A “roubada” do general

braganetto

Se o general Braga Netto, interventor na Segurança Pública no Rio de Janeiro é, como suas declarações até agora indicam, um homem ponderado sabe que o enfiaram numa “roubada”, como a gente chama aqui entrar numa “fria”.

O fato de ser convocado, em plenas férias, para assumir a missão, imediatamente anunciada ao público, no início de um final de semana de Carnaval, mostra a falta de seriedade com que é tratado o comandante militar. Não lhe deram sequer um dia para planejar uma intervenção que já estava vigorando e que, por isso, já coloca sob sua responsabilidade tudo o que acontece.

O colocaram, assim, diante de uma situação de “vácuo” de comando das polícias e dos presídios. Os grupos  envolvidos em promiscuidade  nestas áreas – e não são poucos – podem se encolher, num primeiro  momento, como tartarugas. Mas são cobras.

Sobretudo se, como se anuncia,  o general vai mesmo alterar drasticamente os comandos intermediários da Polícia Militar, com base nas informações que levaram – infelizmente sem consequências por meses – o Ministro da Justiça ter dito que comandantes de batalhões da PM eram “sócios do crime organizado”. Se não foram palavras vãs, são informações que certamente chegaram do Comando Militar do Leste, chefiado por Braga Netto e envolvido na operação de Garantia da Lei e da Ordem  desde o final de julho.

Também não escapa aos militares  que, apesar de todo o comprometimento histórico das forças policiais do Rio de Janeiro (e não só aqui), a decisão de fazer agora a  intervenção foi eminentemente  política, ajudada pela degradação política do governo local, contraditoriamente base política do Governo Federal. Logo após o ato, o Comandante do Exército, Eduardo Villas Boas, embora prometendo todo o apoio ao interventor, diz que ” a missão enlaça o General diretamente ao Sr. Presidente da República”.  Não foi gratuito dizer que Braga está sob o comando de Temer, não dele.

Não está claro ainda que Braga Netto conseguirá evitar entrar afoitamente na batalha pela opinião pública, o principal “front” desta “guerra”, como a Segurança Pública é demagogicamente tratada. Ações espetaculares têm alto risco de acidentes e baixo nível de eficácia. Ainda mais quando, a esta altura, todos estão avisados de que elas podem acontecer. Nos tempos de comunicação instantânea e onipresente, bloqueios e blitzen são ainda mais ineficientes do que sempre foram.

Os próximos dias revelarão, pelo grau de concessão que o General Braga Netto fará – e alguma terá de fazer – ao “espetáculo da Segurança”. E de como as cobras, que agora parecem tartarugas, irão se movimentar.

O sumiço da faixa do “Vampirão” da Sapucaí, na madrugada de ontem, mostra que outros tipos de répteis já estão se movendo pelas sombras.

 

contrib1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

18 respostas

  1. Temer como de resto todos estrategistas do Golpe querem ganhar tempo. Um dos pedidos do Estado Maior do Golpe, a reforma da previdência, não vai ser entregue. A tal operação é uma estratégia diversionista, talvez inspirada no convescote da BTG, onde se verificou o sorriso cínico e irresponsável de alguns graúdos do mercado e o júbilo de seus “stags”. Operação arriscada essa de pescar em águas turvas. Mais um lance de desespero.
    tic tac tic tac

  2. É o mais serviços do Temer, trabalhe o dobro e ganhe o mesmo. Se der certo a glória fica para o governo federal, se der errado a culpa é do Exército que não cumpriu a missão.
    Policiais hiper mal remunerados só poderia dar nisso. Serem aliciados pelo tráfico. O cara tem que está precisando muito para aceitar ser policial no RJ ganhando tão pouco e morrendo policiais todos os dias assassinados por traficantes.
    E ainda tem a questão dos playboys da zona sul que a polícia não põe a mão e se por a justiça manda soltar.

  3. O General deveria aproveitar e fazer uma intervenção. Menos nas ruas e muito mais nas polícias, limpando-as, aparelhando-as adequadamente, reeducando-as, priorizando seus serviços de inteligência, corregedoria e prevenção, para que o Rio tivesse uma das melhores polícias do mundo.

  4. Beleza! Genial! Com todo o marketing dado à intervenção, os bandidos já traçaram seus planos de fuga. Sairão das favelas. E os moradores terão paz. E eles vão sumir do mapa? Não, apenas vão vender suas drogas e armas em outra freguesia. Vamos trocar 6 por meia dúzia. Genial!

  5. Não desviemos o foco para aspectos secundários, usados como pretexto pelo chefe da quadrilha, michel temer, para decretar intervenção militar, uma espécie de estado de sítio parcial, numa das unidades da federação, o Rio de Janeiro; aproveitar o bonde do carnaval e a crítica política e social feita pela escola de Samba Paraíso do Tuiuti, para assim censurar e reprimir as manifestações críticas e denúncias contra as quadrilhas políticas, judiciárias, midiáticas e policiais (na ampla acepção do termo) que tomaram de assalto o Brasil, usando a esfarrapadíssima desculpa de combate ao crime organizado (que de organizado, no Rio, possui apenas os braços estatais das polícias e dos sistemas judiciário e político que sempre lhe deram e lhe dão guarida) e restabelecimento da ordem e segurança pública é considerar os cidadãos brasileiros – e os cariocas e fluminenses, em particular – rematados imbecis. O que o chefe da quadrilha e seus comandados estão a fazer é dar os primeiros passos para endurecer e escancarar a ditadura que estabeleceram no Brasil, desde o golpe de 2016. 2018 é uma cópia mal feita de 1968, ano em que a ditadura militar-empresarial, por meio do AI-5, sob o comando dos EEUU, cassou os direitos e as liberdades dos cidadãos, censurou as manifestações e a voz/escrita dos que criticavam o regime, instituiu/oficializou as torturas e matanças dos opositores, na época chamados de “subversivos”, “terroristas” ou simplesmente “comunistas”.

    Reiteradas vezes tenho criticado Fernando Brito pelo fato dele dar crédito às FFAA, como se elas não estivessem metidas, dos pés à cabeça, na trama golpista (seja por omissão, cumplicidade, conivência ou participação efetiva); basta relembrar a “edificante” conversa entre o “profeta-senador”, Romero Jucá, e o ex-senador tucano e ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado. Sobre o papel decorativo e de “rainha da Inglaterra, de fardas”, desempenhado pelo General Eduardo Villas Boas, a prova cabal foi publicada neste fim de semana. Segue a abaixo o teor do documento enviado às unidades do Exército.

    “Incumbiu-me o senhor comandante do Exército de informar à força o que se segue:

    1. O Sr. presidente da República, no uso de suas atribuições constitucionais, nomeou Interventor Federal na Segurança Pública do Rio de Janeiro o General de Exército Walter Souza Braga Netto, comandante militar do Leste.

    2. O comandante do Exército, após reunião com o Alto-Comando do Exército, analisou os impactos dessa decisão para a Força Terrestre e determinou que todos os esforços convergissem para a concretização da missão atribuída ao Oficial-General.

    3. O Comandante do Exército, acompanhado pelo General Braga Netto, foi recebido pelo sr. presidente da República em audiência nesta tarde, onde foram apresentados alguns pontos que devem ser detalhados e regulamentados em Decreto Presidencial complementar.

    4. O comandante do Exército, em face da gravidade da crise, entende que a solução exigirá comprometimento, sinergia e sacrifício dos poderes constitucionais, das instituições e, eventualmente, da população.

    Gen Div OTÁVIO SANTANA DO RÊGO BARROS
    Chefe do Centro de Comunicação Social do Exército”

    A esse comunicado juntemos o conteúdo do 5º parágrafo do post in comento.

    “Também não escapa aos militares que, apesar de todo o comprometimento histórico das forças policiais do Rio de Janeiro (e não só aqui), a decisão de fazer agora a intervenção foi eminentemente política, ajudada pela degradação política do governo local, contraditoriamente base política do Governo Federal. Logo após o ato, o Comandante do Exército, Eduardo Villas Boas, embora prometendo todo o apoio ao interventor, diz que ”a missão enlaça o General diretamente ao Sr. Presidente da República”. Não foi gratuito dizer que Braga está sob o comando de Temer, não dele.”

    Ora, Se o General Walter Braga, direta e hierarquicamente subordinado ao Comandante Geral do Exército, General Eduardo Villas Boas Boas, não está sob o comando deste, isso PROVA CABALMENTE que Villas Boas não comanda ABSOLUTAMENTE NADA, pois se fosse, de fato, o comandante da FFAA terrestre JAMAIS permitiria ser by-passado, deixando um subordinado direto sob o comando do golpista-usurpador-corrupto profissional-chefe de quadrilha, michel temer.

    1. Gosto sempre de ler os comentarios, os contrapontos do Joao Paiva. ‘As vezes, quando estou com pouco tempo para ler todos, entro nos comentarios so’ pra ver se o Joao Paiva postou alguma coisa.

      E este blog, do Brito e’ uma farol na tormenta que nos vergasta, so’ Deus sabe ate’ quando.
      Que Deus abencoe voce e sua familia e todos os amigos que te apoiam.

    2. já sugeri que o Vilas Boas deveria pegar seu boné e ir pra casa cuidar dos netos ,já vai tarde.Quem manda mesmo ,é o pitbull que está ao lado do golpista.
      Outro fator positivo ( se é válido aplicar o termo) do golpe além de ter permitido a massa visualizar a imoralidade da classe jurídica(salvo honrosas e valorosas exceções) é que o pretenso perfil nacionalista dos guardiões do país , era uma máscara .

  6. Isso ainda pode virar contra o Temer. Ele faz tudo errado… será que teremos eleições este ano? ou teremos a volta dos milicos ao poder para garantir as “reformas” do mercado?

    1. As possibilidades disto se voltar contra o Temer, e indiretamente contra os golpistas, sao imensas.

      Representa um agravamento da crise, e neste sentido, pode ser uma etapa necessaria do processo de cura – que ninguem sabe quanto tempo vai durar, ou mesmo que aconteca, no final (o paciente pode acabar “morrendo”, de alguma forma). Parece que estamos, historicamente, escorregando num plano inclinado, ladeira abaixo, em direcao ao barbarismo. E essa tendencia nao esta’ acontecendo so’ no Brasil, embora estejamos num tipo de “vanguarda” deste processo, neste momento. Mas vejam o que esta’ acontecendo na Ukrania, na Syria, aconteceu na Lybia, no Afeganistao (desde 1978), na Venezuela, no Yemen, e em muitos lugares do Norte da Africa. As forcas do colapso, da entropia, da desordem, lutando contra as forcas de um ordenamento minimamente civilizado.

      Dizem, alguns observadores, que haveria um plano nesta direcao, destruicao da ordem que temos conhecido ate’ aqui, uma ordem moderna, razoavelmente liberal, razoavelmente democratica, por parte da plutocracia transnacional. Seu desejao seria implantar uma “nova ordem mundial”, sem disfarces, e garantir sua supremacia em todos os niveis, por um longo tempo, forever, se possivel.

      Dizem, inclusive, que tais forcas estao se preparando para uma guerra, um duelo inevitavel, com a Russia e a China, paises recalcitrantes que se recusam a baixar a cabeca para o “nacao excepcional”, a “nacao indispensavel”, que foi escolhida por Deus para ter a responsabilidade de administrar o Planeta Terra de acordo com seus interesses, supostamente identificados com os interesses divinos.

      O Brasil, entao, e’ uma peca importante neste xadrez, pelo espaco territorial, pela populacao (talvez um problema, um impecilho a ser superado), pelos recursos hidricos, pelo petroleo. Estamos sendo obrigados a voltar ‘a nossa velha condicao de quintal, colonia, da metropole imperial do dia.

      A questao e’ saber se nosso povo tera’ a capacidade, a forca (inclusive mental, espiritual, intelectual, e emocional) para dizer NAO a este projeto. Isto passa pela necessidade crucial, imperiosa, de remover a oligarquia dominante que ja’ fez a sua opcao descarada, e sem volta, pela entrega incondicional da nacao e todos os seus ativos, a sua base de recursos, para os supostos donos do mundo (e a sua populacao que se foda).

      Isto e’, a remocao da oligarquia dominante (de alma escravagista), e’ condicao sine qua non para a reconquista da dignidade nacional, do patrimonio nacional, da liberdade, da democracia, e da soberania do nosso pais. Isto equivale a dizer que enquanto a Globo estiver no comando da narrativa, e direcionando coracoes e mentes de uma parte significativa da populacao, o nosso futuro esta’ comprometido, e nossa viabilidade enquanto nacao gravemente ameacada.

      A historia esta’ cheia de detritos de sociedades que “nao deram certo”, nao conseguiram achar o seu caminho e se perderam na escuridao da noite, e da historia. Foram dominadas, saqueadas, usadas e descartadas por outras, mais capazes na defesa de seus interesses e na pratica da rapinagem. Nao conseguiram se afirmar, e dizer a que vieram.

      Em nosso caso, isto seria um desperdicio absolutamente lamentavel uma QUEDA, inclusive metafisica, de um grupo de almas generosas, mas ingenuas, enganadas e traidas por uns poucos que se entregaram a um egoismo desenfreado e absolutamente inconsequente, levando o grupo a um retrocesso evolutivo monumental. O que vale dizer, se entregaram ‘as forcas do mal, em detrimento de sua propria gente, em detrimento dos valores que formam uma comunidade de destino, a que chamamos de nacao.

      Nesse jogo, ja’ passamos da metade do segundo tempo, e estamos perdendo de 4 a 0 para o time adversario, e jogando em casa. O juiz, por alguma razao, ou razoes, pouco claras, rouba incessantemente a favor do time estrangeiro; assim como as forcas responsaveis pela seguranca vem atuando no sentido de sufocar e reprimir os torcedores nacionais, e proteger o juiz – assim como os responsaveis pelo servico de informacao e os alto falantes do estadio, que estao firmemente nas maos do time adversario, mentindo, omitindo, desinformando e manipulando de maneira vil e escancarada, para aqueles nao perderam a capacidade de pensar com a propria cabeca.

      Uma situacao extraordinaria, uma situacao verdadeiramente de guerra entre dois interesses profundamente divergentes, de fato, incompativeis. Entre aqueles que acreditam na responsabilidade mutua, de uns para com os outros; na defesa da cooperacao como fator indispensavel para a evolucao do grupo social, da comunidade em todos os niveis.

      E aqueles que rezam pela cartilha do Darwinismo social, de Ayn Rand, Friedrich Hayek, e seus adeptos do individualismo e egoismo total, tao disseminados no “mercado” e no mundo empresarial, e no mundo dos idiotas (que em grego antigo significa “aquele que so’ pensa em seus interesses pessoais, egoistas”); aqueles que vivem de acordo com a lei do Gerson, ou seja, “cada um pra si, e o diabo pra todo mundo”. Daqueles que, como Margareth Thatcher, pensam (mas que nao teem a mesma coragem de dizer) que “a sociedade nao existe; o que existe sao apenas os individuos e suas familias.”

      Como se ve, um conflito entre aqueles que procuram “amar o proximo como a si mesmo”; e aqueles que fazem exatamente o contrario. Alguem versado nos evangelhos, sem hipocrisia ou compreensao vulgar, distorcida pela falsa consciencia, poderia ate’ dizer que estamos diante de uma batalha entre o Cristo e o Anti-Cristo – entendendo-se por Cristo, nesse caso, uma racionalidade, uma logica baseada no interesse publico e social; uma logica fundada na fraternidade, na justica, e na solidariedade, no amor enfim. E, o seu contrario, aqueles que dizem nao a esta logica e a esta racionalidade, e tentam, de todas as maneiras, suprimi-la.

      1. Muito bons os posts de João de Paiva e João Pereira. O Paiva sempre faz análises criticas impecáveis e muito bem fundamentadas. O Pereira nunca tinha lido, mas tem a mesma lógica e coerência. 11Concordo com os dois e agradeço poder ler gente inteligente, sensível e super afinada com a realidade dos fatos.

  7. Acredito que as Forças Armadas não deveriam se envolver em problemas criados pelos próprios governos do RJ, fica cada vez mais evidente que o povo Carioca é contra a intervenção e a favor da bandidagem, levar tiro ou ser assaltado no RJ, já faz parte da rotina de um povo. As Forças Armadas da última vez que tirou o país das mãos dos que se diziam lutar pela “democracia” acabou por levar a pecha de Ditadores sanguinários, e os que explodiam bancos, sequestravam autoridades estrangeiras e desgolavam inocentes saíram como heróis em uma históriacontada apenas por um lado.

  8. Uma covardia o que estão fazendo com o Exército brasileiro. Estão tentando inseri-lo na bandidagem do governo para se valerem da respeitabilidade da instituição como respaldo ais maus feitos. Qualquer um com a inteligência de um reles suíno sabe que a ação militar redundará em fracasso. Eles não foram treinados para ação policial. Deixe-os agir de acordo com as suas funções precípuas e teremos milhares de guerrilheiros urbanis exterminados, que são esses agentes fo tráfico. Mas, como reagirão os defensores legais desses bandidos? Os cidadãos de bem apoiarão, mas, e os hipócritas? Sai dessa General, enquanti é tempo.

  9. Isto tudo não deixa de ser engraçado, os chefes de facções devem ficar irritados de ver; um Chefe da Polícia, Fernando Segovia, um General, Sérgio Etchegoyen, outro general, Braga Netto, que “recebem” e “obedecem” ordens dos maiores bandidos do momento, do vampirão e sua quadrilha. Transformaram os responsáveis pela segurança do país em “milícias”.
    Senhores, não foi para isso que vocês nasceram, façam jus as dores do parto de vossas mães.
    Parem de envergonhar a nação. Será que o preço vale a pena?
    FORA PEZÃO, FORA CRIVELLA !!!

  10. Sinceramente, muita coragem, dizer tudo isto aqui. ..Oro para que Deus vos proteja. O fato, é que , muitos de nós não nos sentimos seguros para isto, o que é um termômetro da confiança da nação em nossos representantes. Isto deveria vitalizar., mas, nosso povo é vítima do imediatismo., da mentira, do circo. ….da novela lavadora de consciências. ……mas, acho que vocês, valorosos e corajosos devem insistir. …..água mole em pedra dura tanto bate até que fura.

  11. Sem dúvida essa intervenção foi “abastecida” com informações da ABIN (olha o SNI de roupa nova!).
    Se o Presidente Lula não tivesse demitido o grande Delegado Paulo Lacerda da Abin, atendendo um pedido (ordem?) de um gilmar mendes da vida, o PT e a Dilma saberiam que as ‘jornadas de Junho de 2013’ não eram só por R$0,20…….

  12. Muita calma nesta hora. As primeiras notícias mais precisas dão conta de algum cuidado com a legalidade na ação repressiva ao tráfico no RJ, inicialmente. Há também, ao que parece, a indicação de uma conceituação preliminar das formas de ação nas áreas sob domínio dos criminosos.Talvez haja nesses indícios iniciais a demonstração das lições proporcionadas por todas as intervenções anteriores.
    Por outro lado, não obstante o barulho que se espera da mídia, notadamente da Globo, não devemos esquecer a formação do novo Ministério da Segurança Interna, cujo foco de atuação inaugural parece ser os milhares de venezuelanos acampados na capital de Roraima. Afastar aquela gente ali reunida sob os impulsos os mais diversos, muitos deles perigosos à integridade do Brasil, é medida sábia de origem claramente militar. Com efeito, é preciso impedir a formação de bolsões de contra-revolucionários venezuelanos ao longo de nossa fronteira com aquele país, pois, a ação combinada de brasileiros traidores, de venezuelanos criminosos e do governo norte-americano poderia criar uma situação como a que favoreceu os contras nicaraguenses, há alguns anos.

  13. Essa intervenção militar, que afronta o bom senso devido em uma Democracia. deixa claro que caiu o véu, ficando à mostra o apoio, não de adesão mais de participação desde os idos de 2014, quando a Comandante das Forças Armadas era desestabilizada pelos golpistas, que conspiravam às claras, instigados pela mídia. O golpe em seu atual desdobramento, até aqui sem apoio popular, tendo um títere de fachada, sem condições de entregar a outra (o pré-sal já está entregue e a Petrobras está descaracterizada como empresa estatal para servir o Pais e seu povo, na autossuficiência em energia sob controle dos brasileiros) principal demanda com se compromissaram atender, a Reforma da Previdência, procura um meio de continuar a patranha até 2018, sem que sejam obrigados a romper com algumas prerrogativas democráticas, querem pousar de democratas, sendo que muitas já foram jogadas no lixo: presunção da inocência; prisão somente após o trânsito em julgado; as prisões cautelares indefinidas, na realidade um pagamento antecipado de pena, representando tortura moral dos presos, ameaçados por penas que nem aos maiores facínoras são aplicadas, induzindo que os mesmos dedurem um adversário do golpe Agora, se nada de imprevisto acontecer, que está difícil porque o Congresso na maioria já se mostrou golpista e a Justiça, também golpista, julgará como é da Democracia os recursos porventura interpostos. O golpe de 2016 não terá mais opção, ou consuma-se numa ditadura sem disfarces, se tiver forças políticas e apoio para tanto, ou enfrentarão o povo e a oposição, numa eleição que dificilmente ganhará, ou levará o país para desvios nunca trilhados. Ainda há tempo para correções, já que por enquanto só os mais pobres, inclusive estratos da classe média e miseráveis estão no desespero procurando uma saída. A agudização da crise econômica, que junto com a mídia os golpistas procuram esconder, num ambiente de disputa eleitoral, poderá aumentar o nível de insatisfação, já que o Governo está enredado nas próprias limitações que criou, sem recursos para ousar. Basta ver o mundo real e não o de desejo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *