Transportadoras devem R$ 52 bi em impostos. E não é no diesel

camestrada

Leandro Prazeres, do UOL, divulga cálculos da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional dando conta que as empresas transportadoras, principais estimuladoras da greve dos caminhoneiros, devem R$ 52 bilhões à União, dos quais R$ 46 bilhões são alvo de ações judiciais de execução fiscal e o restante, em torno de R$ 6 bilhões,são parcelamento de débitos e cobranças provisoriamente suspensas pela Justiça.

É dinheiro dos trabalhadores e grana que daria para bancar, por dois anos, um subsídio de 50 centavos por litro de óleo diesel.

Não se trata, claro, de impostos sobre o óleo diesel que move os caminhões, mas, na maioria,  de não recolhimentos da Previdência Social  e do FGTS dos caminhoneiros.

E isso sendo beneficiárias de uma política de desoneração tributária que reduz estas contribuições e que foi extinta, agora, para outros setores, mas não para as transportadoras.

Que, em muitos casos, além de apropriar-se do dinheiro que deveria se constituir em pecúlio para os empregados, também funcionam como atravessadores que ganham leoninamente por intermediar fretes para os motoristas autônomos.

Estes, sim, penam com uma margem de ganhos tão reduzida, por conta de fretes subvalorizados e combustível e pedágio nas alturas.

A política de reajustes cavalares feita por Pedro Parente na Petrobras é criminosa. Mas ela não é a única que merece este nome.

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

8 respostas

  1. E o careca de barba que se diz “líder” da Associação dos Caminhoneiros é filiado ao PSDB….Precisa desenhar?

  2. Se somarmos todos crimes cometidos e permitidos nos últimos dois anos pelos golpistas, teremos um butim que talvez só perca em tamanho, nos tempos modernos, ao desmonte caótico que sofreu a União Soviética quando de sua dissolução, em 1991. É obrigação do proximo governo progressista perseguir e punir esses crimnosos, sob pena de vermos tudo isso se repetir em muito breve.

  3. Eu tive uma ideia
    para comprar a gasolina que aumentou hoje 10%.

    Tira a panela do cu;

    E a venda!

    A i você vai ter $$
    pra por a gasolina no carro.

  4. para quem “acredita” piamente que é greve de caminhoneiros… qdo. no brasil TRABALHADOR parou por, pelo menos 10 dias ?
    os donos manipularam sob chicote (adere ou rua…) e deu no que vimos e esse “rombo! ? ah, fica por isso mesmo… vá, voce simples mortal, não recolher qualquer imposto pra ver no que dá, na hora fecham as portas da birosca!

  5. É preciso ver com clareza quem é o lobo. A política do Parente transforma as transportadoras em patrões ferozes e marginais que tentam tirar do fisco e do lombo dos empregados o lucro perdido com o preço estratosférico do óleo. Há transportadoras disponíveis nos EUA? Porque, independentemente delas não serem santas, estão querendo quebrar completamente com as transportadoras daqui.

  6. Grandes transportadoras são um antro de sonegação. Compram insumos direto das fábricas isento da substituição tributária e revendem com lucro para caminhoneiros autônomos agregados e outros consumidores menores (sem NF) reforçando caixa 2 e sonegando impostos. Pneus e combustível, são os principais produtos. Prejudicam as lojas de pneus e postos de gasolina principalmente.

  7. Como são várias empresas na lista de devedores, 52 Bi é pouco se comparado com o valor que o Itaú levou sozinho em uma única canetada, mais de 20 Bi. A população precisa entender que empresário não paga impostos, eles fazem “adiantamento” ao erário. O valor adiantado, que é recolhido sob a rubrica de “impostos”, é repassado aos consumidores quando as mercadorias são vendidas. Dessa forma eles recuperam o que foi recolhido a título de “imposto”. Os trabalhadores não possuem essa alternativa, pois os impostos já vêm descontado no recibo de pagamento de salários. Simples assim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.