Quando será a “Noite das Longas Facas” do bolsonarismo?

O clima de mórbidas semelhanças entre o Brasil de hoje e a Alemanha dos anos 30, com a ascensão de Adolf Hitler – não, não faço comparações literais entre o líder nazista e Bolsonaro: falta a este talento, oratória e, demências à parte, visão estratégica de país – sugere que, mais cedo ou mais tarde, acabaremos por ter aqui algo que lembre a “Noite das Longas Facas” um massacre ocorrido  na noite do dia 30 de junho  na Alemanha.

Para quem não conhece o episódio, relembro.

Pouco mais de um ano depois de ascender a primeiro-ministro da Alemanha, preocupado com o comportamento e a força de seus “Destacamentos Tempestade”, as Sturmabteilung (SA), o ditador alemão desfechou uma ação para desmontá-las, eliminando descontentes com suas posições.

Bolsonaro, logo, terá de fazer opções.

O descalabro do grupo “ideológico” da extrema-direita, que Olavo de Carvalho vocaliza, terá de ser eliminado ou virar discurso oficial.

A tendência seria, aliás, como fez Donald Trump com Steve Bannon, o guru internacional de seu filho Eduardo, eliminá-lo.

Mas Bolsonaro faz o contrário. Tem dado espaço e prestígio às falanges civis da direita, como contraponto à influência militar.

Sem ela, porém, não se sustenta.

Quando Olavo de Carvalho diz que ‘Se continuar assim, mais seis meses e acabou‘, não creio que esteja tão errado.

Algo terá de se acabar, e o mais provável é que sejam as SA cibernéticas das quais ele é uma das referências.

Até porque quem entende de “mercado” especulativo, que é o setor satisfeito com o governo Bolsonaro, já aposta no fracasso.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

10 respostas

  1. De qualquer forma, o risco existe e não é pequeno.
    Há um ano atrás, a eleição desse bost-a parecia algo perto do impossível, mas aconteceu.

  2. Parece que já está havendo um certo desmonte da ala olavista, o que é uma pena, já que o ideal é que as facções dentro deste “governo” continuem a brigar até que ele acabe de vez.

  3. Faca ? De novo ? Outra vez ? Aonde será, agora ? Em Juiz de Dentro ? … Isso é “coisa” de milicu . . .

  4. Não será nunca. Não há a menor comparação entre os nazistas alemães dos anos 30 e esses fascistoides abandidados, toscos e ignorantes do Governo Bolsonaro.

    Pra começar, o ambiente economico, social, financeiro e, principalmente, institucional, era completamente diferente.

    O POVO era e continua sendo muito diferente.

    E os líderes nazistas, todos eles vindos dos campos de batalha da Primeira Grande Guerra, não eram esses fascistinhas marreteiros, esses falsos moralistas, esse lixo evanjegue, esse estrume olavético que está aí. Eram patriotas de verdade, todos dispostos a morrer ou resolver os problemas terríveis que rendição alemã e o Tratado de Versalhes impuseram, injustamente, a todo o povo alemão.

    Tudo muito diferente. Esse governo que está aí não acaba nem com batucada de barzinho. É tão fraco, tão disparatado, tão ignóbil, tão inconsistente, tão contraditório, que um Fabrício ou um cabo e um soldado miliciano acaba com ele num estalar de dedos.

  5. Não será nunca. Não há a menor comparação entre os nazistas alemães dos anos 30 e esses fascistoides abandidados, toscos e ignorantes do Governo Bolsonaro.

    Pra começar, o ambiente economico, social, financeiro e, principalmente, institucional, era completamente diferente.

    O POVO era e continua sendo muito diferente.

    E os líderes nazistas, todos eles vindos dos campos de batalha da Primeira Grande Guerra, não eram esses fascistinhas marreteiros, esses falsos moralistas, esse lixo evanjegue, esse estrume olavético que está aí. Eram patriotas de verdade, todos dispostos a morrer ou resolver os problemas terríveis que rendição alemã e o Tratado de Versalhes impuseram, injustamente, a todo o povo alemão.

    Tudo muito diferente. Esse governo que está aí não acaba nem com batucada de barzinho. É tão fraco, tão disparatado, tão ignóbil, tão inconsistente, tão contraditório, que um Fabrício ou um cabo e um soldado miliciano acaba com ele num estalar de dedos. Simples assim!!!

  6. A história está um pouco incompleta. Meses antes da Noite das Longas Facas, Hitler teve uma reunião com representantes do alto comando das forças armadas da época, a Reichswehr (na época não era considerado exército) que acertou com Hitler a morte dos representantes dos nazistas mais populares e que tachavam todos de inimigos (qualquer semelhança, não é coincidência) e nesta reunião foi dado um ultimato a Hitler, ou acabava com o poder da SA ou caía.

  7. Comparar essa tragédia com a Alemanha de Hitler é um erro , primeiro que Hitler foi eleito com uma Alemanha destruída enquanto que o bosta foi eleito para destruir o Brasil.
    Parece que a única semelhança é a psicopatia e o ódio.

  8. Já imaginaram o Olavo de Bosta passar perto do Pinel (hospital psiquiátrico no Rio)? Eles iriam pega-lo e seria dissecado para estudos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.