Quem demite a rodo não sabe administrar

Não dá para listar aqui a multidão de demitidos do governo Bolsonaro em apenas cinco meses.

Na semana que se encerra, dois presidentes de estatais (Correios e BNDES), um de órgão relevante (a Funai) e um ministro de Estado foram para a rua em três dias.

Exceto pela “missão” dada ao substituto do general santos Cruz, de financiar a “bolsonosfera”, pouco ou nada se sabe do que se pretende para os comandos tornados vagos.

É especialmente grave o caso do BNDES, praticamente o único órgão de fomento econômico do Estado brasileiro, hoje. Levy, sabe-se, opunha-se a uma descapitalização velor do banco, para arranjar recursos  meramente contábeis para melhorar as contas, sem efeito monetário, porque eram títulos do Tesouro, perdoem o pleonasmo, entesoudados, apenas em caixa.

É claríssimo que o corpo técnico do banco está retraído e isso atrasa o pouco que se tem de financiamento à economia produtiva.

No caminho do PIB Zero, isso é um desastre maior do que seria em tempos mais prósperos.

Mas não é só no BNDES. Em todas as áreas do governo, impera um clima de medo, quase terror.

Ser “dedurado” como esquerdistas, cair na desgraça do grupo olavista ou na do próprio Presidente é algo que trava ainda mais os órgãos públicos já travados pela escassez de recursos.

É um método primário de administrar, o de governar pelo medo e não pela liderança.

O autoritarismo presidencial exponecia a paralisia da administração.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

11 respostas

  1. Depois do “piti” do gal. Heleno, e após tomar conhecimento que Toffoli já teria borrado as calças tirando de pauta a questão da segunda instância, sugiro trocar o lema da bandeira “ordem e progresso” por “é no grito”.

  2. O autoritarismo, a arrogância e incompetência são qualidades inerentes desse homem. Daí a sua incapacidade de algum funcionário lhe agradar.
    Ficarão os puxa-sacos com vocação de serem tratados como lixo.

  3. Levando em conta que já está confirmado que uma quadrilha afastou ilegalmente e criminosamente da eleição de 2018, pergunta-se: QUAL A ATITUDE DO STE, que é o responsável pela lisura do pleito?
    QUAL A ATITUDE DO STE?
    Além do processo normal e futura prisão dos criminosos, é claro.

  4. O mais ridículo, é que o “ex-futuro” diretor de Mercado de Capitais do BNDES, não tem nada de petista ou esquerdista.

    O cara foi sócio do Arminio Fraga, na Gávea Investimentos, por 7 anos. E, segundo a mídia, ia para o BNDESPar com a missão de se desfazer de diversas participações societárias que o banco tinha, nas empresas.

    A motivação para a demissão de Levy, obviamente, se dá mais pela alucinação dos mercadistas, de que ele não estava tendo “competência” suficiente para descapitalizar o banco em ritmo acelerado e detonar com o Fundo Amazônia.

  5. Volto a dizer: o País caminha para transformar-se definitivamente em uma democracia iliberal, apenas com um “direito de voto” de fachada e dirigido, e com todas as estruturas democráticas e de direitos civis desmontadas à luz do dia, sob os aplausos e uivos do bolsonarismo-raiz, que mal pode segurar a ansiedade em começar a patrulhar as ruas, caçando “comunistas”, minorias e tudo que lhes ofenda a “sensibilidade”. A parte pragmática do golpe está sendo esfacelada pelas denúncias contra a República de Curitiba, que só existe graças à manipulação da opinião pública pelos meios hegemônicos de comunicação. A outra parte do pragmatismo, o econômico, está sendo implodida pela absoluta incapacidade de lida política de seus integrantes e do bolsonarismo-raiz, que coloca o Congresso em posição de defesa e no campo oposto a suas demandas. A ala dos néscios (os filhos olavistas, chanceler antidiplomático, “jegue kelly”, a louca da goiabeira, os ex-PMs da Câmara e Senado) sentiu a chance de se apropriar do golpe para satisfazer seus mais primitivos instintos (e põe primitivos nisto!). Questão de tempo até que, acuado pela perda de apoio da mídia venal e percebendo que sua base de sustentação popular é menor do que pensava, o ex-tenente diga: “temos de impedir o retrocesso e a volta do comunismo que tenta retomar o País” e parta para o fechamento do regime. Aí veremos com quantos paus se faz uma ditadura fascista…
    https://uploads.disquscdn.com/images/0f89f86fc109a454145c6e05e75bc1ce2686d9480066682210014fbbea9bd037.jpg
    Não, não é na Hungria ou Venezuela. Foi na av. Paulista, pouco antes do impeachment de Dilma

  6. Depois do “piti” do gal. Heleno, e após tomar conhecimento que Toffoli já teria borrado as calças tirando de pauta a questão da segunda instância, sugiro trocar o lema da bandeira “ordem e progresso” por “é no grito”.

  7. Excelente a foto, vai pra galeria…..mas na verdade o Bozo está mais para a alucinada Rainha de Copas !!!!

  8. Fernando,

    O Bolsonaro está demitindo o que resta de bom senso no governo. Só vai sobrar quem se alinha aos radicais.

    Meu palpite? Ele está preparando a tentativa de golpe, que deve acontecer a qualquer momento.

    Quem não topar está sendo defenestrado.

    A jato.

  9. Está parecendo a Dilma que demitia ministro pelas notícias do PIG e se vangloriava ao ser chamada de “gerentona”… Dilma trouxe a cartilha neoliberal para o governo ao nomear e proteger Levy, trouxe o programa econômico de Aécio derrotado pelas urnas e substituiu sem pudor o plano vitorioso.

    Hora de dizer as verdades sem “ismos” ou paixões…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *