Se o Estadão está certo, a cachaça da vitória fez mal ao bolsonarismo

O Estadão publica, agora à tarde, o que diz ser o rascunho da reforma previdenciária urdida pelo Ministério da Fazenda.

E o que ela contém é explosivo: idade mínima de 65 anos para homens e mulheres, obrigatórios, independente do tempo de contribuição.

Não há notícia sobre regra de transição, o que não é desejado pela Fazenda, par ter efeitos rápidos.

Mínimo de 40 anos de contribuição (o que, na prática, representa uns 45 anos de atividade)  para ter direito ao valor integral do benefício, mesmo com a redução que hoje já tem.

Idosos de baixa renda receberão menos que o mínimo: “pessoas que comprovem estar em condição de “miserabilidade” terão assegurada uma renda mínima de R$ 500, quando tiverem 55 anos ou mais, ou R$ 750, caso tenham mais de 65 anos. Pessoas acima de 70 anos e com dez anos de contribuição terão assegurada uma prestação extra de R$ 150.”

A dose é cavalar e não há possibilidade de que os parlamentares as aceitem a seco.

É possível que a turma do Planalto esteja embriagada com a vitória de Davi Acolumbre e ache que “tá tudo dominado”, mas é improvável que a maioria dos deputados queira aderir de cara a uma reforma que passou do impopular para o cruel.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

24 respostas

    1. Não sei. Parece que o brasileiro aderiu ao derrotismo total e aceita tudo calado. Vai ver é resultado da indigência mental que impera nos bancos de igrejas. Quem acredita em papo de Edir Macedo e “padres cantores”, aceita qualquer coisa.

    2. como os bolsonazi atingem o expressivo numero de 57 milhões de eleitores, espero que os outros 150 milhões acordem. pq os bolsonazi estão hipnotizados, não adianta argumentar nada. não tem como mostrar que trocaram um ladrão por outro.

    3. Só quando começarem a viver na miséria mesmo …
      As mudanças nas leis, eles só irão reclamar a hora que fizer efeito no bolso… o que pode demorar um pouco (e ainda culpar o Lula /Dilma)

    4. Do tal “povo”, já sabemos. Quem precisa acordar são as “lideranças” (parlamentares, de ONG’s, religiosos progressistas), que, muito comodamente, ainda dormem.

      1. minha cara, enquanto o povo – principalmente os que elegeram o traste – ainda estiver achando que tudo vai melhorar, as lideranças não podem fazer muita coisa,

  1. Ano que vem teremos eleições municipais… Uma reforma dessas só passa se Mourão rasgar a fantasia e assumir seu lado “Pinochet” de vez, fechando o Congresso. ????????????

    1. Viviane,
      Não precisa fechar o Congresso.
      Se a campanha antiPT antiEsquerda continuar (e vai continuar) o linchamento será regra.
      Eles já aprenderam como encurralar a esquerda.
      Fizeram em 2016, deu certo. Repetiram em 2018. Deu certo.
      Vão fazer de novo. Com fraude, com tudo.

      1. Concordo com você, mas isso pode não ser suficiente para aprovar a reforma na Previdência. Afinal, como escrevi no primeiro comentário, políticos de direita também dependem do eleitorado.

    2. Nada desprezível esta hipótese, Viviane. Até porquê o überministro Guedes tem experiência pessoal com isto, de quando era aluno da famigerada Chicago University, na mesma época em que esta participou da montagem e exercício do Ministério da Economia do golpe militar chileno. Mas acho que por aqui será mais simples, pois há um facilitador fantástico, a nossa mídia venal e oligárquica. Um bombardeio maciço de repetições “esta reforma é necessária” na TV de sinal aberto, com ou sem um silêncio cúmplice quanto ao silenciamento de algumas vozes de oposição, e tudo está feito sem disparar um tiro; pelo menos, visível aos olhos do mundo. Talvez mais perigoso a este respeito sejam os Botolini, que entre outras “virtudes” tendem a ser truculentos até onde não precisaria. O vice falastrão sabe que se deve atirar apenas se necessário. O problema são os trombadinhas com uma arma na mão, alucinados e loucos para usá-la. O risco sempre está nos principiantes…

  2. De certa forma (eu sei, é errado desejar o mal), penso se não seria bom que essa proposta desastrosa chegasse perto de ser aprovada. Que esses idiotas, acéfalos, preconceituosos, etc… se vissem na eminência de serem prejudicados diretamente. Porquê a maioria desses idiotas que votaram no Bolsoasno não são ricos. O medo de serem atingidos diretamente pelas ideias “liberais”, talvez os tirassem desse “espírito de corno”, pois estão vendo os absurdos, mas não querem enxergar. Parece que fazem força para não se render às inúmeras evidências que esse (des)governo, quer escravizar novamente os pobres e garantir “direitos” para empresários, latifundiários, militares e outras castas. Quase ninguém dessa corja de novos deputados do MBL, Frota, Joice, Kim, etc… fala de tirar privilégios das castas do Brasil (juízes/promotores: 60 dias de férias por ano, militares: 30 anos de serviço, com aposentadoria integral e por ai vai), mas querem que o servente de pedreiro trabalhe até os 65 anos. E para gerar emprego? NADA, nem uma proposta. Mas o circo dos horrores continua, com a ladainha de corrupção “para a esquerda” e “perdão para os amigos não comunistas”. Dá ou não dá vontade de que se lasquem?

  3. Agora faz sentido acabar com a presunção de inocência e enquadrar movimentos organizados como terrorismo…
    Quero ver os patriotas continuarem achando “direitos” coisa de comunista

  4. Perderam a noção na hora do voto e agora afundam junto mas não assumem a cagada…… é vergonha demais!

  5. Esses canalhas já estão em sua maioria aposentados acima do teto da previdência, muitos militares acumulando renda, reformados pelo exercito, agora ministros etc.. como é o caso desse tal mito… E nós pobres mortais submetidos a esse estupro previdenciário.

  6. vamu ver se alguém desperta da eterna sonolência agora q a vaca começou a se encaminhar para o brejo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.