“Minions” penduram faixas contra Mourão e Heleno junto ao Palácio

Aquele site impublicável, que merecia o nome de O Bolsonarista – embora logo possa ser rebatizado de O militarista – publica que “manifestantes bolsonaristas colocaram duas faixas na frente do Palácio do Planalto, contra Hamilton Mourão e Augusto Heleno”.

Resta saber se é obra de alucinados ou de provocadores. O que não é o mesmo, pero es igual.

E lembrar que ninguém põe fogo quando não há o que queimar.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

41 respostas

  1. O simples fato de Olavo de Carvalho ter escolhido para morar nos EUA o estado da Virgínia, já diz muito sobre ele.

      1. Estado sulista, sua capital (Richmond) é conhecida por ter sido a capital dos estados confederados na Guerra Civil Americana, e é tradicionalmente eleitor de republicanos.

        Seu atual governador, embora do Partido Democrata, está metido num escândalo acusado de racismo. Houve fatos recentes de conflitos de rua causados por supremacistas brancos, e por aí vai.

        1. caramba, ele escolheu o lugar certo pra ele mesmo

          grata pela resposta
          sou completamente anarfa desse assunto

          abraços

          1. Coisas recorrentes na história deste estado. Vi uma foto da década de 60 em que integrantes do partido nazista constrangiam clientes em lojas (brancos) com cartazes racistas.

  2. Não se esqueçam da guerra híbrida, com informação e contra-informação, para confundir os adversários. Bozo, os comparsas dele e o general cafuso são faces da mesma moeda. Lembrem-se de Brizola, antes de opinar sobre quem a Globo apóia. Enquanto isso, o torquemada estupra e defeca sobre a CF/1988 e o desmonte e saque têm largas avenidas abertas, com STF e Congresso montados pelo generalato golpista, vira-lata e entreguista.

    1. Em tempo, já que os EUA são tão preocupados com democracia, porque eles não dão uma mãozinha àqueles países da África Central que só têm areia?

        1. Calma, calma…se a Arábia for uma democracia, ótimo, mas se eles são aliados dos EUA e entregam os recursos que eles querem mesmo com uma ditadura…who cares?

          1. O fato é que aos EUA pouco importa se se trata de democracia ou ditadura, mas que sirva a seus interesses!

          2. Perfeito, e essa aula de história os bolsominions e globotomizados ignoram.

    2. Perfeito comentário. Guerra de gritos, aparências e prestidigitações. E é exatamente pelas regras dessa guerra que Lula não pode sequer ser fotografado. É uma guerra de imagens, e Lula foi NEUTRALIZADO. tem ideia do poder que seria uma foto dele chorando sob o cauxão do irmão? Os FdP sabem disso, por isso se cagam de medo de dar a menor chance do Homem aparecer. Temos que colocar Lula de novo no centro das atenções – ou vamos ficar falando de Bolsonaro?

        1. 80% da luta estaria resolvida se Lula não tivesse dados ouvidos ao “legalismo” do Zé Cardoso e tivesse ido a uma embaixada.

    3. A verdade é que votaram realmente no capitão. Mas ainda não tiveram a oportunidade de saber quem é ele, o capitão. Enquanto estiver doente, o capitão é herói mítico. Governando, será paulatina e irremediavelmente reduzido ao que realmente é, uma mistificação exacerbada do que existe de mais medíocre no país. Quando isso pouco a pouco se for revelando, vai trazendo para a classe média a sensação de que foi enganada mais uma vez, e dessa vez em condições miseravelmente ridículas. E para os fanáticos seguidores e “admiradores” do capitão, causar a mais profunda decepção, a ponto de obrigá-los a sair do transe para um reencontro cruel com a dura realidade.

      Mas se a fatalidade colher o capitão antes que seus seguidores tenham clara ciência de quem ele é, há uma remota possibilidade de que venha a ser sebastianizado, transformando-se em mito de verdade para uma pequena legião de bolsonarianos que exigirão do sucessor fidelidade absoluta a seu mito, talvez através de bulas baixadas pelo sumo sacerdote olaviano. Se o vice assumir agora o poder, eles considerarão isso uma usurpação, mesmo que ele seja da linha dura do Exército. Não obstante, boa parte de sua mistificação seria desvendada post mortem, enterrando definitivamente sua figura na lixeira do esquecimento.

      A ideologia bolsonariana é uma mistura de surrealismo escatológico (de fim do mundo) com feitorialismo* colonizado. Sua condução do país sob sua nova condição de nação dominada e em parte ocupada (verticalmente, não geograficamente), tende a causar irritação profunda nos novos colonizadores, por constantemente submeter a governança de seu oneroso golpe de estado ao ridículo e ao racionalmente inviável. O golpe de estado no Brasil fazia parte de um plano mais amplo de dominação de todo o continente, e abriu a necessária passagem para que os novos colonizadores se defrontarem cara a cara com o gol, isto é, com a Venezuela, último bastião da resistência latina ao grande plano de dominação neo-colonial do continente sulamericano. Para a dominação, foi necessário aos dominadores usar e abusar da mentira e do absurdo. Mas para governar os dominados, o absurdo não só atrapalha, como é perigoso porque pode fazer o povo acordar com tanto desmazelo. Por isso, os Masters of the Universe talvez tenham de se livrar do absurdo, para que sua nova colônia ganhe condições estáveis e racionais de ser sugada economicamente.

      Haverá uma fratura dentro da fratura, e os radicais do radicalismo vão exigir que o novo governante seja contra a Revolução Francesa, contra o ensino público livre e reverenciem a Goiabeira Sagrada, o que vai fazer com que os democratas sensatos venham a apoiar o militarismo, por ser aparentemente o menos danoso, mesmo com sua aceitação insuportável das exigências dos ocupantes. Por incrível que pareça, tudo ainda estaria dentro do marco de uma “democracia” ainda que meia boca, apostando na mídia empresarial que mantém olhos fechados da população que dorme inocente. A doença do mito vai manter o país em banho-maria até que surjam condições de um governança estável, seja ela militar ou bolsonariana. Guedes não conseguirá levar nas costas o peso do aprofundamento de reformas neoliberais sem o amparo presencial do chefão, e elas vão esperar por melhor definição do poder.

      (*) Feitorialismo: Vem de feitor. Filosofia de lealdade canina ao patrão, e de tratamento cruel e impiedoso para com o trabalhador escravizado da base da pirâmide social de onde ele mesmo, o feitor, é oriundo.

      1. Caso uma fatalidade o leve de forma prematura, cito uma frase que não é minha (fico devendo o crédito ao autor), mas que concordo plenamente:

        “Mais vale um santo morto que um capeta vivo”.

      2. Excelente comentario. Dessa vez não há sutilezas – com Trump, a América é dos ianques. Ponto. Morra quem ficar no caminho. Cada caudilhozinho cucaracha tem seu preço tatuado na testa, com exceção d Bolsonaro, que por questões quase sexuais faz de graça… Nossa única chance a curto prazo é uma intervenção russa ou chinesa.

        1. Interessante notar a diferença entre “globalização” e “globalismo” (este último condenado – pelo Trump, Olavo de Carvalho e o “nosso” chanceler da Terra plana).

          Globalização: algo que era muito saudado (inclusive pela nossa mídia), quando o poder econômico estava no eixo EUA-Europa Ocidental.

          Quando o poder começou-se a deslocar em direção aos BRICS – particularmente a China, a segunda maior economia do mundo, injetando capital em tudo que é lado, a palavra “globalização” transmutou-se em “globalismo”. Em tempo, a Índia muito provavelmente ultrapassou o PIB da Inglaterra (em dólares) ano passado.

      3. Uma questão central, que poucos percebem, é a seguinte:
        – Os criminosos do clã Bozo têm grande apoio entre a “tigrada”, ou seja, entre os baixos escalões das polícias e FFAA, assim como em vastos setores do sistema judiciário. A cúpula das FFAA, por meio do generalato golpista, tenta, em parceria com o PIG/PPV, enquadrar o clã Bozo e desmoralizá-lo. Mas no que tange ao saque, à rapina, ao desmonte e ao entreguismo, assim como ao uso da violência contra os que denunciam e lutam contra o golpe de Estado, é certo que há uma sintonia fina entre os operadores locais do golpe e o alto comando internacional, que são o Deep State estadunidense, finança transnacional e oligarquias improdutivas. O general cafuso é apenas a outra face dos Bozo e fará tão mal, senão mais, ao Pais e aos brasileiros pobres, trabalhadores, explorados e excluídos. Não há como escolher entre o clã criminoso e os generais vira-latas entreguistas; todos eles devem ser derrubados, presos, processados e condenados pelos crimes que cometem contra a soberania nacional e contra os cidadãos.

    4. Engraçado que os coxinhas diziam que a culpa do Golpe era do PT, porque o Temer estava na chapa, mas agora dizem que não votaram no Mourão, esse pessoal tem sérios transtornos psiquiátrico.

  3. dei risada só de ver (rapidamente) a notificação, e corri pra ver direito

    mas tá ficando bem interessante isso
    o cabará tá mesmo pegando fogo né?
    eitaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    já li porraí que temos que orar pelo presidento, fo-deus que colou ele lá, e ele fará grandes mudanças… e no ungido ninguém encosta amão.. etc etc etc etc etc (ora bolas – se fo-deus, porque raios temos que orar?, mas aí já é querer explicação D+ de quem mal sabe pensar)

    1. Em 1985, quando da morte de Tancredo, Fafá de Belém cantou o Hino Nacional.

      Caso aconteça algo, quem cantará dessa vez? O Lobão ou o Roger?

      1. Eu voto no Lobão, pelo seu estilo roqueiro esquizofrênico…..bem ao estilo do atual presidente.

      2. Lobão. Mas com o sangue tomado por quimica alienígena, vanusará e não passsará da terceira estrofe.

        1. Ele irá cantar: …e o sol da liberdade em raios “sújidos” brilhou no céu da pátria nesse instante…

    2. Já li muitas vezes também que temos que torcer pelo Brasil.

      Mas convenhamos, torcer para que o Brasil dê certo com Boçal Nato é mais ou menos como torcer para que o Íbis Sport Club se classifique sucessivamente e vença o Mundial de Futebol.

      1. ppis é

        estamos torcendo pelo Brasil – o “sucesso” do traste seria um desatre

      2. Não há porque “torcer” pelo Brasil. Decobri agora, já quase com 4 décadas nas costas, que nosso problema é estrutural: nascemos da relação bastarda entre o colonialismo e o feudalismo, e nunca nos tratamos dessa doença, que tem cura (chama-se democracia). E mesmo que tivessemos nos submetido a uma terapia de dhoque em algum passado recente, note que não houve nem na Campanha, nem no planejamento de Governo e nem haverá na execuçao um mísero passo em aumentar o poder economico de ninguém que seja mais pobre que um pequeno banqueiro. Não existe a mais minima possibilidade de um Governo dar certo apenas tirando de quem já tem pouco. É mais fácil um Governo desses acabar pendurado na ponta de uma corda.

  4. Fake news, coisa armada pra tentar transmitir uma mensagem diferente da realidade aos menos informados. O general Mourão será presidente em breve, a travessia efetuada por Bolsonaro está completa, a cabeça de praia está consolidada, é hora do avanço das saúvas verdes. Fim da democracia, do nacionalismo, do respeito ao povo.

  5. É esse tipo de reação dos seguidores que os integrantes do governo ainda não conseguiram avaliar as consequências. Bastou um único boletim médico sem propaganda, mais técnico para aparecerem duas faixas de protesto. Imaginem se o Bozo tiver que sair de cena por um período mais longo.

  6. Fernando, embora as duas faixas abordem o mesmo assunto, a batata do Bozo pode estar sendo assada, elas usam linguagem diferentes.
    A de fundo preto ironiza o GSI que, a princípio, deve agir para evitar crises dentro do Palácio do Planalto. Faz uma pergunta coerente com o aprofundamento do golpe, afinal o Boso não era o candidato dos poderosos. E tem o “Plim plim”, uma clara alusão ao papel da rede bobo na provável derrubada do capitão.
    A faixa de fundo branca é agressiva e típica de bolsomínions.
    Uma provoca debate, a outra silencia o debate.
    O que vocês pensa!!! As duas são de bolsomínions???

  7. A hipocrisia abunda nessa raça. Para eles, nós votamos no temer, mas eles não votaram no mourão. ???????

  8. Mas estes cretinos não cansavam de repetir que, “quem votou na Dilma votou no Temer”, o que é uma coisa logica, e agora, não vale? Boçais!!
    Vai Mourão, de uma rasteira neste Bobão!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *