Semana que vem, os EUA serão a Itália

Não é uma “adivinhação”.

Já há conhecimento e número suficiente de casos no mundo para projetar, com bastante certeza.

É é isso o que fez John Burn-Murdoch, jornalista de dados do Financial Times, comparando a evolução da taxa de evolução do número de casos em cada país.

É nítido que a taxa nos EUA tem crescimento maior do que de qualquer outro país.

Observe o gráfico pelas curvas, atentando para os ângulos de cada linha, não pelos registros numéricos, porque estes variam de acordo com a população e isso vai distorcer o entendimento.

Nada difícil projetar o que será em alguns dias e, como não há – ao contrário do que promete todos os dias o sr. Donald Trump – vacina ou medicação segura contra o novo coronavírus nem estratégias de contenção diferentes das que foram tomadas, é evidente que não há fator algum que possa evitar a repetição do crescimento observado na Europa.

O gráfico mostra ainda que os bloqueios e o comportamento das populações de países asiáticos (China, Coreia do Sul, Japão e as cidades-estado Hong Kong e Singapura) ajudou a obter o tal “achatamento da curva”, que países europeus não conseguiram, ainda.

Isso é a chave para conter a epidemia e tudo e todos que se opuserem a isso, neste momento, acabam por produzir o descontrole em vários países estão metidos.

Os que tratam (ou trataram ) isso como fantasia, como o presidente brasileiro e seu guru norte-americano são cúmplices teste crime.

Clique aqui para ver a imagem em tamanho maior.

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

15 respostas

  1. O Trump anunciou um remédio para tratamento de lúpus como solução. No Brasil já tão esgotando nas farmácias, acho q o pessoal tá contando com isso.

  2. Eu acho que era inevitável que isso acontecesse. Quem conhece o pensamento dos povos orientais, sabe que lá é infinitamente mais fácil coordenar uma ação coletiva. Se o coronavírus ajudar a demolir Trump, Bolsonaro e toda a corja de extrema direita que assolou o ocidente, esse sofrimento não terá sido em vão.

    1. Morrerias, Antonio Passos, para tirar “Trump, Bolsonaro e toda a corja..”? Ou estás falando da morte dos outros?

  3. O fato da venda de armas e munições ter aumentado 300% nos Estados Unidos por conta da chegada da pandemia, e das filas se multiplicarem na frente das lojas de armas, diz tudo a respeito daquele país. Enquanto o mundo inteiro se desdobra em ações de solidariedade e de confiança nos esforços comunitários e das autoridades competentes, lá demonstram que só confiam em si mesmos, e pensam que poderão resolver sozinhos os saques que esperam acontecer se houver um caos generalizado.

  4. Sugiro o site Worldometers, com atualizações em tempo real. Lá tem a opção de ver gráficos na escala logarítmica. Assim, a inclinação da curva fica mais fácil de ver.

    1. E notem q a inclinação em fevereiro diminuiu bastante graças ao controle nos países asiáticos mas aumenta muito agora em março, qdo a propagação da doença atinge o ocidente com mais força.

  5. Esperem o estouro da Florida, onde 1/4 da população tem acima de 60 anos. Para piorar, são aposentados de estados ao norte do país e se aglomeram em condomínios que são ou somente de velhos ou predominantemente de velhos. É comum em muitos destes condominios terem um requisito de idade mínima para poderem residir (em geral 55 anos). Num estado que recebe muitos turistas, grande parte deles são jovens e propensos a serem infectados assintomáticos, isso é uma combinação terrível.
    Isto não é tudo, a medida mais arrojada até agora do governo do estado foi pedir que evitem aglomerações e que não frequentem as praias. O número de testes é mínimo. São mais de 400 casos confirmados, com quase uma centena de hospitalizados e 9 mortos até o momento.
    A inação do governador da Flórida (Ron DeSanctis) encontra contraste com a ação agressiva de contenção tomada pelo governador da Califonia (Gavin Newson) que determinou isolamento da população em suas casas por tempo indeterminado, no estado que tem 40 milhões de habitantes e em que os casos confirmados já passaram a marca de mil e são 19 mortos.
    Texas é o segundo estado mais populoso do país, tem mais de 300 casos confirmados e 5 mortos. Não tomaram ações agressivas enquanto é tempo. O número de testes é pouco superior a 2 mil.
    Em Nova Iorque a situação está ruim mas poderia ser pior se fossem comandadas pelo trumpismo – tanto o prefeito de Nova Iorque (Bill de Blasio) como o governador do estado (Andrew Cuomo) tem sido rápidos nas respostas.
    A chance de que tenhamos em áreas dos EUA repetição daquilo que ocorre no norte da Itália são reais. Duas medidas fundamentais (isolamento das pessoas em suas casas e testes em massa) não estão sendo adotadas na maioria do país. Testes em massa, em nenhum estado.
    Para exemplificar a importância destas duas medidas, mesmo no caos italiano, a cidade de Vo Euganeo, onde ocorreu a primeira morte pelo Covid-19 na Itália, parou tudo e testaram todos os 3,300 habitantes. Destes, 3% estavam infectados. Depois de 2 semanas de paralização eram 8 infectados e desde a semana passada não houveram novas infecções.

    1. Observar que, lá no meio do monte de linhas coloridas, a do Brasil (cinzenta) já está começando a “empinar papagaio” mais ou menos 7 dias após o 100º caso, algo que ocorreu na Itália a partir do dia 3, na Espanha do dia 6 e na China do dia 10.

  6. Já passou da hora de denunciar este cafajeste por crime contra a humanidade, ele e todos os seus comparsas feito o Edir Macedo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *