A frase de Bolsonaro não é um “deslize”

Para perceber o que contém a afirmação de Jair Bolsonaro de que “só há democracia e liberdade quando as Forças Armadas querem”, basta que se substitua quem a diz.

Imagine o comandante do Exército, numa solenidade, dizendo que “só há democracia e liberdade quando as Forças Armadas querem”.

Ou Donald Trump dizendo que “só há democracia e liberdade quando o US Army quer”

Ou qualquer governante eleito dizendo que as liberdades constitucionais dependem de que os militares as queiram respeitar.

Isso é próprio para áreas controladas pelo tráfico ou pelas milícias, onde a liberdade das pessoas está sujeita a um bando armado que tem como regra apenas querer ou não querer, não para um país ao menos formalmente democrático.

Jair Bolsonaro – e ele próprio já o declarou várias vezes – aprecia sem restrições governos sem liberdade e sem democracia, como a ditadura militar que tivemos.

Suas palavras são o transbordamento do que pensa e não adianta vir o General Mourão emendar o soneto, porque todos viram que há um tiranete vestindo a faixa presidencial.

Numa democracia, o nome do que Bolsonaro faz é subversão da ordem constitucional, ainda que quem a faça seja o Presidente da República.

Infelizmente, nossas instituições que são valentes com os fracos, vão miar diante deste absurdo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email