A baderna das armas continua…

Bem que no post anterior eu falei que não acabou a farra jurídica, com legislação feita absolutamente “nas coxas”,  gritada aos berros por Jair Bolsonaro.

Noticia O Globo que, esta madrugada foi editado o Decreto n° 9.847, de 25 de junho, que revoga o Decreto 9.845, do mesmo dia!!!!

Está lá no mesmo Diário Oficial: dois decretos, um que revoga o outro, sendo que outro, o 9.844, já revogava outro, também sobre armas, de um mês antes.

Bom, está aí em O Globo: pouco se lhes deu corrigir, se é que queriam, e retirar os fuzis do arsenal oferecido aos cidadãos.

É um deboche esta brincadeira com armas de fogo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

10 respostas

  1. General golpista bom é general golpista morto. E não adianta dar soquinho na mesa.

    Talvez esse decreto tenha sua utilidade. Afinal, todos tem direito a se armar para evitar governos tiranos, não é mesmo? Quem diz isso não sou eu, mas o “excelentíssimo senhor” presidente da República.

    1. Concordo , a insania desses “machões” os leva a imaginar que só eles terão o direito “de se armar para tirar governor tiranos”.
      E sobre os generais,mais uma prova que quando eles usam a palavra PÁTRIA,só tentam enganar os trouxas.

    2. Quem dera este “feitiço” virasse contra eles… como diz a musica do Rappa, “também morre quem atira…o seu castelo está na mira”…

  2. E o Fernando Henrique ainda tem coragem de dar declarações à imprensa. É preciso uma carreta maior do que a de Ipatinga para levar o óleo de peroba necessário para a cara de pau dele.

  3. Brito isto não é deboche é a consolidação de grupos milicianos na forma de exército para militar no estilo dos ditos combatentes “isamicos”./

  4. Até quando vamos ter de aguentar este palhaço, o cara tem idade mental de adolescente de 15 anos.

  5. Num governo de milicianos,que o povo chama de mitos, acho essa esculhambação até bem normal e previsível.
    Como dizia o Chacrinha:
    VOCÊS QUEREM BACALHAU, SEUS “MISERÁVEL” ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *