Uma prova é um exame de saber. E respeito ao ser humano é um saber

kukluxcarmem

Pessoas – sim, são pessoas, embora irritantes – que vêm aos comentários desta página argumentam que a decisão de Cármem Lúcia de impedir o o zero nas provas de redação  que violentem abertamente os direitos humanos é, simplesmente, a defesa da liberdade de expressão.

Na Alemanha do pós-guerra, não conheço quem diga ser censura absurda a proibição de edições do Mein Kampf, de Adolf Hitler, mas não espero convencê-los assim.

O que está em jogo é outra coisa, não é ideologia. Defender que alguém seja espancado até a morte,  sugerir que alguém seja mutilado propositalmente, professar a convicção de que negros ou índios são seres inferiores ou que se pode manter relações sexuais forçadas com alguém, sobretudo uma criança não é pretender ser que esta pessoa seja “de direita” ou “de esquerda”, ou minha carola avó seria uma “bolivariana”.

Significa que esta pessoa, ao menos razoavelmente, completou aprendizado do mínimo de habilidades sociais para ser considerado um adulto merecedor  de ter seus estudos universitários, direta ou indiretamente, pagos ou subsidiados pela sociedade, através do Estado, porque mesmo as faculdades privadas o são, por isenções fiscais, renúncia tributária (desconto do IR) ou até financiamento estudantil.

Significa que se tenta fazer do ambiente universitário um lugar de encontro e confronto de ideias onde os argumentos não sejam “você merecia morrer”, “eu deveria estuprar você”, “crioulo é sub-raça”, ou, quem sabe, “lugar de judeu é no forno”.

Nos critérios da Justiça brasileira, ao que parece, isso importa menos que saber de cor a fórmula de Bháskara, aquele inesquecível b²-4ac. Quem tiver um “branco” de memória pode levar zero, quem tiver a escuridão na mente, não.

Não há proibição ou ameaça ao aluno que quiser, ainda que absurdo, pensar ou expressar-se assim. Haverá, sim, uma sanção: a instituição educacional pública, representada pelo professor-corretor, o afastará de um grupo que tem regras mínimas de convívio. Se admitirmos que isso é um atentado à liberdade de expressão, teremos de admitir, então, que um aluno pode xingar genericamente seus professores e colegas porque “tia” Cármem Lúcia lhe garante a “liberdade de expressão”.

É irônico pensar que, como há redações em concurso para juiz, as mesmas regras devam valer, pela jurisprudência que firma, para escolher os homens e mulheres que terão poder sobre a minha e a sua vida e liberdade.

Se o Direito, aliás, é a defesa da supremacia da simples técnica, do mérito em decorar Códigos e leis, porque mesmo não transformar a magistratura em atividade da qual se exige apenas o “2° grau”?

Assim, evitar-se-ia o Enem e o constrangimento de, por tecnicamente bem escrita, dar nota dez para um texto que se encerrasse com o fecho do fascio: “o que eu desejo para o Brasil é o dia em que possa gritar na rua, cara al sol à procura do futuro glorioso”.

– Heil, Mito!”

 
contrib1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

57 respostas

  1. FB, excelente análise, como de costume. Vou dar um desconto pata seu branco na memória sobre a clássica equação de Bhaskara, pois vc é brilhante nas análises.

    1. Para esses idiotas do Escola sem partido, direitos humanos é coisa de esquerdista.
      Será que é porque a direita geralmente foi e é historicamente a classe opressora?

    2. eu também notei a mancada na equação… brito é excelente mas pisou ao mencionar (com erro) a equação e parecer minimizar a importância dela. mas o teor do artigo é excelente.

  2. Adagio En Mí Pais
    Alfredo Zitarrosa
    exibições
    6.461

    En mi país, que tristeza,
    La pobreza y el rencor.
    Dice mi padre que ya llegará
    Desde el fondo del tiempo otro tiempo
    Y me dice que el sol brillará
    Sobre un pueblo que él sueña
    Labrando su verde solar.
    En mi país que tristeza,
    La pobreza y el rencor.

    Tú no pediste la guerra,
    Madre tierra, yo lo sé.
    Dice mi padre que un solo traidor
    Puede con mil valientes;
    Él siente que el pueblo, en su inmenso dolor,
    Hoy se niega a beber en la fuente
    Clara del honor.
    Tú no pediste la guerra,
    Madre tierra, yo lo sé.

    En mi país somos duros:
    El futuro lo dirá.
    Canta mi pueblo una canción de paz.
    Detrás de cada puerta
    Está alerta mi pueblo;
    Y ya nadie podrá
    Silenciar su canción
    Y mañana también cantará.
    En mi país somos duros:
    El futuro lo dirá.

    En mi país, que tibieza,
    Cuando empieza a amanecer.
    Dice mi pueblo que puede leer
    En su mano de obrero el destino
    Y que no hay adivino ni rey
    Que le pueda marcar el camino
    Que va a recorrer.
    En mi país, que tibieza,
    Cuando empieza a amanecer.

    Coro:

    En mi país somos miles y miles
    De lágrimas y de fusiles,
    Un puño y un canto vibrante,
    Una llama encendida, un gigante
    Que grita: ¡adelante… adelante!

  3. Na frieza das decisões judiciais, poderá muito bem, um corretor de redações aplicar uma nota 0,1 para àqueles que, encorajados pela decisão de nossa ilustre Ministra, enveredar por essa trilha. Tudo estará dentro da lei, do jeito que o STF ordenou.

    1. e aí estará, sim, instalado o arbítrio ideológico – porque pode ir de 0,1 a 10 – e não a regra, clara, que a todos obriga. E a lei e a justiça serão uma decisão apenas de quem julga, e este terá todo o poder.

  4. As regras civilizatórias mínimas de convivência exigem que, pelo menos, os Direitos Humanos fundamentais sejam respeitados e isso está anos-luz acima de uma eventual “liberdade de expressão”. Assim como a Alemanha atual proíbe o nazismo, as sociedades civilizadas têm sim que proibir as manifestações explícitas de ódio mútuo, os preconceitos, a incitação à violência entre seres humanos, a defesa do estupro e da pedofilia, etc. e penalizar pesadamente esses crimes contra a humanidade. O que seria do mundo se tudo fosse liberado? Provavelmente os terroristas nos governariam e sairiam degolando a torto e a direito, queimando pessoas vivas como na Inquisição Espanhola, empalando os inimigos como Vlad, o Empalador e defendendo e praticando as mais inomináveis crueldades e sabemos que o ser humano, infelizmente, é capaz das piores maldades e por isso é necessário algum tipo de controle sobre os psicopatas, assassinos, pedófilos, estupradores, comerciantes de armas, etc. Quem defende a liberdade para incitá-los a praticar seus hediondos crimes revela, inconscientemente, uma vontade contida de fazer o mesmo, se tivesse coragem ou oportunidade para tanto.

  5. Engano seu, Fernando! A universidade não é lugar de todas as ideias e ideologias. É só defender o contrário da agenda esquerdista lá e você verá como a universidade se torna um ambiente hostil.

    1. Varinha
      Sua mulherzinha já chegou ? Você deveria estar tomando conta dela CORNO .
      Você é um XIBUNGO tentando se passar por erudito.
      CORNO FILHO DA PUTA !

          1. Arnestinho
            E depois de minha caceta ? Faltou o quê, filho de puta !
            Sua mulher foi dar aonde hoje ?

    2. Tissó,
      falta o respeito ao contraditório, às diversidades.
      A direita prega o ódio e depois reclama de ambiente hostil.

      1. Ódio? Tem certeza? Lembra quando Yoani Sanchez tentou (o verbo é esse mesmo) palestrar no Brasil?

    3. Em terceiro lugar, salvo raras exceções, eu duvido que apareçam redações defendendo a matança de judeus ou coisa similar. Em segundo lugar, impedir o aluno de escrever algo para não ser reprovado não impede que ele continue a pensar daquele modo. Em primeiro lugar, o “ofensivo a grupos sociais” recorda o “análogo à escravidão”. Num caso e noutro, gera-se uma indefinição que obriga o sujeito a depender da opinião subjetiva de alguém e a internalizar essa repressão, preocupando-se em evitar qualquer coisa que o poderoso fiscal possa considerar errada. Troque “fiscal” por “partido” e você já terá o estado mental de quem vive sob as ditaduras defendidas pela nossa extrema-esquerda. Propagá-lo sob o disfarce de ideais humanistas é o verdadeiro objetivo dessa turminha de índole autoritária.

      1. Acrescentaria ao seu rol de conceitos ditos abstratos e subjetivos uma tal de “cognição sumária” fartamente usada por um certo “bessias das araucárias” para promover uma outra coisa tbm sumária, algo que não combina ou não deveria combinar com a civilização, o julgamento.

    4. Tissó, Bronco e Ernesto.

      1. Os “Três Patetas”. ( )

      2. Múltiplas personalidades. ( )

      Façam as suas escolhas!

  6. Parabéns pelo texto, FB! Excelente análise. Lamentável a decisão do STF… o que podemos esperar com mais essa porta aberta…

  7. a uma democracia
    Milonga triste
    Homero Manzi
    exibições
    1.515

    Llegabas por el sendero
    delantal y trenzas sueltas.
    Brillaban tus ojos negros
    claridad de luna llena.
    Mis labios te hicieron daño
    al besar tu boca fresca.
    Castigo me dio tu mano
    pero más golpeó tu ausencia. ¡Ay!…

    Volví por caminos blancos,
    volví sin poder llegar.
    Grité con mi grito largo,
    canté sin saber cantar.

    Cerraste los ojos negros.
    Se volvió tu cara blanca.
    Y llevamos tu silencio
    al sonar de las campanas.
    La luna cayó en el agua.
    El dolor golpeó mi pecho.
    Con cuerdas de cien guitarras
    me trencé remordimientos. ¡Ay!…

    Volví por caminos viejos,
    volví sin poder llegar.
    Grité con tu nombre muerto
    recé sin saber rezar.

    Tristeza de haber querido
    tu rubor en un sendero.
    Tristeza de los caminos
    que después ya no te vieron.
    Silencio del camposanto.
    Soledad de las estrellas.
    Recuerdos que duelen tanto.
    Delantal y trenzas negras. ¡Ay!…

    Volví por caminos muertos
    volví sin poder llegar.
    Grité con tu nombre bueno,
    lloré sin saber llorar.

  8. Não vejo que a decisão da douta Ministra permita que as pessoas comentam crimes. Fazer apologia ao estupro, ao racismo, entre outros, configura crime. E isso não mudou com a decisão da magistrada, Fernando. Ela é bem clara ao proferir sua decisão no sentido de que o Diretos Humanos estão protegidos pela Carta Magna e que todos os excessos poderão ser questionados administrativa ou mesmo judicialmente, por óbvio. A censura prévia é sempre um perigo em qualquer sociedade. Acho que as pessoas devem ser livres para, como livres, aprenderem a respeitar os demais e conviver civilizadamente. A propósito, também não concordo com a censura do Mein Kampf, isso não serve para nada no mundo digital de hoje, aliás, serve sim, para criar mais curiosidade e instigar os piores instintos nas pessoas que, por ser proibido, passam a se interessar ainda mais pelo livro a ponto de criarem toda sorte de delírio conspiratório.

  9. Capiau venha chupar meu pau.
    Não tente ser erudito igualmente ao Varinha.
    Vocês dois não passam de XIBUNGOS FILHOS DA PUTA
    E COXINHAS SAFADOS !

  10. Capiau
    Reitero : venha chupar meu pau !
    Se você não quiser, mande sua mãe ou sua sua mulherzinha.
    Filho de PUTA CORNO!

  11. Defender a liberdade é defender a proibição de proibi-la.
    Por exemplo, caso alguém defenda a ideia de que eu não posso ter liberdade. Isso representa um atentado a minha a liberdade, logo, esse tipo de atitude deve proibido. A menos que se imagine uma sociedade sem regras, onde vale a lei do mais forte. Nesse caso, tudo se resolveria na porrada ou na bala. Eu tenho a liberdade de dizer qualquer coisa e o outro tem a liberdade de me matar. Assim, somos todos livres, vivendo numa selva sem regras e proibições.

    Eu só consigo garantir minha liberdade (de expressão) impedindo que os outros me impeçam. Logo, proibindo que se defendam ideias contra a liberdade (de expressão). A menos que…. Eu acredite que sou mais forte que todos e, portanto, não quero regras me inibindo de fazer o que quiser a revelia dos interesses, vontades ou sentimentos alheios. Mas, nesse caso, o quem se importaria com regras?

  12. Para os três patetas do blog , ernest, tissão caveira e bronco………vão traduzir o manuscrito Voynich, depois vocês voltam e publicam aqui o resultado.

    1. Borgas
      Vou expulsa-los desse espaço na base do baixo nível. Nem que leve muito tempo. Sou paciente.

      1. Homem de Borgas é o antigo iSKRA que era também o Ulan Bator (esquerdopata e machista, sempre violento também com os pobres). Divide os mesmos valores dos trolls estrelas desse blog. Todos bem protegidos para xingar e abusar das “regras” de conduta e de civilidade que – diga-se de passagem – nunca existiram nesse blog. O blogueiro deveria pensar em regras de civilidade em sua própria casa e não escrever textos que só atraem comentários nefastos tanto do lado dos direitistas como dos que pensam ser de esquerda. O nível é baixo demais, as argumentações são mal embasadas e em nenhum momento o blogueiro propõe uma discussão serena e de outro nível. Nem sequer lembra que deveria refletir sobre o nível das universidades e dos professores. Seria preciso aprofundar a discussão e ter muita coragem para atacar o mal pela raiz. Muito fácil ficar jogando pedras em peixe morto (a bruxa Carmen) para alimentar e atiçar a manada do blog.

        1. Fui procurar os escritos do Iskra, petista ferrenho com variâncias marxistas o outro eu não tive paciência de ler, abobrinha demais, conclui que :

          i – Ou você fuma bosta ou quer buscar alguém pra brigar aqui como forma de sair do ostracismo…..como não brigo com quem não aguenta um solavanco sem apelar para os DH contra minorias , vou concluir que você fumou bosta estragada.

          ii – considero o PT um embuste total e Dilma, sua ídola, o pior chefe do executivo da história nacional antes de Temer, aliás, praga petista plantada pelo “pragmatismo” do seu partidinho.

          CIRÃO DA MASSA 2018 !!!!

          1. Ué o discurso e o ódio mortal ao PT e a Dilma é o mesmo do iSKRA. Óleo de peroba não vai ajudar nessa criação de “pele nova anti-PT” e “pró-Ciro” rsrsrsr
            Não enganas ninguém, nem mesmo a si próprio.

          1. Faltou o vocabulário machista do esquerdomacho. Corrigindo onde eu havia escrito esquerdopata. Mas está inserido na tua frase ao defender teu amigo preferido iSKRA. Traga mais análise freudiana e xinga de histérica. O blogueiro sempre achou normal pedras na Geni Dilma.

          2. Esquedomacho ??? Hahahahahaah….e tem isso também ???

        1. Capiau
          Reitero : venha chupar meu pau !
          Se você não quiser, mande sua mãe ou su sua mulherzinha.
          Filho de PUTA CORNO!

  13. Carminha,que adora citação,devia ter usado essa que vc usou no texto brito .precisamos todos aceitar que não adianta esperar pluralidade da direita e todos ospoderes o são.com
    Frota de ícone, mbl de polícia política , conseguimos cavar um pouco mais o fundopoço com um stf sujeito a essas merdas.

  14. Quem faz uma redação, sempre estará sujeito, a ideologia de quem a corrige. Mesmo sendo impecável na Gramática, e expondo de forma organiza e estruturada seus pensamentos , ela ainda estará sujeita as opiniões de quem a corrige. 20 anos atrás quando participava dos vestibulares, as redações que tinham notas muitos baixas ou altas, eram revisadas por outra pessoa. Para diminuir a chance, de alguém ser prejudicado. Afinal nem todo mundo, consegue ser profissional ou imparcial . Uma julgadora casada com um policial militar, pode prejudicar candidatos que critiquem a PM , em um tema sobre violência. Ou um filho de um militar, pode prejudicar candidatos que digam que 64 foi um Golpe, e não uma Revolução. Um evangélico pode punir, quem aborde ideias de Religiões Africanas.
    Quando as Cotas, foram implantadas, muitos professores não gostaram . Não por serem racistas, más por acharem que teriam mais trabalho, nivelando pra cima, os cotistas. Eles estavam errados, em querer impedir alunos, que eles supunham terem menos embasamento teórico, entrarem na Faculdade ?
    Estão focando Os Direitos Humanos , e sem perceber dando ao Governo o poder de zerar um prova, SEM CORRIGIR. Estamos assumindo que uma pessoa, pode ser impedida de estudar, de aprender e evoluir, por causa de suas opiniões. Estamos aceitando, uma pessoa ser prejudicada , por pensar diferente. Estamos rumando pra uma Ditadura sem perceber .

  15. Zoé
    Mais outro(a) jumento (a) erudito(a). Vá cagar regras em seu terreiro, otário(a).
    “Os lugares mais quentes do INFERNO, estão reservados para as pessoas que são mornas.”
    Defina-se !

    1. Essa de erudito e de se definir é boa. Defina-se Sérgio porque até agora voce só escreveu palavrão.

      1. O “brog” gosta de temas “polêmicos” para atrair mais “audiencia” quando o número de “comentários” anda baixo, geralmente se resumindo a meia dúzia de tijoletes de carteirinha que aplaudem tudo que leem por aqui !

        Ja teve a fase Sergio Moro, Janaina Paschoal, Kim, Aecio, Temer…

        A bola da vez é o Judiciario !!

        1. Capiau
          Reitero : venha chupar meu pau !
          Se você não quiser, mande sua mãe ou sua mulherzinha.
          Filho de PUTA CORNO!

  16. Zoé
    Mais outro(a) jumento (a) erudito(a). Vá cagar regras em seu terreiro, otário(a).
    “Os lugares mais quentes do INFERNO, estão reservados para as pessoas que são mornas.”
    Defina-se !
    Otário (a)

    1. “OtariA”, por favor, prefiro a escrita inclusiva. Muito respeito pelos lgbts que são meus amigos, mas sou mulher e tenho um namorado homem.

  17. Mais outro(a) jumento (a) erudito(a). Vá cagar regras em seu terreiro, otário(a).
    “Os lugares mais quentes do INFERNO, estão reservados para as pessoas que são mornas.”
    Defina-se !
    Otário (a)
    Defina-se politicamente, OTÁRIA !

    1. Ei “erudito”!!

      É de bom tom sempre dar credito ao autor de frases citadas, no caso Dante Alighieri !!!

      1. Capiau
        Reitero : venha chupar meu pau !
        Se você não quiser, mande sua mãe ou sua mulherzinha.
        Filho de PUTA CORNO!
        Foi no Google ligeirinho, né jumento CORNO?
        Está entre aspas, CORNO conformado !
        É nisso que dá jogar pérolas aos PORCOS !

    2. Calma senhor “indefinido”. O que escrevo esta super definido. Sinto, peço desculpas, se você não entendeu ainda. Mas qual seria a utilidade de saber a opinião de uma “otaria” ? Você deve ter assuntos mais importantes para resolver. Eu também. Tenha um bom domingo.

  18. eu acho que vou decepcionar o autor do texto. sim, porque eu acredito que não se deva colocar qualquer tipo de condição ou freio na redação do ENEM. mas eu vou além da defesa da liberdade de expressão. quem acompanha as notícias, blogs, páginas e redes sociais sabe bem que o ódio está sendo disseminado. nós não podemos, simplesmente, dar uma de avestruz [ou ema] e enfiar a cabeça na areia e esconder que a direita está mostrando sua pior face publicamente. o melhor método ”e expor, para a vergonha, o discurso tosco.

  19. Mas a correção da redacao do enem é bastante subjetiva e muito ruim, muito ruim mesmo. Se o estudante zerar na redação simplesmente ele não pode participar do sisu.
    A justiça está certa nesse caso. É só dá uma nota baixa para quem ferir os direitos humanos. Mas tomar zero pq alguém não gosta de vc é fho.da.
    A redação sempre foi porcamente corrigida no enem. Não adianta ficar discutindo política e tapar o sol com a peneira. Zerar redações Boas e dar 10 em receita de miojo é totalmente injusto.
    Aí o cara que fez uma redação com receita de miojo participa do sisu e outra pessoa que levou zero na redacao injustamente perde o ano pq não pode participar do sisu.
    A justiça acertou. É só dar nota baixa pra quem ferir os direitos humanos, agora, alijar do processo sisu pq a pessoa tirou zero por perseguição de um corretor de redaçao que as vezes está de conluio com gente de fora do processo e até recebe grana pra eliminar candidato é o fim da picada.
    A justiça está certa nesse caso.

  20. OK! Então já que está tudo liberado, o estudante pode falar mal de STF e não pode ganhar nota 0.

    Tissó, Bronco e Ernesto.

    1. “Os Três Patetas”. ( )

    2. Múltiplas personalidades. ( )

    Façam as suas escolhas!

    Sérgio e Homem das Borgas, melhorem os seus vocabulários. E Zoé, menos. OK!

    1. Nota ZERO para a Nina. “Menos” é palavra ideal para os/as anti-feministas, portanto não faz parte do meu vocabulário.
      E, por favor, corrigir : iSKRA/Homem de Borgas/Ulan Bator. Esse sim machista e misógino, entre outras coisas. A professora Nina errou tudo pois adora os trolls.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.