‘Reichstag racial’: Trump aposta na radicalização para vencer

Alguém se lembra do slogan “A esperança venceu o medo”?

Pois a eleição presidencial norte-americanas, daqui a apenas dez semanas, assiste a aposta de Donald Trump em que o medo da desordem e dos conflitos vença a esperança de que, ainda que chocha, a esperança representada por Joe Biden de que se restaure a normalidade da vida política dos EUA.

No cerne desta estratégia, está transformar os fatos em manifestações de uma conspiração demoníaca, contra a qual ele, Trump, representa a última e mais forte barreira de proteção.

Desde o incêndio do Reichstag, o parlamento alemão, ajudando a levar Adolf Hitler ao poder, o método é conhecido.

Está sendo assim, agora, nos conflitos em torno das manifestações antirracistas, contra as quais Trump passou a incentivar manifestações de seus apoiadores.

O Washington Post, hoje, descreve as cenas desta pantomima:

Cenas de fiéis Trump atirando tinta e armas de Paint Ball contra os manifestantes durante uma caravana-“Trump Cruise Rally” – no centro de Portland – um bastião liberal que tem sido o local de semanas de manifestações de rua – levantaram o espectro de que o verão de agitação do país havia entrado em um novo fase em que os apoiadores do presidente estão se reunindo para defender os negócios e lutar contra o Black Lives Matter e outros grupos que ele rotulou de “anarquistas” e “terroristas”.

Trump faz o que pode para subir a temperatura e anunciou uma ” visita de inspeção” à cidade de Kesnosha, Wiscosin, onde um policial atirou sete vezes nas costas de um homem que, como indica o vídeo que chocou o mundo, estava aparentemente indefeso.

Na escalada de protestos, um jovem de 17 anos – que alegadamente estava “protegendo propriedades” contra os protestos – disparou seu fuzil AR-15 contra manifestantes, matando duas pessoas e ferindo uma outra.

O governador Tony Ever mandou uma carta aberta ao presidente, pedindo que ele não vá a Kenosha, para não agravar os confrontos, mas Trump continua mantendo a visita, que aconteceria amanhã.

Donald Trump está adorando e a Fox, sua emissora chapa-branca, faz o escândalo que pode para dar a impressão de um país onde o governo está impedido de agir.

Trump, claramente, aposta em criar um clima de terror para reeleger-se. Há quatro anos, usava os mexicanos para criar medo; agora, os negros.

Heil!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.