A vida fora de Tom

Tom Jobim, cuja morte completa hoje 25 anos, nunca foi um artista de rótulos políticos.

Nem precisava, já o trazia no nome: Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim.

Correr mundo, conhecer a fama e o sucesso em terras outras, nunca tirou a identidade e o amor pelas coisas daqui, fossem bichos, plantas ou gentes.

Foram eles e elas que lhe fizeram alma cantar ao ver sua cidade.

Que sempre teve chagas, feridas, dores, injustiças gritando a ouvidos surdos.

Mas nunca tanta estupidez reunida, tanto desprezo pela vida, pela liberdade, pela tolerância, pela alegria que transformou carioca em algo mais que um gentílico, um jeito de ser, portos abertos às nações amigas.

O que resta disso não entende o que nos fizeram, nem o que nos fazem.

Um pastor abúlico que detesta festas; um troglodita inflado que detesta vida humanas, um chefe de milícias que urra ódios.

Mortes comemoradas como gols, crianças mortas, normal, miséria é o que suja a rua.

Graça só nas igrejas e na calçada desgraça, assim, feia e apavorante, para que não de tenha de olhar e, assim, ser feliz e alcançar a luz dos cegos.

E a gente mudo diante dos bárbaros, como os passarinhos que o Tom amava nos versos do Chico: muito cuidado, bico calado, que os homens vêm aí.

O Rio de hoje, porém, faria chorar, em vez de cantar, a alma de Tom Jobim.

Aquele delicado maestro ensinou um dia que é impossível ser feliz sozinho.

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

7 respostas

  1. Rememorações DOLORIDAS,senhor FERNANDO.Mas,essa mesma cidadania,que o fez chorar,continua insensível AOS POETAS E AOS PINTORES,que contrariando VELHOS ADÁGIOS,nada É PERMITIDO.E continuamos,amargos e sós,diante de uma MASSA IGNARA,que não come,não bebe,não sonha,e mesmo assim ACHA QUE É FELIZ.Esperam,IR PRA O CÉU.E ,mesmo que saibam,que o CÉU NÃO EXISTE,se apegam,por COVARDES,AOS SOFISMAS QUE A CLASSE RICA,lhes embute nos pobres cérebros.Somente a REVOLUÇÃO,o resto são sonhos “DEMOCRÁTICOS”,esse EMBUSTE QUE QUASE TODOS CREEM.

  2. Tom sofreria muito se estivesse vivo para ver no que o Brasil se transformou. Não há mais amor, sorriso nem flor.

  3. Belíssimo, irretocável, exceto por essa parte: “para que não de tenha de olhar”, onde, me parece, o primeiro “de” não tem lugar.

  4. Sim temos que defender nossa alegria de viver, único produto genuinamente nacional, por mais que nossos falsificados “europeus” de terceira e quarta geração, por mais que nossos “americanos” bilíngües de Disneylândia (os de verdade são monoglotas convictos) insistam nessa repugnante tristeza e nesse show grotesco de horror. Nossos “desterrados” “europeus” e nossos “desterrados” “yankees” , ainda esperam uma nau que vai lhes levar de volta à “Metrópole” e seu “Antigo Regime” enterrados há séculos por muitas revoluções.

    https://youtu.be/jJuf_Dwta5w

  5. É… tempos difíceis esses de hoje. Mas cá pra nós:Tom Jobim e Vinícius de Moraes juntos…puta que pariu. Nós já fomos bons, muito bons. Pena o hoje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *