A linha explosiva da epidemia

No seu depoimento ao Senado, ainda em curso quando escrevo, o cidadão que ocupa o Ministério da Saúde, Nélson Teich, só uma vez vi ser veemente: quando tratou de rebater as previsões do Imperial College of Medicine, de Londres, que previu, na melhor das hipóteses, 44 mil mortes aqui por conta do novo coronavírus.

É claro que, quando foi feita – há mais de um mês – se tratava da aplicação de um modelo matemático. Agora, mesmo com a precariedade dos números, a escassez notória de testes e de demora absurda na conclusão de seus resultados, já há números suficientemente expressivos para que se analise – com as devidas ressalvas de que pode ser bem pior – a trajetória da epidemia aqui.

Usei os números oficiais do Ministério da Saúde e, em lugar de comparar casos diários, usei o mesmo método dos epidemiologistas, que é agrupar por semanas, para minimizar razoavelmente as variações diárias.

O resultado é apavorante.

Do dia 16 de abril, quinta-feira, até quarta, 22 de abril, a média diária de casos novos foi de 2.491 por dia, Na semana seguinte, de 23 de abril até hoje, 29, esta média de novas confirmações de infecção pelo Covid-19 subiu para 4.629. Média, não considerando que o número hoje passa de 6.200.

Comparadas apenas as médias, o aumento de semana para semana é de 86%, o que leva – se não houver ampliação nos testes miseramente aplicados hoje – a um acréscimo médio de 8.602 casos diários de amanhã até o dia 6 de maio. O que dá, em números redondos, 60 mil novos casos até aquele dia. Repita-se, se a velocidade de expansão não aumentar, como vem acontecendo.

No total, portanto, somando aos casos existentes hoje, teremos 140 mil infectados e, com a taxa de mortalidade de 7% que temos agora, isso significa 10 mil mortos.

40 Brumadinhos. 53 aviões comerciais como aquele que se incendiou em Congonhas.

Isso, infelizmente, é uma suposição onírica, que desconsidera o esgotamento dos recursos médicos e o próprio caráter exponencial da expansão da pandemia e declarações como a do secretário de Saúde do Rio de Janeiro, dizendo que a epidemia entrou em “explosão descontrolada”.

Não é nenhum exagero achar que, daqui a uma semana, chegue perto de 20 mil o número de mortes e, infelizmente, um processo de expansão que poderá durar ainda por diversas semanas.

A referência mais próxima que temos – e muito menos grave, graças ao intenso respeito ao isolamento social e à relativa abundância de meios de suporte à vida que aqui nos faltam, são os Estados Unidos, que chegaram a 61 mil mortes, que continuam avançando à razão de duas mil por dia.

Não se trata de terrorismo; o terror corre por conta da realidade que está presente diante dos olhos de todos os que quiserem ver.

Duas semanas atrás alguém diria que passaríamos a China em número de mortos?

Pois podemos, em uma mera semana, passarmos do nono para o sexto lugar em quantidade de óbitos e, talvez, até o fim de maio, o segundo, logo após o nosso “grande irmão do norte”.

Mas, “e daí?”…

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

18 respostas

  1. Lembrando que, nesta corrida para a morte, são considerados os dados oficiais, onde os números se referem aos casos confirmados, testados.
    Considerando que, no Brasil, a testagem continua pífia, e a população é 1/6 da chinesa, a disputa é barbada.

  2. Permita-me substituir o “e daí” por: adianta alguma coisa nós diariamente refazermos cálculos, projeções, estatísticas, para imaginarmos se morrerão 10 mil, 40 mil, 500 mil ou 5 milhões ?
    Lutar contra esse governo alucinado é uma coisa, entregar-se a esse exercício mórbido não acrescenta nada. Já não nos bastam as notícias de amigos e conhecidos, acometidos dessa doença imprevisível ?
    Se há uma coisa que os brasileiros jamais poderão se queixar, é de terem sido levados a essa situação contra a própria vontade.
    A hora é de coragem para enfrentar o que vier porque, de nossa parte, tenho convicção de que TUDO foi e está sendo feito há mais de dez anos, para que o Brasil tivesse um destino melhor.

  3. O maior desalento é verificar que o genocida-mor, com todos os seus desatinos, ainda conta com aprovação de cerca de 1/3 da população. Como explicar tal cegueira?

    1. Burrice somada a 1 século de doutrinação midiática (cinema inclusive) e acrescida de 40 anos de lavagem cerebral promovida pelas seitas neopentecostais. Só podia dar nisso.

  4. Acho importante que tenhamos consciência da realidade que vivemos .
    Em uma situação de oposição política DE VERDADE,serviría para talvez ,torcer o rumo demente da liberação da atividade económica,para exigir uma mudança na política de enfrentamento ,ou a pressão para pedir a saída de algumas autoridades em face a seu comportamento e/ou competência em descompasso com a realidade.
    .
    Alguns preferem a negação da realidade ,apelando a seu desconhecimento .Eu prefiro ser o mais ciente possível da situação que me toca enfrentar.
    Parece, olhando essas previsões e visto a insuficiência de meios de combate,por razões históricas ou pior por incompetência destes delinquentes na preparação da estrutura ,que não temos uma outra ferramenta além do isolamento radical,para freiar o estouro da boiada.
    É NISSO QUE É NECESSÁRIO QUE AQUELES QUE TEM VISIBILIDADE , INSISTAM
    .
    EM TEMPOS DE REDES SOCIAIS TÃO INFLUENTES COMO AS GLOBO,BAND,SBT,RECORD DA VIDA ——-NÃO EXISTEM DESCULPAS PARA NÃO PRESSIONAR ESTES GENOCIDAS A MUDAR SUA POLÍTICA——-
    TWITER,FACEBOOK,YOUTUBE ESTÃO AÍ.

    A TRABALHAR !!!!!!,A SE EXPÕR “ESQUERDISTAS” !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  5. Quando a morte trazida pelo corona vírus bater à porta de cada lar neste país, será o momento onde a insensatez e o descaso cessarão. As cobranças se farão na mesma proporção da dor, pela perda de um ente querido que se foi.

    1. Carlos, infelizmente, nem pela dor esse povo vai mudar. O trabalho de lavagem cerebral foi muito bem feito. Conseguiram substituir os bons sentimentos por ódio, apenas. Outro dia ouvir um senhor, que se considera inteligente, dizer: “o País tem 220 milhões de habitantes; se morrer 20 milhões, ainda sobra gente pra caramba”

      1. Cá pra nós, se eu ouço uma pessoa fazer tal afirmação e esta pessoa estiver no mesmo ambiente que eu, vai escutar tudo que têm direito, eu escracho o sujeito ,com argumentos. Todo patife, pois esta foi uma declaração de patife, são covardes, cansei de desafiar idiotas como este em supermercados, bancos e lojas, raramente eles ousam partir pro confronto.

  6. Brito, um dado para corroborar o que está pra vir. Hoje (29/4) o Brasil é o 2o país com casos críticos ativos atrás apenas dos EUA.
    Pelo Worldmeter (1-EUA: 18.671, 2-Brasil: 8.318, 3-Espanha:7.764)
    Preparem-se e Cuidem-se

  7. Mas não ponha na conta desse pseud-presidente, junto dele tem muita gente para pagar por esse crime contra o povo, sozinho ele já teria caído por seus jádifundidos crimes portanto porque não caiu? Respondam é acharão os verdadeiros culpados, mas acredito que anistia nunca mais.

    1. Um dos maiores culpados e que é agente da CIA é um MARRECO, conhecido como JUIZ LADRÃO… trabalha para a rede de golpes e viajou muito para os isteites, custeados pelos contribuintes … Diz que recuperou 2 bilhões de reais, mas no fim e ao cabo, acabou com pelo menos 2 trilhões do país na forma de empregos, riquezas, soberania, orgulho, humanidade, decência… e chegamos onde chegamos … com um esclarecedor “E DAÍ ?”

    2. Um dos maiores culpados e que é agente da CIA é um MARRECO, conhecido como JUIZ LADRÃO… trabalha para a rede de golpes e viajou muito para os isteites, custeados pelos contribuintes … Diz que recuperou 2 bilhões de reais, mas no fim e ao cabo, acabou com pelo menos 2 trilhões do país na forma de empregos, riquezas, soberania, orgulho, humanidade, decência… e chegamos onde chegamos … com um esclarecedor “E DAÍ ?”

  8. Pois o SABUJO BÓSTA-NARO,foi eleito,pela maioria do eleitor.E ele,continua com altos índices de aprovação.Muito maior que as afirmações da IMPRENSA SABUJA Esse e o TRUMP,foram os que trouxeram a PESTE.E os dois,continuam com altos índices de aprovação.E que os RICOS BURGUESES,lhes orientaram,para ofato que,QUANTO MAIS MORTES,menos comida e mais lucros,vendendo quinquilharias.Ambos,com altos índices,de aprovação.Quem afirma,é a IMPRENSA,onde militam,essas inutilidades sociais,que deram o nome de JORNALISTAS.

  9. E o Sr. Rodrigo Maia ainda tem a coragem de dizer, quando perguntado sobre os pedidos de impeachment: “Não podemos pensar em impeachment pois a pandemia é mais importante”. Ora, se o inimigo número 01 do controle a doença é justamente o infeliz que “comanda” o país!
    Sinceramente as falas dessa gente é muito semelhante, basta observar:
    “Eu não sei se disse isso, se disse não está errado e se está errado eu não falei”. Marreco.
    “Esses livros são um montão de amontoado de muita coisa escrita, tem que mudar isso aê”
    Coiso.
    Seria até engraçado, se não estivessem todos com o mesmo objetivo… O poder, poder e mais poder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *