Um real por dia

Aprovou-se 0 novo salário-mímimo, limite de renda de 40% dos brasileiros.

R$ 1.o31,33 reais, 33 a mais que os R$ 998 atuais.

Um real por dia, praticamente.

Menos que isso, só o “aumento” que Michel Temer deu de 2017 para 2018, de 17 reais, praticamente 50 centavos ao dia.

Vamos seguindo a cartilha daquela executiva financeira que disse, poucos dias atrás, que não era pobre aquele que ganhava o salário mínimo.

Hoje, o Ipea diz que “só” a faixa da população de “renda muito baixa” perdeu rendimentos no terceiro trimestre deste ano – e certamente no quarto, com o repique inflacionário -e isto representaria 29,6% dos domicílios brasileiros. Como há ainda os de “renda nenhuma”, que são mais 22,2%, isso representa nada menos que 51,8 % dos brasileiro piorando o que já é ruim ou deixando de perder apenas porque nada têm.

Com a inflação de dezembro que, inevitavelmente virá perto de 0,8%, o reajuste do mínimo, pela primeira vez em anos, perderá a corrida contra as perdas inflacionárias, se o governo não fizer a compensação.

Ainda assim, o cenário do próximo trimestre é amplamente indutor de perdas ainda maiores na renda dos brasileiros.

A Fundação Getulio Vargas divulgou hoje a segunda prévia do IGP-M de dezembro, que rompeu a marca dos 2% – 2,06% – e chegou perto dela no item alimentação: 1,94%.

Isso não se resolve com whatsapp.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

3 respostas

  1. Isso sim se resolve com whatsapp,… ou com uma mídia canalha ,mas,principalmente com a carência intelectual da massa.
    Ao contrário dos “progressistas” ,acho que determinados sujeitos desta massa são vítimas da sua própia preguiça ,desleixo,burriçe ( que não é patrimônio dos despossuídos).
    Se o sujeito não consegue comparar o que viveu com o que vive ,então não é possível fazer nada,o cara é um primata.
    Se isto é ruim para quem nasceu em lares com condições económicas que verão suas aspirações ,sonhos ,desejos,irem para o ralo,é óbvio, que será infinitamente mais danoso para aquele que estava tentando levantar cabeça após 13 anos de um governo que MINIMAMENTE olhou para eles.
    Mas o que fazer? não me preocupo com quem tem tudo para dar certo ,mas insiste em se ferrar.
    O problema são os outros —- A MAIORÍA—-, como evitar que se suicidem??? qualificando o voto? como? ou virando de costas e dizendo “ainda que eu vou me ferrar junto, quem sabe da próxima vez,vc use o cérebro e vote certo”

  2. Parece até que estamos seguindo para nos tornar a primeira nação Orwelliana. Os 0,1% mais ricos mandando em tudo, os 9% seguintes fazendo a máquina funcionar e o resto vivendo na pobreza e ignorância, achando que é o ápice da vida.

  3. Só para lembrar, agora que, com o fracasso da prometida nova paralisação, o “governo” percebeu que, sem as manipulações dos donos das grandes transportadoras, os caminhoneiros não representam a ameaça que eles próprios, caminhoneiros, imaginavam, fica mais à vontade para presentear a todos com novos aumentos nos preços dos combustíveis.
    Aliás, estamos precisamente no período natalino, época na qual é tão usual a distribuição de presentes – como um eventual, ou probabilíssimo, novo reajuste de preços, e nem só de derivados de petróleo.
    É como no slogan do SBT, do oportunista e bajulador Sílvio Santos: “Quem procura, acha!”
    Pois bem, procuraram um “Messias”. Acharam.
    Agora, é melhor já ir caprichando na dieta para muito mais apertar o cinto!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.