25 anos atrás, Bolsonaro dizia ao ‘NYT’ que queria ser um ditador

O Uol presta um grande serviço à informação – infelizmente a poucos dias apenas da eleição – recuperando a entrevista dada por Jair Bolsonaro em 1993 ao The New York Times (cuja publicação original, em inglês, pode ser conferida aqui).

Nela, o ex-capitão já anuncia seus planos para a tomada do poder: a fujimorização do Brasil, com o fechamento do Congresso, demissão em massa de funcionários e várias medidas autoritárias sob o argumento – velhinho, não é? – de combater a corrupção.

Leia e tome consciência do perigo que este país enfrenta.

Um soldado que virou político
quer devolver o Brasil ao mando militar

Aplicando à política a ousadia que certa vez demonstrou como paraquedista do
Exército, o congressista Jair Bolsonaro mergulhou em um território inexplorado poucas semanas atrás, quando subiu à tribuna da Câmara dos Deputados e pediu o fechamento do Congresso.

“Sou a favor de uma ditadura”, gritou em um discurso que sacudiu um país que só deixou o regime militar para trás em 1985. “Nós nunca iremos resolver os problemas nacionais sérios com essa democracia irresponsável.”

Falando mais tarde em seu escritório, um cubículo decorado com memorabilia militar e uma grande bandeira brasileira, o esguio congressista do Rio de Janeiro disse estar preparado para a reação que se seguiu: o maior jornal do Rio, o Globo, publicou cartuns na primeira página satirizando-o como um dinossauro de botas, e o presidente da Câmara dos Deputados, Inocêncio de Oliveira, exigiu que a Câmara o cassasse de seu mandato.

Mas duas semanas depois, algo ainda mais interessante aconteceu: o presidente da Câmara fez uma reviravolta abrupta e se reconciliou publicamente com Bolsonaro. Estudante de opinião pública, o líder do Congresso aparentemente leu as colunas de cartas dos jornais brasileiros.
“Em todo lugar que vou, as pessoas me abraçam e me tratam como um herói nacional”, afirmou Bolsonaro. “As pessoas nas ruas estão pedindo o retorno dos militares. Eles perguntam: ‘Quando você voltará?’ “

Ele recebeu, disse ele, centenas de telegramas e telefonemas de apoio, e disso ele extrai uma lição que obviamente acolhe. “As pessoas veem a possibilidade da disciplina militar tirar o país da lama”.

Para deixar tudo claro, os superiores comandantes militares reiteraram sua lealdade ao presidente Itamar Franco,um civil, e a maioria dos colunistas de jornais acredita que o Brasil manterá seu calendário político, que prevê eleições no próximo ano para presidente, representantes do Congresso, governadores estaduais e
legisladores estaduais. Mas para muitos defensores da democracia brasileira, o fenômeno Bolsonaro representa uma luz amarela, um sinal de que as pessoas estão impacientes com o fracasso da democracia em conter a inflação e oferecer um estilo de vida melhor, e um aviso de que os políticos autoritários estão ansiosos por aproveitar esse estado de espírito e cultivá-lo.

O modelo de Fujimori

“Na época do regime militar, a economia crescia 6% ao ano, você poderia comprar um carro em 36 meses”, disse Bolsonaro durante a conversa em seu escritório. “Hoje, o país mal cresce 1% ao ano. A inflação é intolerável”. “A verdadeira democracia é a comida na mesa, a capacidade de planejar sua vida, de andar na rua sem ser assaltado”, continuou. De fato, uma recente pesquisa de opinião pública em Recife, uma das cidades costeiras mais pobres do Brasil, relatou que 70% dos entrevistados achavam que a comida era mais importante do que a democracia.

Bolsonaro, que se formou na escola militar em 1973 (o ponto central do último período do regime militar), tem agora 38 anos, um congressista de primeiro mandato com cabelos negros desobedientes que caem sobre a testa. De certa maneira, ele é apenas a mais recente encarnação da longa tentação autoritária do Brasil; no último século, o país viveu sob um regime democrático formal por apenas 25 anos. Mas há uma nova reviravolta. Hoje, um modelo novo e
menos odioso para o autoritarismo latino-americano surgiu no presidente do Peru, Alberto Fujimori.

Diante do impasse no Congresso no ano passado, Fujimori, um civil, ordenou ao Exército do Peru que fechasse o Congresso do país e seus tribunais. Um ano depois, Fujimori governa apenas uma Câmara no Congresso, obediente. “Eu simpatizo com Fujimori”, continuou o congressista brasileiro.

Cirurgia política, continuou Bolsonaro, envolveria o fechamento do Congresso por um período de tempo definido e permitiria que o presidente do Brasil governasse
por decreto. A justificativa para uma ruptura constitucional, disse ele, seria a “corrupção política” e a inflação do Brasil, que agora está em 30% ao mês.

Com o Congresso muitas vezes travado em batalhas entre seus 21 partidos, a imprensa do Brasil tem demonstrado um fascínio crescente com o modelo de Fujimori. No mês passado, jornais, revistas e programas de notícias televisivas brasileiros realizaram longas entrevistas com o líder peruano.
“Fujimori colocou 400 mil funcionários públicos na rua”, afirmou Bolsonaro. “Como poderíamos fazer isso aqui?”

Quando detiveram o poder nas décadas de 1960 e 1970, as Forças Armadas brasileiras expandiram vastamente o setor estatal do Brasil, implantando uma confusão de empresas estatais e monopólios. Hoje, disse Bolsonaro, os líderes das Forças Armadas preferem trazer o Estado de volta ao básico: defesa, educação e saúde.

“Eu voto em todas as leis de privatização que posso”, disse Bolsonaro. “É a esquerda que se opõe à privatização. Eles só querem preservar seus empregos no governo”.

A trilha da campanha

Sua campanha não se limita ao Congresso. Ele também circula de cidade em cidade, levando sua receita de mudança autoritária para públicos que são ostensivamente compostos por reservistas e aposentados militares. “Eu só viajo para cidades militares”, disse ele. “Não estamos conspirando, porque não há agentes ativos presentes.”

Defensores da democracia suspeitam que há algo mais sinistro acontecendo fora da vista do público. Essas viagens são anunciadas como simples esforços para lançar as candidaturas de um bloco de candidatos militares de reserva de 12 A Fujimorização é a saída para o Brasil. Estados nas eleições do próximo ano para o Congresso. Todos os candidatos concorrem em listas controladas pelo partido de Bolsonaro, o Partido Progressista Reformador (PPR).

Na conversa, Bolsonaro previu que a opinião popular apoiaria esmagadoramente a suspensão do Congresso. Nesse estágio, isso pode ser apenas uma ilusão –outros acham que o país está perto de um consenso para o regime militar– , mas reflete um fato básico da vida política: qualquer restauração do regime militar só seria possível com civis sólidos. Apoio, suporte. Isso porque as Forças Armadas brasileiras somam 300 mil membros, o que dificilmente é suficiente para controlar
uma nação continental de 150 milhões de habitantes apenas pela força.

Até agora, o presidente Itamar Franco descartou categoricamente qualquer ambição de ser um Fujimori brasileiro e se refere a campanhas como a de Bolsonaro como golpes de Estado incipientes. No entatno, Bolsonaro pode se inspirar em reportagens de jornais sobre reuniões fechadas entre empresários de São Paulo e oficiais do Exército, e na publicação de outdoors em uma favela do Rio de Janeiro protestando contra a alta taxa de sequestro do Rio e terminando com o apelo direto: “Forças Armadas, assumam o Poder”.
Em outras palavras, se está certo ou não, Bolsonaro acredita que o tempo está agora do seu lado. Ele está convencido de que em outubro os brasileiros enfrentarão o
fracasso dos esforços anti-inflacionários de Fernando Henrique Cardoso, o quarto ministro da Fazenda do Brasil em um ano.

Enquanto isso, ele diz: “Estou arando os campos”.

Tradutor: Thiago Varella

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

53 respostas

  1. Eu ia compartilhar, mas aí pensei que o eleitorado dele poderia até aumentar. Estou começando a achar que os brasileiros sofreram um tipo de lavagem cerebral, que transformou seus miolos em titica. Desculpem mas minha paciência se esgotou.

    1. somos dois
      independente do resultado amanhã, eu estou apavorada com a quantidade de gente votando nesse traste

    2. A minha idem. Querem o coiso? pois que tenham. Faltou lembrar no post qual foi o resultado da era Fujimori no Peru. Desgraça total, autoritarismo desenfreado, uso do dinheiro público para favorecer amigos e parentes do presidente e empobrecimento galopante do povo. MISÉRIA E FUGA DOS PERUANOS DE SEU PAÍS. A comparação com o período Fujimori, aliás, é perfeita e casa muito bem com a ascensão do capitão Caverna que nos assola. Ainda espero que os brasileiros afastem de todos nós esse cálice de horror…poucas esperanças

      1. Fugimori voltou para a prisão, aqui o FHC está solto pregando golpe de estado a todo momento.

      2. Infelizmente, idem, se assim a maioria das pessoas decidirem. Vou cuidar dos meus filhos e esposa e o resto, inclusive muitos parentes e próximos, que absorva o que poderão vir a fazer.

      3. O personagem Capitão Caverna é um personagem primitivo e desmiolado, mas heróico.
        Bolsonaro é primitivo e desmiolado mas encarna o que há de pior na espécie Humana, um monsyro que traz em si o DNA do nazismo!

    3. Pensei o mesmo que você. Comecei a pensar no meu círculo de amizades e parentes e aqueles que votarão no Bozo são totalmente a favor da ditadura e também contra a corrupção (dos outros), e também seriam corruptos se tivessem oportunidade!

    4. Exatamente. Será q esquerda e seus formadores de opinião nao notam q esse tipo de informação só faz o inominável crescer?
      Pq o PT e as esquerdas nao desconstroem o inominável mostrando com quem ele está se aliando?
      O pt foi e está sendo destruído por causa da corrupção! Usemos do mesmo método com eles.

    5. Eu nunca a tive!
      * Porem, é bom lembrar, que o inominável falou em matar 30 mil que a ditadura não matou… Imagino, que na cabecinha dele, nós, eu, vc, e todo “nosso espectro de perfil enquanto grupo”, sejamos o grosso dessa lista. Sei nem o q falar, eu estou bem receoso do tipo de merda q pode vir de um sujeito tão limitado como Bolsonaro, se ele acreditar no próprio papel.

      Lula Livre

  2. Fantoche descartável: assim que perder a conveniência de ser o antipetê da vez será devassado e execrado pela opinião pública – o que poderia estar perfeitamente sendo feito agora, mas não está.

    1. e no entanto não deixa de ser um triunfo e um trunfo da estratégia política do petê, porque se algum outro desses que chamam de “moderados” tivesse colado e decolado, a esperança agora não estaria conosco.

      1. Acho que não foi fruto da estratégia dos pts,e sim o filho aberrante de um processo criminoso que foi o golpe .
        Sem dúvida ,algo que obviamente não passa pela cabeça dos fanáticos que acreditam ser o Ciro um esquerdista ,é o fato de que um trunfo dos pts (que foram tirados do poder) seria a pá de cal dos delinquentes golpistas ,o tapa na cara dos bandidos.

        1. Sim, acho que me expressei mal. Não é um fruto, mas um benefício decorrente do excesso de veneno do golpismo. Que acabou sendo um trunfo e quiçá um triunfo, espero eu. Não tenho conhecimento para falar o que há na cabeça dos fanáticos, minha vida é tentar provar aos outros que eu não faço parte de nenhum grupo fanático e que sei o que estou defendendo.

  3. Toda sociedade têm seus dementes ,este já deveria ter sido recolhido inúmeras vezes ao xadrez.Mas,é no fato disso não ter acontecido que está a explicação.Ele sempre teve mídia ,sempre teve o apoio velado ou explícito dos PRIMATAS fardados.Sabemos que temos uma massa despolitizada ,vulnerável portanto a qualquer manipulação midiática,abriram a porta com a demonização da esquerda e seu discurso começou a chegar a mais pessoas.Não tenho medo ,tenho certeza da sua derrota,e estou fazendo o que está a meu alcance para tirar ele da cabeça das pessoas em meu redor ,obviamente resulta mais fácil faze-lo com as mulheres.A informaçaõ ( incrível,mas ,muitas desconhecem) da sua apologia a tortura e ao estupro ,as coloca na defesa de si mesmas.Os “machos” que todo o resolvem na bala (enquanto o outro não está armado,claro),são ossos duros.
    Em fim ,até a vitória,porque ela chegará !!!!!!

  4. Cada Povo term a Liberdade de escolher o seu caminho, os alemães no século passado o tiveram e pagaram alto preço pela escolha errada.

    Vamos repetir esse erro histórico?

    1. Sinceramente, espero que não.
      Entretanto, esse negócio de apoiar o nazifascista é uma desgraça que acontece em toda e qualquer família.
      A minha família, óbvio e infelizmente, não fica de fora: também há pessoas que apoiam o coiso, não importa que argumentos sejam usados. A lavagem cerebral está feita e tem se mostrado irreversível.

  5. RECADO DO PRESO POLÍTICO NO ARREMEDO DE DEMOCRACIA:

    “Queridas companheiras e queridos companheiros. É importante você comparecer para votar por algumas razões. Eu nem vou dizer da cassação ao Lula, da perseguição ao Lula porque eu estou acostumado ao país desde que comecei no movimento sindical. E eu queria falar com você. Falar com seu coração e a sua alma. E a gente defender o legado do partido que mais fez políticas sociais nesse país. Nunca esse país precisou tanto de você. Está na hora da gente levantar a cabeça, porque pode ter igual, mas nesse país não tem ninguém melhor do que nós”.

    Amanhã, vote por Lula! Vote Haddad 13!

  6. Pelo nível de imbecilização que estamos vendo, ele não só arou o chão, mas também o adubou bastante.

  7. Nosso problema não é essa trupe de milicianos do Bozonaro, os MBLs da vida bandida, nem mesmo os juizes da inquisição de Curitiba que não rasga dinheiro nem mesmo os mercadoys bancários fantasiados de banqueiros. Nosso problema são seus patrões no Mercado e na Grande Imprensa.
    O melhor antídoto contra eles ainda e por muitos anos é democracia, eleições, partidos políticos e sindicatos fortes e representativo das maiorias sócias e um povo atento e altivo.
    Às urnas cidadãos e cidadãs.

    1. Às urnas!
      E ao 2o turno.
      A esperança é fazer esse sujeito debater. Não é possivel eleger alguém sem tocar em temas relevantes de políticas públicas. Seria como eleger um troll. Você pergunta, fala, mas o troço não responde ou sempre te dá a mesma resposta.

    2. Com certeza… Pois o golpe quer desqualificar/destruir a Política, os sindicatos, a democracia, enfim. Sem isso, fica mais fácil vender o que nos resta de país. Entretanto, seguiremos com dignidade. O que desejo/desejamos é algo forte, o fim das desigualdades sociais; por isso, ainda temos energia.

  8. alguém me explica como esse demente está solto com o judiciário passando a mão na cabeça

    1. O judiciário golpista está permitindo que um sujeito possa ser presidente sem debater, sem transparência. Um engodo total. O candidato troll.

      1. pois é
        é graças a esse anti-petismo que a midia e o judiciário criaram com tanto esmero que temos hoje esse traste e seus seguidores barbarizando o Brasil

    2. Simples.
      Nosso Judiciário e nosso Ministério Público Federal estão dominados por fascistas (nem tão) enrustidos.
      Basta olhar para pessoas como Moro, Dallagnol, Fux… São tantos!

  9. Se há um culpado pela onda fascista que pode levar o Brasil a uma ditadura entreguista e inimiga do povo brasileiro, este culpado é a mídia de direita e o judiciário. O que é publicado nos jornais e que chega à opinião pública em geral, soa como a expressão documental da verdade. E o que se viu foi que essa “verdade” não era verdade. Era mentiras que infeccionaram gravemente e permanentemente a cabeça do povo, a ponto de fazê-lo escravo mental de seus maiores inimigos.

    1. A elite brasileira da qual fazem parte a grande mídia e grande parte do judiciário, nunca gostou de democracia. Todos deram apoio à ditadura porque se beneficiavam dela.

  10. Temos ultimas e poucas horas pra ir as ruas e convencer indecisos,poucas horas pra lutar contra a ameaça do nazismo.É preciso dar tudo de si pois não soubemos evitar um golpe contra a alma mais honesta da política brasileira,não soubemos evitar a prisão de um inocente,um líder respeitado no mundo todo,o que mais fez por esse País.Para nada disso tivemos capacidade por nos faltar orientação e coragem,portanto teremos capacidade,teremos a coragem necessária de derrubar a ditadura fascista eleita em uma eleição ilegítima?Lembro pela milionésima vez;Não se vence a ilegalidade institucional com práticas legais.Não se vence o ódio com amor.É poético mas flores jamais venceram canhões por isso vamos as ruas pois se não aprendemos com o amor teremos de aprender com a dor e a ditadura dói,dói e deixa marcas profundas em corpos mentes e corações.

    1. Eu admiro sua disposição permanente. Eu sempre me pergunto quando e se vai ser necessário pegar os tacapes no armário. Mas eu teria que acertar com o tacape pessoas que eu gosto, até meu pai que está convencido de que Lula é um ladrão (e votará dessa vez no petê por rejeição aa opção, apenas). Por essa dificuldade, alguns de nós preferimos acreditar que essa briga tem que ser levada com alguma coisa pelo menos parecida com amor. Minha filha me pediu para ir ao protesto elenão local hoje, porque argumentou que não há de ser um cenário violento. Eu deixei, mas em outra ocasião teria que pensar bem. Não tome por fraqueza.

      1. Fiz um pacto com meu pai que está inclinado a votar no Coiso: Não venha com mimimi depois (ele é aposentado pelo INSS). Certamente os aposentados vão se f…com cerol e até as duas bolas.

        Desculpe o palavreado chulo, mas estou sem paciência.

        Quanto ao uso do tacape, não precisa usar em seu pai. Eu não vou usar no meu. Tenho uma lista tão longa dos verdadeiros responsáveis que nos levaram a essa situação que terei que ser muito criterioso por onde começar.

        1. Eu tentarei me lembrar disso e ser igualmente criteriosa. Meu pai pensou em me propor um pacto: ele voltava no Haddad para o segundo turno se eu assumisse o compromisso de votar no Geraldo caso fosse ele quem fosse para o segundo turno. Não fiz, não. “Pelo menos nós dois somos contra Bolsonaro e não vamos discutir dessa vez.” Mas a gente discute, sim.

          1. ahahahahah melhor rir que não rir, né? meus sinceros votos de muita pacença e bom segundo turno! :)

    2. Eu admiro sua disposição permanente. Eu sempre me pergunto quando e se vai ser necessário pegar os tacapes no armário. Mas eu teria que acertar com o tacape pessoas que eu gosto, até meu pai que está convencido de que Lula é um ladrão (e votará dessa vez no petê por rejeição aa opção, apenas). Por essa dificuldade, alguns de nós preferimos acreditar que essa briga tem que ser levada com alguma coisa pelo menos parecida com amor. Minha filha me pediu para ir ao protesto elenão local hoje, porque argumentou que não há de ser um cenário violento. Eu deixei, mas em outra ocasião teria que pensar bem. Não tome por fraqueza.

  11. É o novo Collor, só que racista, machista e homofóbico. O Brasil vai entrar pelo cano. Esses bolsonaros vão legalizar a porrada em mulher. Vão resolver tudo no tiro, no canhão e na porrada.
    A violência pode ser engraçada qdo praticada contra as minorias ou outros, mas não é engraçada qdo praticada contra a gente e contra alguém conhecido.
    Ele irá encher o governo de general manga de colete, mão grande.
    Um cara que não gosta de preto, não gosta de mulher, não gosta de homossexual, e que provavelmente não gosta de nordestinos, nao gosta de pobres, vai governar para uma minoria de homens brancos heteros e de preferência ricos.
    Errar é humano, mas cometer o mesmo erro 2 vezes é burrice. A globo está emburrecida ao extremo em apoiar o bolsonaro, com o Collor deu mer.da o apoio da globo e agora vai dar de novo.
    O partido do coiso é igual o PRN do Collor, um partideco de aluguel, pequeno, minúsculo e vai ter que lotear o governo para conseguir apoio no congresso.
    O Bolsonaro não se cansa de elogiar um assassino, Coronel Ustra, um torturador e assassino cruel.
    Acho que o exercito não deve voltar ao poder porque nunca aceitou a comissão da verdade, nunca reconheceu seus crimes da ditadura militar no Brasil. Esse reconhecimento a globo nunca cobrou. Crimes, assassinatos, torturas são piores que roubos.

  12. Li agora no portal da globo: promessas para economia vão depender do congresso. Hah, é? E quem diz que teremos congresso se Bolsonaro vencer ? num primeiro momento pode até rolar, mas depois que precisar negociar, acabou. Ele é militar, lembram? Nao é só o povo que vai pagar o preço, mais tambem os políticos que estão lambendo os pés deles. Se bolsonaro for eleito a coisa vai caminhar para a ditadura. A Record, por exemplo, simplesmente assumiu o papel da globo quando apoiou a ditadura de 64.

  13. E em 1993 o governo era ocupado por um grupo que não tinha nada a ver com o PT. Sinal de que o cidadão aí é contra QUALQUER governo. Ele gosta de uma farda. Acho que a Rita Lee tá é certa.

  14. O momento politico-social é de um salvador da pátria. Um ditador ou qualquer coisa parecida. A midia construiu um estado de fim do mundo (corrupção, todos politico e igual, politico é ladrão) e assim só um homem forte, puro, pode colocar tudo na ordem. Para isso era necessário ter um inimigo interno, o PT. A classe média embarcou nessa história e está levando os pobres. Para a classe alta, tanto faz, para ela nada a atinge. Hoje e o BOZO, poderia ser Dória, …
    Tenho séria duvidas se essa onda pode ser contida, mas vamos a luta.
    O que mais intriga é esse fascismo, neoliberal e anti-nacional. Bozo não promete ou defende emprego ou crescimento econômico. Apenas é antipetista, … Embora foi assim em 1964!

  15. O que mais me impressiona e indigna, é ver a folha corrida e a pregação desse satânico capitão e saber que ele, com todas suas absurdas, desumanas e criminosas propostas, ainda assim, lidera as intenções de voto da próxima eleição.
    Ou essas pesquisas são manipuladas para influenciar os eleitores — o que acho uma completa imbecilidade e prova de irremediável burrice alguém se deixar influenciar com essa estúpida artimanha –, ou há mesmo algo de podre neste mosso grande e querido reino tupiniquim!

  16. Foram mais de vinte anos de presidentes que não fizeram nada perante essa violência absurda!PSDB,pt, ninguém fez o salário da mulher ser igual do homem, ninguém organizou hospitais, ninguém faz nada com bandido que estupra mata esquarteja criança.bolsonaroé a boca do pessoal que tá de saco cheio dessa politica mole e morta.se paz e amor venssece guerra,Deus não teria destruído Babilônia e etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *