão fait-divers, destinados a produzir medidas fátuas e espetaculares, sem guardar relação com o eixo de sua ação.

Neste momento, fuçam-se os escaninhos da Polícia Federal em busca de personagens que possam ser simbólicos para criar o “acompanhamento” com que será servido ao Congresso o pacote de ações autoritárias das “Novas Medidas contra a Corrupção”.

O método de formação da maioria não será apenas o da simples e tradicional cooptação com cargos no governo, mas o da intimidação.

Haverá judeus.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

36 respostas

  1. Parece que o atual e o novo governo, em parceria com a mídia e a elite econômica, já estão devidamente combinados.
    O atual governo deverá se esforçar ao máximo para aprovar, ainda esse ano, a reforma da previdência, o escola sem partido, a criminalização dos movimentos sociais, as privatizações pendentes, entre outros projetos polêmicos. Dessa forma, prevalecerá a pós verdade que bostonaro não foi o responsável por essas medidas, mas que elas foram ajustes necessários aprovados pelos golpistas para consertar supostos erros dos governos do PT.
    Certamente também aprovarão medidas econômicas que facilitem o início do mandato do novo presidente.
    A revogação do Estatuto do Desarmamento certamente estará entre as primeiras medidas do novo presidente.

  2. A entrevista de Celso Amorim à CNN que enfureceu os militares bolsomínions:

    https://youtu.be/m2qJWVmux_Q

    PS – O que acho mais intrigante, é a falta de interesse dos jornalistas investigativos em apurar o montante e a origem da riqueza acumulada pelo MITOmaníaco e seus filhos em 28 anos de ócio na Câmara dos Deputados.

    1. Uma pequena contribuição à novilingua do novo regime que se aproxima em marcha a passo de ganso: corrupto = democrata, inimigo do regime; resíduo sólido a ser destinado à ponta da praia.

  3. As cláusulas pétreas ainda estão aí, na Constituição. O constituinte originário as colocou como garantias do direitos e deveres. É o último nível de resistência democrática!!!

    1. Mas o próprio “çupremo” tem ignorado solenemente as tais cláusulas, que de pétreas só têm o nome.

      #LulaLivre

    2. Prisão só após trânsito em julgado também é cláusula pétrea. Pergunte ao Lula se isso lhe valeu de alguma coisa…

  4. É assim que a banda vai tocar.
    Para o bem e/ou para o mal, vale a música Como uma onda, de Lulu e Motta.

  5. Mas os governos dos istaduszunidos, Rússia, e mesmo dos civilizados, europeus não impuseram o medo como forma de controle de suas populações? Não foram para isso que serviram os atentados , ditos, terroristas? Lembro há uns 20 anos que um presidente francês ousou discordar que alguma “ordem” vinda de Uóchintom. Meses depois ocorreu um atentado em Paris.
    Agora nos conectamos ao mundo “desenvolvido” só que agora voltamos prá merda de antes.
    Viram no que deu derrubar Dilma?

    1. Peço licença para discordar da comparação com os países do primeiro mundo. Pra começar eles jamais tiveram como objetivo tornar suas nações submissas e “escravas” de outros países, como é o caso de Bolsonaro. Em segundo lugar, os países do primeiro mundo jamais tiveram como projeto entregar seus povos para a exploração de outras nações. Em terceiro, país nenhum se mostrou tão ávido em entregar suas riquezas aos estrangeiros, como este Brasil pós-golpe e agora bolsonariano.

      1. Pois é.
        Nenhum país minimamente civilizado.entregaria suas riquezas naturais, estratégicas e finitas para outros países.
        Os brasileiros, além de entregarem, o fazem a preço de banana. Preço de banana??? SUBFATURADO, obviamente. A maior parte está sendo paga diretamente no exterior, a crédito dos partidos e políticos privatizadores. E ainda tem otários que dizem que temos que privatizar tudo por causa da corrupção no Brasil…

      2. É verdade! Esse viralatismo é algo único no planeta.
        Mas andando por aqueles lugares se percebe uma população controlada. E acho que o modelo do Bozo vai no mesmo caminho.
        Teremos saudades dos anos do PT!

      1. Por falar em Judas e Pilatos, o PDT já expulsou seus filiados candidatos a governador no segundo turno que apoiaram o Bolsonaro? Ou ficaram só na notinha do comitê de ética do partido?

        Imagino que se ainda não, certamente vão expulsar esses filiados em breve, certo?
        Já que alguns membros do PDT são tão bons em apontar o dedo pra outro partido, e pôr a culpa de tudo de ruim que acontece no país nesse partido.

        Aguardo ansiosamente o PDT mostrar toda a sua moral e decência.

    1. Gente aí vai ter que andar com uma estrela vermelha costurada na roupa, e ser motivo de pedradas desferidas pelo moleques na rua?

  6. A reação do general Heleno diante da entrevista do embaixador Celso Amorim à CNN provoca as seguintes reflexões:

    1) Será tônica do governo recém eleito a tentativa de aproximação maior possível ao governo de Donald Trump.
    2) A CNN é inimiga mortal do presidente Trump. E com esta entrevista ela fustiga Trump e sua nova amizade neocolonial, apesar
    dos elementos judiciários que mudaram o regime do Brasil serem os mesmos elementos judiciários que estão querendo o impeachment dele, Trump, lá nos EUA.
    3) Haverá, pelo inegável caráter autoritário do novo governo brasileiro, um discurso oficial que será levado para fora do país, abordando todo e qualquer problema interno importante, político, social ou econômico. Esta forma de ação autoritária corresponde ao tempo da Guerra Fria e hoje é ridícula de tão ultrapassada, mas é assim que vai ser, ao que parece.
    4) Quem levar ao exterior discurso diverso da versão oficial, poderá ser considerado pelo novo regime autoritário como antipatriota e até traidor.
    5) A CNN tem penetração gigantesca no território dos Estados Unidos. Dizer alguma coisa através dela, é falar diretamente a dezenas de milhões de americanos.
    6) Para a questão da prisão do Lula, O discurso oficial do Movimento Jurídico-Midiático-Militar de 2013/2016 (MJMM- 13/16, que agora atinge o ápice com sua chegada ao poder através do voto popular) é o de que se fez justiça legítima não contra um líder político, mas contra um chefe de quadrilha de corruptos comum e muito perigoso.
    7) Quando Amorim falou a milhões de americanos que este líder não é criminoso e que foi condenado injustamente sem um mínimo de provas, caracterizando assim sua prisão como puramente política, ele então contrapôs sua versão à versão oficial do futuro governo.
    8) Atraiu assim a ira do General Heleno, que se pronunciou como um dos importantes líderes daquele movimento de 2013/2016. Atraiu sua ira porque, com suas revelações, ditas de modo extremamente responsável e pleno de argumentação profunda e inquestionável, Amorim minou todo o edifício construído gradativamente pelo MJMM- 13/16 para convencer ao público interno e externo de que todos os atos eivados de intenção política foram na verdade atos de legítima justiça. Este edifício, de resto, já estava completamente minado aqui e lá fora por toda a imprensa internacional e pelos principais intelectuais formadores de opinião do mundo inteiro.
    9) Conclui-se que não dá para o governo bolsonariano navegar livremente como se estivesse a bordo da nau da justiça e da democracia. Não vai dar nem sequer para afirmar que esta nau é o barco da brasilidade. Vai ser necessário provar isso com atos e não com construções fantasiosas.

    1. Não esquecer que os mesmos que assumiram agora o poder são aqueles que prenderam o Lula no início dos anos 80 e o enquadraram na “Lei se Segurança Nacional”.
      Vão fazer agora, quase quarenta anos depois, o que não conseguiram naquela época: deixar o Lula apodrecer na prisão, segundo palavras do bozo.
      Esta é a prova cabal que vamos voltar 40, 50 anos no tempo com este governo retrógrado, incompetente, inepto, autoritário, etc etc, como também já afirmou o asno chefe.

  7. Li no UOL: ‘Bolsonaro fará do Planalto um puxadinho das redes’. Eu digo sim, Josias. O problema maior é que ele pretende governar da mesma forma que se elegeu, ou seja, manipulando a opinião do nosso povo e usando as fakes news como meio de tortura. A indicação é de que será uma ditadura digital, onde os congressistas e opositores de qualquer um dos outros poderes e da procuradoria da república, artistas, intelectuais , etc, poderão ser torturados por meio delas. Não se enganem: se a lavação de mente via fake news colocou o capitão onde ele está funcionará muito bem para mantê-lo no poder. Se bobear os trabalhadores com a mente lavada e em histeria coletiva vão implorar para perder os direitos trabalhistas para oferta-los ao mito. E a honra de pessoas idosas, de vida limpa, e que já contribuíram muito para o país, tais como ministros das cortes superiores, vai escorrer pelo esgoto do WhatsApp como pedófilos, estupradores e tudo de ruim que vier pela frente. Pois então: eu li no Terra que ‘Deputados que não se reelegeram dificultam votação de projetos de interesse do novo governo’. Ora, é o mínimo que se podia esperar deles. Foram todos passados para trás na maior fraude eleitoral da história mundial. Alguém acha que em sã consciência algum eleitor de um Jean Willys, por exemplo, ia deixar de votar nele para votar em candidato do PSL que é um partido claramente homofóbico? A votação de Willis caiu assustadoramente. O PSL foi o campeão tsunamico das eleições. Os votos da turma das votações historicas e meteoricas saíram de algum lugar. O Jean Willys é só um exemplo. Pois eu digo: se quiserem saber aonde foram parar os votos dele e dos demais candidatos prejudicados é só analisarem os resultados dos boletins de urna e comparar com o resultado saído do sistema de totalização do TSE e depois esfregar a diferença na cara do PSL. Hah, para quem não sabe os boletins de urna refletem o resultados das urnas e a totalização de votos é uma outra etapa do processo. As urnas são seguras sim. Se tiver havido fraude foi na segunda etapa do processo. Pelas minhas contas, cerca de seis milhões de votos saiu da conta de outros candidatos presidenciais e foi parar na conta do capitao, pois, exceto, Fernando Haddad e Ciro Gomes, todos os outros candidatos foram prejudicados. Haddad e Ciro foram preservados porque certamente ia dar muito na cara. Até porque, vencendo o primeiro turno o capitão não teria que enfrentar nenhum dos dois no segundo turno. O que me irrita mais é essa turma criminosa ficar falando em nome de Deus. Mas eu tenho fé nele que a justiça será feita. Espero que seja antes deles conseguirem passar um rolo compressor no país. Se depender de minhas orações eles estão ferrados.

  8. ´´E POR, AÍ. SERVIRÁ. INCLUSIVE DE TESTE PARA AVALIAR A REAÇÃO, O APOIO, JÁ QUE BOLSONARO FOI ELEITO NÃO PELO QUE PROMETE NA ECONOMIA, MAS COMO SEGUIRÁ NA DESTRUIÇÃO, SE POSSÍVEL, DOS INIMIGOS (A OPOSIÇÃO PETISTA E ALIADOS). A IMPRENSA É ALIADA E ELE SABE DISSO.

  9. Li no Jornal do Brasil: ‘Tenente do Exército é assassinado a tiros em tentativa de assalto no RJ’. Observei que antes das eleições o mesmo aconteceu com um major. Isso é armação dos bolsonaristas para fazer as Forças Armadas na ativa apoiarem as medidas de Bolsonaro, tais como o armamento da população e um super ministro da justiça. É um sinal de que nem todas as forças armadas estão com o capitão. Acontece que os Bolsonaristas vão acabar é mostrando o traseiro e o tiro vai sair pela culatra.

  10. Li no DCM: Rússia, China e Irã anunciam envio de tropas militares em apoio a Venezuela’. Trata-se de um recado para o capitão no caso dele pensar em invadir a Venezuela junto com a Colômbia. Eu já tinha previsto isto aqui, só não contava que fosse tão rápido e que o Irã também ia entrar na parada. Na verdade, ultimamente não está dando tempo nem de molhar o bico.

  11. Li no UOL: ”Bolsonaro afirma que sua eleição foi decisão de Deus e promete ser o presidente de todos’. Se depender de Deus ele está é ferrado por usar o nome dele em vão. Quanto maior o pódio maior a queda. A propósito, ‘todos’ será quem?

  12. Antipatriotico é a criação de carteis no Judiciário para produzir fatos políticos em vez de sentenças jurídicas. Antipatriotico é passar por cima do Estado de Direito para afastar do jogo político os que lhe desagradam. E essas coisas foram feitas contra Lula. Desde a destinação do processo, que deveria correr em São Paulo, passando pela aceitação da primeira instância de uma acusação sem evidência material, chegando numa sentença sem provas materiais e depois de absurdos como os vazamentos da força tarefa e a inominável gravação de conversas dos advogados do reu.

    Antipatriotico é você, General Heleno, que quer considerar como normais todas as arbitrariedades cometidas contra Lula pelo cartel de lawfare formado pelo MP-PR/LavaJato/ TRF4/ STJ.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *