Sem dinheiro não há ciência. Sem ciência, não há país.

corteciencia

Nos meus tempos de universidade, meus colegas do movimento estudantil da Escola de Engenharia da UFRJ usavam a frase “Sem dinheiro, não se forma engenheiro” para protestar contra a falta de verbas para custear cursos que, obvio, não podem ser mantidos à base do “cuspe e giz”.

Hoje, “o buraco é mais em cima”, também. O gráfico do post , com dados publicados pela prestigiada revista científica Nature  mostra como vêm secando as fontes de financiamento de pesquisas científicas.

Por isso, várias entidades de professores de universidades e a própria Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência iniciaram a campanha  Conhecimento Sem Cortes para buscar o apoio da sociedade para reverter o cenário de desmonte das instituições de pesquisa por consequência das reduções do orçamento.

Sobre o tema, a revista da Federação Nacional dos Engenheiros – Fisenge – publicou ontem uma reportagem, da qual transcrevo um trecho:

A saída de cientistas e pesquisadores do país representa uma enorme ameaça à produção nacional do conhecimento. Em entrevista à Fisenge a Presidente de Honra da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Helena Naider, afirmou que conhecimento significa hoje desenvolvimento econômico e social. “Significa produção de riqueza, ou seja, lucro para as empresas, salário para os trabalhadores e impostos para o governo; significa garantir a qualidade de vida das pessoas”. Para Helena, a principal fonte de sustentação de uma economia está no desenvolvimento e aplicação do conhecimento científico e tecnológico. “O mundo vive hoje a economia do conhecimento”, completa.

De acordo com o ex-Ministro de C&T, Clélio Campolina, ciência e tecnologia são fundamentais para um projeto de desenvolvimento nacional. Para ele é necessário não apenas apoiar e incentivar a produção científica, mas também “fazer a ponte da produção científica com as políticas públicas e sistema produtivo”. Agamenon Oliveira aponta que a ciência está diretamente ligada com a própria tecnologia. Isso quer dizer que as tecnologias são, em grande parte, aplicações de conhecimento científico. “O próprio desenvolvimento da ciência fertiliza o desenvolvimento tecnológico”, explica.

Campolina acredita que a engenharia possui um papel central na construção de um projeto de desenvolvimento. De acordo com ele, “toda a base material depende do avanço da C&T, e a engenharia é a instância que operacionaliza concretamente todo esse avanço científico e tecnológico do ponto de vista produtivo”.

Agamenon Oliveira (diretor do Sindicato dos Engenheiros do Estado do Rio de Janeiro) aponta os trabalhos realizados pela Petrobras e importantes centros de pesquisa, como, por exemplo, o Instituto Luiz Alberto Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe) da UFRJ. “Somos hoje liderança na área de petróleo e gás e isso é um reflexo de investimento em C&T”, afirma. Os trabalhos realizados pela Petrobras e institutos de pesquisa se tornaram referências mundiais e são, segundo o engenheiro, fundamentais para o desenvolvimento na área. O ex-ministro Campolina enfatiza que o Brasil mostrou competência científica e tecnológica em relação ao petróleo, que deveria ser uma prioridade social.

De acordo com Helena, mesmo a geração de produtos primários exige, hoje, a participação intensa da ciência e da tecnologia. A professora cita como exemplo o crescimento da produção brasileira em alimentos, resultado do trabalho da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), juntamente com as faculdades de agronomia, zootecnia e veterinária. “Há trinta anos, importávamos alimentos; hoje, somos um dos maiores produtores e exportadores mundiais”, aponta. Ainda para a professora, o governo está cometendo o equívoco de considerar educação e ciência, tecnologia e inovação como despesas, e não como investimentos. Ao limitar bruscamente os investimentos em ciência, o governo joga o Brasil para o retrocesso econômico e social.

Desde que os cortes se intensificaram, a situação se alarma em universidades, laboratórios e centros de pesquisa espalhados pelo país. A crise na ciência pode ser percebida em nível nacional com redução do quadro de bolsas, liberação de recursos a conta gotas, sucateamento de laboratórios e até mesmo projetos já aprovados estão tendo seus orçamentos reduzidos.(…)

A existência de um sistema dinâmico e robusto de geração de ciência, tecnologia e inovação é, para Helena Naider, um traço que caracteriza os países desenvolvidos, juntamente com um sistema educacional eficiente e universal. A professora enfatiza que as atuais medidas distanciam o Brasil desses países, que investem cada vez mais em C&T. Ela afirma, ainda, que a brusca limitação de investimentos afeta a dignidade dos pesquisadores: “seremos impedidos de trabalhar com um mínimo de condições e com certeza olhados com comiseração e pena pelos cientistas de todo o mundo”.

Helena menciona o caso da China, que, diante de uma crise econômica, optou pelo incentivo à C&T, entendendo ser esta uma plataforma importante para alavancar a economia do país. De acordo com Agamenon, empresas chinesas estão bastante interessadas na compra de ativos brasileiros, especialmente nos setores de energia, transporte e agronegócio. “As empresas chinesas têm um interesse estratégico na região [norte/nordeste], buscando montar um enclave que ameaça a soberania nacional”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

15 respostas

  1. Como o tempo que vivemos são das trevas, do ocultismo, da ignorância, do preconceito e do fascismo, voltamos ao tempo da inquisição ( tribunal de Curitiba) onde se iniciou a caça as bruxas (todos que fossem ligados ao PT), nada mais natural que reprimir ou mesmo acabar com as verbas para ciência, para novas descobertas, que significa um risco para os paradigmas já formados, tal qual era na idade média. Hoje no Brasil qualquer vento favorável a esquerda tenta-se suprimir, assim a subida de Lula nas pesquisas ( que foi boicotada na mídia) fez com que a bolsa de valores caísse, pois o mercado não convive com a democracia, nem ele nem a Globo e nem o judiciário.

  2. Ciência pra que???

    1-Estamos doando toda a engenharia nacional… só precisaremos de técnicos e do pessoal da limpeza nas filiais das multinacionais que vão vir pro Brasil buscando mão de obra barata. A parte de desenvolvimento sempre ficará nos USA e Europa… os bonzões.

    2-Pesquisa em saúde pra que??? Afinal os laboratórios particulares estão 100% interessados na saúde do povo… eles sabem o que é melhor pra gente. E os planos de Saúde sempre vão prover a melhor medicina que existe… já atingimos a perfeição… deixa os outros países trouxas pesquisarem pra gente.

    3-Tecnologia pra que??? A gente compra tudo pronto dos otário da Europa e USA… em troca eles levam nossas Petróleo, Nióbio, Ouro, Diamante, Minério… e mesmo assim a dívida só cresce… esses otáaaaarios!!!

    4-Universidade pra que??? Isso é Fábrica de Comunista. Prefiro que abram uma nova igreja Pentecostal!!! Lá eu aprendo sobre a Terra Plana e sobre a importância do dízimo.

  3. Os ianques precisam encontrar uma fonte de mão de obra semi-escrava e meramente braçal ou técnica como opção à ásia e sudeste asiático ou quaisquer outros locais. O México não tem condições de suprir toda esta necessidade. Tomar a América do Sul e mantê-la no atraso tecnológico é um ótimo negócio para os EUA. Além da fartura de mão de obra barata, há também fartura em riquezas minerais, biológicas, muita terra cultivável, muita água. Tudo aqui, pertinho deles e com um povo tão burro que nem é preciso promover guerras, como as que os bandidos ianques fazem em outras partes do mundo. É por isto que os vermes colaboracionistas, por burrice ou em troca de migalhas, provocam nojo.

  4. O pior é que esta grana que falta está indo acolchoar o bolso de especulador financeiro…

  5. A única engenharia que importa para os golpistas e a elite financeira é a engenharia social.
    Nisso eles são bons. Já provaram.

    1. Um colega me dizia outro dia que a elite financeira golpista só sabe calcular juros e nada mais.
      O que é suficiente para eles encher os bolsos de dinheiro as custas da destruição do pais.

  6. … E sem água não há vida!…
    Sobre mais uma insanidade/desumanidade perpetrada pelo Demônio MT do CUnha do Mineirinho et caterva!

    ***

    TEMER QUER ACABAR COM O PROGRAMA DE CISTERNAS, PREMIADO MUNDIALMENTE

    Depois de acabar com a Farmácia Popular e com o Bolsa Atleta, Michel Temer desfere agora ataque contra a população do semiárido nordestino; na proposta de Orçamento para 2018, Temer reduziu em 92% os investimentos no Programa de Cisternas, reconhecido pela ONU com uma das políticas públicas mais adequadas para regiões em processo de desertificação; sem falar que o orçamento do programa para este ano, R$ 248,8 milhões, foi executado apenas 37%; criado em 2003 pelo ex-presidente Lula, o Programa Cisternas já possibilitou que cinco milhões de pessoas da região mais árida do Brasil tenham, ao lado de casa, água potável para consumo humano

    20 DE SETEMBRO DE 2017 ÀS 16:34

    (…)

    FONTE [LÍMPIDA!]: https://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/318271/Temer-quer-acabar-com-o-programa-de-cisternas-premiado-mundialmente.htm

  7. Os que mandam no congresso são a bancada da bala, do beef, e da bíblia.
    Quem sabe depois das próximas eleições tenhamos chances de recuperar um pouquinho da ciência e tecnologia. Isso se o nível político e intelectual dos parlamentares em uma renovação subir pelo menos uns 1000% em média.
    O que com a atual conjuntura do pais e a farta disseminação de idiotices pelo complexo midiático torna a atual e requerida mudança algo muito improvável.

  8. a culpa é do Lula. Jogou tanto dinheiro nesse setor que começaram a esbanjar, até aluno reprovada tinha bolsa, e agora quando a grana é apenas o que precisa, ficam chorando

  9. É PURA VINGANÇA DE TEMER E SEUS CÚMPLICES, COMO O NERVOSINHO, AÉCIO ZANGADO, LEMBRO O CHATO. SÓ VINGANÇA CONTRA A CLASSE TRABALHADORA E ASSEGURAR FUTURO DE MICHELZINHO E RESTO QUE SE LASQUE, É TUDO O QUE ELES QUEREM – PENSAM – PRATICAM – EXECUTAM TUDO DE PIOR COMO QUE EMPOBRECER, MINGUÁ, ARRASAR A CLASSE TRABALHADORA, COM ISSO EXTERMINAR O PT, VOLTAR A VELHA PRÁTICA DE MASSA DE MANOBRA. E AMEAÇAS DE DEMISSÃO POR DESOBEDIÊNCIA. MANTER OS TRABALHADORES NA RÉDEA CURTA. PORTANTO. LULA NELES – PT NELES O EXERCITO DO PT NELES

  10. Sem um vasto ecossistema composto por indústrias das mais diversas áreas ,genuinamente nacionais e nacionalistas(made in brasil), não haverá espaço para o crescimento sustentável de ciência e tecnologia.

  11. As universidades detém um certo monopólio, não saudável, nas áreas de ciência e tecnologia. Você tem que se formar, fazer mestrado, doutorado, comer o pão que o diabo amassou – além de se dedicar aos estudos, estar afinado com as políticas e como o corporativismo velado e tóxico, jogos políticos, passar em um famigerado concurso público para então fazer parte de um grupinho de pesquisa de umas 5 a 10 pessoas e olha lá. 3 ou 4 as vezes e até menos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.