Vento a favor, barco parado na economia

A economia mundial vive um momento de afluência que o próprio mercado financeiro global teme que não se sustente por um longo tempo.

Mesmo num quadro positivo, nossa situação é péssima.

Um ranking da Austin Ratings, entre 47 países, coloca o desempenho do Produto Interno Brasileiro em penúltimo lugar, empatado com a Rússia e à frente apenas da Itália.

Os sábios de  plantão continuam repetindo o mantra de que a reforma previdenciária  é a única forma de livrar o país da estagnação, como se o problema fiscal fosse a única coisa que o país tem a resolver (e nem tanto, porque o alívio fiscal até de uma reforma lesiva como esta levaria tempo para ser sentido, sem falar dos problemas de queda imediata de receitas que a capitalização traria).

A visão não é apenas simplista, mas mentirosa.

Afinal, usando a palavra de um colega que desabafa sua revolta contra a cumplicidade dos comentaristas de economia, a história de que “haveria um surto natural e imediato de confiança do mercado e dos empresários” nós estamos ouvindo desde o impeachment de Dilma Rousseff.

Ainda que o problema fosse só de confiança, pode haver confiança numa gestão econômica que não tem um rumo, um Norte, um objetivo sequer?

Deixa-se o país prostrado, entregue ao desânimo e, com isso, vulnerável ao saque do que ainda resta dele.

Como há séculos passados, a receita para curar a doença é sangrar o paciente, drenar os humores daninhos.

Aprendemos que da fraqueza, da queda de nossas defesas, da prostração generalizada, frequentemente, o resultado são infecções, febres e até convulsões.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

12 respostas

  1. Tensões crescentes entre EUA x China (Dow Jones não faz novo topo desde outubro passado) e o pessoal cantando “Singing in the Rain”.

    1. Eles são movidos pela máxima da Madame Poumpadour: “Depois de mim, pode vir o dilúvio”. Um padre goiano aperfeiçoou esta máxima: “Eu comendo e meu cavalo alazão, as mulheres que deem à luz ou não”. O padre costurou isso em um escapulário, e as mulheres grávidas o usavam no parto como sendo milagroso, até que um marido furioso com a morte por parto de sua mulher abriu o escapulário e leu a mensagem. Pois esta gente e seus cavalos comendo, o povo, a educação e as aposentadorias que se danem.

  2. Quem for ao Youtube em busca de imagens das manifestações de hoje, seja lá o que colocarem como busca, vai encontrar uma enxurrada de vídeos postados por energúmenos onde toda espécie de tolice. Inclusive que os professores estão ameaçando reprovar os alunos que faltarem hoje à manifestação. A esquerda precisa ter um pouco mais de cuidado com a guerra da informação no Youtube.

    1. Enquanto a maioria repete os mantras alucinados divulgados pelo Twitter, com o claro objetivo de criar cortinas de fumaça, o Youtube já é há algum tempo a plataforma ideal para o trabalho de doutrinação desta malta. Os piores venenos da comunicação na rede são os vídeos postados lá e replicados nos aplicativos de comunicação instantânea. Esta é uma guerra semiótica que estamos perdendo há bastante tempo.

  3. Bolsonaro foi de supetão na Câmara, e o presidente da casa não estava lá. A sorte foi que o Maia chegou esbaforido e retomou a direção, senão aquilo lá virava uma cerimônia de coroação.

  4. Saudades do tempo que tínhamos capitão (comandante) no barco, e tsunami virou marolinha. Agora, com capetão, viajamos na barca do inferno.

  5. Talvez seja necessário o povo sangrar para aprender. Tem muita gente ainda defendendo o Bozo e não há argumentos ou fatos que os faça mudar de ideia. Só quando sentir na pele, quando as falências, que não são poucas, aumentarem, quando milhares tiverem que ir para a fila da sopa. Talvez nem assim.

  6. Na Argentina foi quase a mesma coisa. Os milicos de lá já com a Economia no vermelho e a popularidade dos mesmos chegando nos oito por centos e a economia no caos , resolveram apelar por um plano B, inventaram de invadir a s Ilhas Malvinas da Tatcher, deu chabu, aqui está quase igual: Os milicos com o apoio do TSE e o Supreminho de merda acharam que poderiam ajudar um asno (fraudar as urnas) e apoiaram o asno do Bolsonaro (Bostonaro mas esqueceram do principal que é a economia. Vejam ai o que está dando.O (General está chegando) e estes fraudadores de urnas serão processado e irão morar uns tempos bom numa penitenciária. Eles que não pensem que serão presos e ficarão comendo e dormindo em casa não. Será cana dura. Vejam os nossos vizinhos (generais) estão comendo uma cana dura. Dormindo em cama de cimento, banho de sol, duas vezes por semana, e quando cagam precisam de ser vigiados , lá na Argentina eles defecam e
    se não tiver n9inguém eles fazem e comem.comem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *