Sobreviveremos aos imbecis

Chega a ser caricato o que está se passando em nosso país e dominando o noticiário dos jornais.

Temos 12 milhões de desempregados, gente morrendo de fome, de tiro, de frio, tem garotos sendo despidos e chicoteados como o Negrinho do Pastoreio (há chatos que vão me achar racista por citar o nome da lenda), mortes por um sarampo redivivo, bolsas escolares que secam, gente que morre por homofobia, por feminicídio, uma economia que se afunda e uma floresta que arde e estamos discutindo se dois desenhos de rapazes se beijando. Será que são o que, de fato, o que ameaça as crianças brasileiras.

Ameaçam as crianças cariocas, especialmente, aqui na cidade onde a toda hora têm de se arrojar no chão das escolas próximas às favelas, para não serem atingidas pelos tiroteios provocados (ou aceitos) pela polícia de um governador que, estufando o paletó e uma ridícula faixa, faz questão de ir ao Sete de Setembro encarapitado num carro blindado, como o Macho Man do Grajaú?

Talvez, quem sabe, para disputar com o presidente que, à porta do Palácio, proclama-se “imbroxável”.

Dória vê sacanagem em educação sexual e e Crivella em dois bonecos se beijando: um manda queimar livros, outro manda envelopá-los. Será que farão o mesmo com os aparelhos de TV, já que a Band ressuscitou seu pornô na Tv aberta das madrugadas. semana passada, com a falecida Sylvia Kristel, a Emmanuele dos anos 70?

O que defende as famílias é trabalho, é educação, é dignidade, é tudo aquilo para o que não ligam estes sujeitos tarados, que “só pensam naquilo”. Não , não, “naquilo” para eles não é sexo, hetero ou homo, são os votos da estupidez, dos que aceitam que os problemas do Brasil são a corrupção, a devassidão e o binômio droga/bandidagem.

Isso, sim, é obsceno, não aquele ou qualquer outro desenho.

Eles apostaram na estupidificação da sociedade e agora não sabem lidar com o fato de que a estupidez tomou as rédeas deste processo.

Agora, cabe a eles exorcizarem os demônios que invocaram e não há forma de fazê-lo senão assumir compromisso com o estado de liberdades publicas que ajudaram a destruir.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

10 respostas

  1. Para mim, os maiores responsáveis pelo que está acontecendo no Brasil é a classe média, a verdadeira, que se acha mais próxima da elite que dos pobres.
    Eles têm cultura, ou pelo menos acesso à cultura e à informação, e são formadores de opinião das classes abaixo. Devem representar no máximo 20% da população. Mas os pobres e a classe média baixa não têm conhecimento, nem iniciativa, para fazer nada, se não tiverem a retaguarda da classe média verdadeira.
    Se esses coxinhas não sofressem do maldito complexo de casa grande e senzala, se não tivessem se deixado contaminar por um orgulho besta, se fossem pessoas menos egoístas e egocêntricas, se tivessem empatia por seus semelhantes e se tivessem, de verdade, um pingo de patriotismo, não teriam deixado o fascismo, a ignorância e a mediocridade tomar conta do Brasil.
    Não só deixaram isso acontecer, como não movem um dedo para consertar o que fizeram. Continuam tão orgulhosos como sempre. Talvez até queiram que as coisas voltem a ser como eram antes, mas não se dão conta que para isso acontecer é necessária a participação deles.
    Não sei onde isso vai dar, mas tenho certeza que essas pessoas vão ser vistas pela história da mesma forma como são vistos aqueles que apoiaram o nazismo, não só na Alemanha e nos países onde a guerra acontecia, mas no resto do mundo.

    1. nem silvio s nem edir m continuam na classe média mas são os maiores formadores de opimião e direcionadores de votos já se preparando prá eleição. Portanto ou paredão ou vamos continuar elegendo boçais e neros.

    2. Esta classe média de que você fala tem especificidades muito brasileiras, e vive entre o sonho de chegar à Casa Grande e o pesadelo de ser rebaixada à pobreza. Seus integrantes nunca entenderam que o estudo crítico da História os libertaria mais do que a psicanálise. Sua cultura se restringe ao básico turístico, e seu entusiasmo pseudo-cultural é cheio de lugares comuns frequentemente preparados por vigaristas. Em lugar de abrirem a alma para compreendê-los e admirá-los, sempre se sentiram inferiorizados pelos intelectuais e pelos artistas, daí sempre se escravizarem aos escribas de aluguel que mal traduzem este mundo do pensamento e da criatividade para que ele caiba em sua imbecilidade sem transformá-la. Desta vez, neste golpe de estado estranho e que parece não ter fim, encontraram os paladinos que, ao invés de tentarem libertá-los de sua estupidez, dignificaram sua estultice e exaltaram sua burrice como se fosse um troféu de superioridade, dando-lhes ousadia suficiente para trocar o bem pelo mal sem qualquer sentimento de culpa, e para desafiar pela barbárie não apenas as ciências e as artes, mas também os princípios mais básicos de vida em sociedade e as conquistas mais avançadas da civilização.

  2. Estes absurdos destes mandantes imbecis é para agradar 30% do eleitorado: os evangélicos. acho q nós os não imbecis devemos nos contrapôr o tempo todo a esta gente: os evangélicos. Isso se explica por um simples motivo o de que esta gente atua como uma colmeia de abelhas ou uma touceira de formigas. Há uma rainha q dita as normas e os demais apenas obedecem. Não há quetionamentos. Nãohá dúvidas. Não há discórdia, apenas execução das ordens.

    1. Perfeito Giovane, temos que eliminar as rainhas, como? É muito difícil. A religião é ópio do povo, como disse o filósofo Marx, é o que rege a vida das pessoas e é muito bem explorado por aqueles que dominam a arte de enganar as pessoas que, sem nenhum espírito crítico, se deixam enganar pelo sobrenatural explorado.

      1. Tenho dito há muito tempo que a maneira de lidar com o problema da imbecilização do povo praticado por estes religiosos, notadamente da religião evangélica neopentecostal, é a prática do “pertencimento”. Este pertencimento viria com a criação de espaços para debates, atividades culturais, científicas etc. Isto tudo se resumiria a um pouco de socialismo. Infelizmente, noto que a dita esquerda é tudo, menos socialista. Já propus a muitas pessoas, que conheço, a criação de tal espaço cultural. Mas é difícil convencê-los da necessidade de criar algo diferente, além de sair em manifestações nas ruas.

  3. Essas discussões viraram o bode na sala pra gente que defende abertamente a desigualdade posarem de defensores da sociedade. Podem latir a vontade pra defender as minorias, desde que promovam a venda do patrimônio público e a perda dos direitos previdenciários e trabalhistas.

  4. Esses imbecis FUNDAMENTALISTA prosperam em uma sociedade omissa e irresponsável, com uma parcela significativamente numérica, como a sociedade brasileira.

  5. Triste cenário de faroeste, de cerceamento, censura, constangimento, cortes, desmontes, entrega. A bandidagem resolveu que essa é a hora, a oportunidade pela qual esperavam há tanto tempo, para enriquecer de vez e gastar tudo o que possam amealhar no cenário de destruição em que o país está se transformando. Ou em Miami, é claro, onde tudo é lindo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *