A (má) arte de inventar desculpas

O governo lançou a jabuticaba do PIB privado, inédita nos conceitos de economia – e olha que economista cria conceitos com fartura – e, ainda por cima, porque usa números defasados ( do 3° trimestre de 2019) e inclui no “privado” os investimentos feitos por estatais.

Mas, reconheça-se, não é o único criativo na hora de dizer que “a coisa vai” quando a coisa não está indo e, pior, ameaça andar para trás.

Surge agora, segundo a Folha, uma tal “Coalizão pela Indústria” de empresários que se bolsonaristas light – é possível isso? – e que dizem que tudo ficará bem se aprovada a reforma tributária – que, aliás, o governo nem sequer mandou ao Congresso, onde caminham duas, uma em cada Casa.

Claro que a simplificação dos tributos é sempre bem vinda, mas não é a essência de um sistema de impostos.

Essa é quem paga, quanto paga e em que prazo paga.

E a situação fiscal da União, dos Estados e a dos Municípios impedem que as duas últimas questões sejam mexidas: nem é possível rebaixar a carga tributária nem esticar os prazos de pagamento para melhorar o fluxo de caixa das empresas.

O primeiro item, o “quem paga” é o nó da questão.

Imposto sobre grandes fortunas e taxação de lucros e dividendos parecem fora de cogitação, dado o perfil do Congresso.

Há impasses entre o setor de serviços – que seria mais afetado – e o do comércio, entre os estados produtores, que perderiam a tributação na origem, e os consumidores, que querem ficar com a taxação, e entre cidades que perdem e ganham.

Só há dois dias se instalou uma comissão para unificar as propostas que tramitam na Câmara e no Senado. A promessa é unificá-las até maio, para que tramitem como uma só nas duas casas.

Ainda que aconteça o milagre de conseguir-se fazer as três tramitações funcionarem num ano legislativo cortado à metade pelas eleições municipais, não apenas fariam efeito só no ano que vem e, ainda assim, em quase nada, porque nas duas propostas originais os prazos de transição são de 15 (Senado) e 40(!!!) anos (Câmara).

Não é preciso explicar mais para que se veja que esta reforma não responde à crise e que, portanto, não tem razão para ser feita assim, no atropelo.

Sua única finalidade, agora, é dar um discurso para quem não tem outro.

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

28 respostas

  1. Agora vai, agora vai, kkkkkkkkk vai mas não tá indo, kkkk os incompetentes dizem: agora vai, kkkkkkk

    1. Marchinha antiga do carnaval cantava:

      Menina vai
      De um jeito vai
      Senão um dia
      A casa cai

      Verdade atemporal.

      1. Agora não. Já tá indo pro buraco faz tempo. É que o gado (manso), tá andando mais pra achar capim. Quando o capim começar a faltar direto, é capaz até desses chifrudos bolsonaristas começarem a acordar.

  2. Quem apoiou Hitler na Alemanha e mandou carta ao presidente Hindenburg pedindo sua nomeação como chanceler, foi ninguém menos que o empresário Barão Gustav Krupp, dono da maior siderúrgica do mundo. Aqui quem apoia Bolsonaro para que ele tenha poder absoluto, e vai ao ato público pelo fechamento do Congresso e do STF, é um empresário fabricante de salgadinhos. Além do mais, Krupp queria o Doutor Schacht comandando a economia, um defensor intransigente da intervenção do Estado no funcionamento da economia. Estes empresários daqui agora querem – Meu Deus! – o Guedes, uma pessoa que não conseguiria ser sequer um guarda-livros do Doutor Schacht.

  3. PIB privado, é fantástico hahahaha
    Ficava até melhor a dupla caipira Pibinho& Dolão,colocar a culpa no PT, rsrsrsrs

      1. Como aqueles dois velhos amigos que se encontram no supermercado:
        -E aí amigão , tudo bem contigo?
        -Tudo ótimo cara, nos trinques, maravilha!
        -Então, comprando muito?
        -Não, na verdade já vou embora, pois meu cartão do super tá sem saldo.

  4. Fazer um país de abundância como o Brasil não crescer nem 2,5% (mínimo natural) é coisa de imbecil completo. É coisa de guedes bozo. É fracasso geral.
    A PT deixou um país com uma espetacular auto-suficiência de petróleo, sistema elétrico sensacional e avançado, energia abundante vinda das 4 itaipus (Usinas do Rio Madeira, do Teles Pires, Belo Monte e usinas eólicas), quase 1 trilhão de obras de infra-estrutura (milhares com até 80% de avanço, e interompidas pelo Temer e bozo), Divida externa resolvida, BDNES e Banco do Brasil e Caixa bombando, Minha casa minha vida, Casa para todos, Mais médicos, Reservas internacionais de 400 bilhões de dólares, produção de alimentos récorde, centenas de universidades e escolas técnicas, etc e etc, e estes idiotas ainda quebram o país.
    Como conseguiram parar e destruir este país!?
    Globo, empresários golpista, parte podre do judiciário, generais de palácio, golpistas em geral, etc, aí está sua obra de destruição do país.

  5. Fazer um país de abundância como o Brasil não crescer nem 2,5% (mínimo natural) é coisa de imbecil completo. É coisa de guedes bozo. É fracasso geral.
    A PT deixou um país com uma espetacular auto-suficiência de petróleo, sistema elétrico sensacional e avançado, energia abundante vinda das 4 itaipus (Usinas do Rio Madeira, do Teles Pires, Belo Monte e usinas eólicas), quase 1 trilhão de obras de infra-estrutura (milhares com até 80% de avanço, e interompidas pelo Temer e bozo), Divida externa resolvida, BDNES e Banco do Brasil e Caixa bombando, Minha casa minha vida, Casa para todos, Mais médicos, Reservas internacionais de 400 bilhões de dólares, produção de alimentos récorde, centenas de universidades e escolas técnicas, etc e etc, e estes idiotas ainda quebram o país.
    Como conseguiram parar e destruir este país!?
    Globo, empresários golpista, parte podre do judiciário, generais de palácio, golpistas em geral, etc, aí está sua obra de destruição do país.

  6. Engraçado, regra de transição que não existiu na previdencia, ali decidiu-se foder todos trabalhadores indistintamente….

    1. Mas, e os Bolsominiuns? Devem estar aproveitando o restinho do capim verde, (mas está acabando) e já,já restará somente o capim seco. Só lhes restará andar com a Bíblia levantando as mãos e esbravejando em praça pública. dizendo :É o final dos tempos. Depois as pessoas murmuram: Só pode estarem malucos.
      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  7. Um sisstema de arrecadação que poderia funcionar, tanto num governo de esquerda como de direita, é a cobrança dos impostos por fora. Ano passado foram mais de R$ 500 bilhões (isso mesmo, meio trilhão) de impostos sonegados. Se a cobrança fosse por fora, no ato da compra, a arrecadação seria menor R$ 250 bilhões, pois não estaria embutido no preço como hoje. O sistema já funciona na Coreia. No ato da compra, por cartão, o sistema faz a cobrança do valor da compra e separado do imposto ou taxa. Pergunta: o governo e os empresários querem isso??? Não. Além de ter a arrecadação garantida, os empresários não teriam como vender produtos falsos, ou de origem suspeitas, como certas lojas de departamento vende.

  8. https://uploads.disquscdn.com/images/e6e287433d9e6584a36dd51a3e10f4e69565af02addbbadffe8484a7041c9ef9.png
    Creio que também vale conferir as notícias sobre a XP na bolsa de NY.

    “Entre outras coisas, o relatório afirma que existem discrepâncias significativas entre as auditorias internas da XP e as demonstrações financeiras fornecidas aos investidores em seu prospecto de abertura de capital. Além disso, o relatório alega que o XP demitiu seu auditor depois que descobriu fraquezas nos controles interno.”

  9. Quem apoiou Hitler na Alemanha e mandou carta ao presidente Hindenburg pedindo sua nomeação como chanceler, foi ninguém menos que o empresário Barão Gustav Krupp, dono da maior siderúrgica do mundo. Aqui quem apoia Bolsonaro para que ele tenha poder absoluto, e vai ao ato público pelo fechamento do Congresso e do STF, é um empresário fabricante de salgadinhos. Além do mais, Krupp queria o Doutor Schacht comandando a economia, um gênio que desprezava a ortodoxia liberal, defensor intransigente da intervenção do Estado no funcionamento da economia, financiando empresas e realizando projetos de infraestrutura. Estes empresários daqui agora querem – Meu Deus! – o Guedes, uma pessoa que não estaria sequer à altura de ser um guarda-livros do Doutor Schacht.

    1. Guedes ja tinha sido executado pela SS. O senhor Machado ja tinha conversado com o Ze Pescoço do Guedes

      1. Depois de ano e meio de Schacht no ministério, quando a economia já estava recuperada, Hitler colocou Goering em seu lugar e instituiu o trabalho escravo dentro de um esforço de guerra, mandando buscar 2 milhões de trabalhadores na Europa Oriental, dos quais apenas 200 mil eram remunerados. Guedes talvez escapasse do machado, se aprendesse a fazer espoleta de canhão.

  10. Sejamos justos: o único candidato q defendeu enfaticamente o aumento da alíquota do imposto sobre grandes fortunas e voltar a cobrar o imposto sobre lucros e dividendos foi Ciro Gomes. Não é fato ?

  11. O nosso sistema tributário, fundado na Ditadura e desenhado para favorecer os ricos, nunca recebeu um segundo de atenção da nossa esquerda, exceto para defender o tal imposto sobre grandes fortunas, uma bravata inócua. Ora! existem inúmeras propostas mais importantes e viáveis para mudar o perfil regressivo desse que é o mais injusto sistema tributário do mundo, no entanto, nenhuma delas mereceu a mínima atenção dos nossos bravos parlamentares e governantes. Os impostos sobre renda e patrimônio dos ricos continua irrisório e os impostos sobre o consumo, nas alturas. O imposto sobre heranças, de responsabilidade dos Estados, pouco progrediu, mesmo em mãos de governos de esquerda. E os benefícios fiscais (350 bilhões/ano) continuam alimentando o bolsa-bilionário e as holdings patrimoniais funcionam de norte a sul para a ocultação de patrimônio e elisão fiscal.
    Reformas cosméticas são mais um engodo e a tal “simplificação” só objetiva transferir o controle da arrecadação de tributos da Receita Federal para as mãos dos banqueiros, que em breve terão o Banco Central “independente” de qualquer controle do Estado.

  12. Lupa, MicroscÓPIO e Estatística I for dummys, vejam só o triste fim do nossos paleoneoliberalozóicos da mão “grande” e da inteligência “invisível”, agora não se furtam da dura tarefa de buscar (como falam na novalingua do Mercado), um “bipizinho” (0,01%) aqui outro acolá nas nossas contas nacionais, sinais da prometida recuperação do caos que eles mesmos criaram. E era só “tirar a Dilma”, fazer a “política econômica virtuosa” do Macri, completar as “reformas”, despertar aquele “instinto animal dos empresários” e correr para o abraço. O único probleminha seria aquela “enxurrada de dólares” que entraria no eldorado market friendly e pro business da Bruzundanga, molezinha ein, gênio! Mais fácil até do que ser “economista de Banco” e palpiteiro na “grande” “imprensa”. Marcos “Liso” Lisboa, Samuel “Boa” Pessoa, os irmãos Schwartsman (que têm o talento invertido dos Coens do cinema, mas aplicados ao nosso fino e requintadíssimo “jornalismo” “especializado” da Foia), sem falar daquela velha guarda, nosso nunca “olvidado” príncipe e sua corte renascentista dos trites trópicos, com Armínio “Pego no” Fraga neoesquerdista nas horas vagas não dedicadas a obra de multiplicar milhões, Pedro “Invisível” Malan, irmãos “Tele” Mendonça, Gustavo “Barroso e nada” Franco, André “Equitação” Lara, Pérsio Árid(o), Elena “musa da privatização só anda de” Landau, Miriam Leitão, Sardenberg, piratas, papagaios, tucanos e outros bichos, nossos “financistas”, verdadeiros gênios da raça, alquimistas nas artes ocultas em reduzir o país à cinzas cada 10, 20 anos e ficar milionários. Golpistas, sempre golpistas, a palavra que mais odeiam e que mais e melhor os definem.

  13. Cotação Dólar em 06/03/2020 (R$): 4,83* Cotação da data de realização da compra, exceto quando feita a opção por cotação no pagamento/vencimento da fatura. Para compras no exterior com cartão. Fonte CEF.

  14. Vejam a triste sina dos brasileiros: Se tivéssemos um mercado interno vibrante, esta crise quase de nada nos afetaria.O Brasil produz e tem de tudo que os outros países não tem e precisam, o Brasil tem com abundancia :Carne, soja, açúcar, minérios etc e etc!, Um mercado interno forte onde as pessoas deveriam ter sua despensas abastecidas , esta crise quase nada nos afetaria. Mas, como o Brasileiro (a maioria) está vendendo o almoço pra comprar o jantar) então!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.