O “Senhor da Direita”

Os números do Datafolha, pressentidos ontem pela obviedade dos dados iniciais divulgados pela Folha de S. Paulo, corroboram o diagnóstico que aqui se fez de que Jair Bolsonaro segue, como planeja, sendo o “Senhor da Direita” e não dando espaço para que outros possam pretender emergir no campo conservador.

E isso inclui Sergio Moro, que sabe que seus apoiadores são, na maioria, os mesmos do ex-capitão.

Se Bolsonaro conseguirá manter esta hegemonia, como até agora, já são outros quinhentos, dependentes de não haver uma perda do patamar de estagnação econômica em que nos encontramos ou, mas aí em menor grau, por algum dos muitos escândalos que, até agora, contam com a tolerância da maioria.

As ligeiras variações de índices, quase sempre dentro das margens de erro, não autorizam ver mudanças de grau de concentração destes núcleos fiéis: seguem alojados nos empresários – e numa pesquisa assim entendam-se por pequenos negociantes de bens e serviços -, nos mais ricos, entre os homens e nos Estados do Sul.

O que se pode perceber de alteração não está ainda no campo da opinião pública, mas já se esboça na política: a dificuldade de grandes parcelas do campo conservador em se manterem aliadas do governo, mas a “direita cheirosa”, ao menos publicamente, continuam adotando a receita de sua musa, Eliane Cantanhede, exposta hoje no Estadão: ” Bolsonaro encarnou o anti-Lula. Para enfrentá-lo, só uma cara e uma voz tanto anti-Lula quanto anti-Bolsonaro.”

Como em estados de polarização como o que temos, faz tempo, mais uma via de ódios não parece ser caminho aberto.

PSDB, Novo e Podemos não parecem ter alternativa a não ser permanecerem grudados a este discurso, o que é o mesmo que apoiar o ex-capitão. Mas no DEM, no MDB e no rosário de siglas da direita que acabou, por artes de Bolsonaro, virando centro-direita, há certa percepção de que o agora presidente é como o mata-pau na floresta. Subiu-lhes como um fiapo mas agora lhes dá o abraço da morte.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

9 respostas

  1. A Eliane Cata sei lá o quê, deu a fórmula que confirma o que eu disse do Ciro: o projeto dele é ser o “futuro bolsonaro” e não ocupar o lugar da esquerda ou do centro.

  2. A Eliane Cata sei lá o quê, deu a fórmula que confirma o que eu disse do Ciro: o projeto dele é ser o “futuro bolsonaro” e não ocupar o lugar da esquerda ou do centro.

  3. Não vamos nos iludir.Velho e cansado ditado popular,sentenciava e sentencia e continuara a SENTENCIAR,que TODO O POVO,TEM SEMPRE,O QUE MERECE.E esse daqui,com exceções raras,não foge da raia.

  4. Ainda que nos traga muitos problemas seu desgoverno, Bolsonaro é problema dos golpistas. Nosso problema é recuperar o espaço político que perdemos, e para isso é necessário resgatar os partidos políticos que junto com os movimentos sociais e os sindicatos são os únicos instrumentos de luta política democrática, e dessa forma podemos reconquistar a maioria política, voltar a eleger o maior número de prefeitos e vereadores nas próximas eleições municipais e vencer a próxima eleição presidencial, única maneira de retomar o caminho de desenvolvimento econômico e social que vinhamos trilhando, resgatar nossa a Democracia e s Constituição. Não vejo outro caminho possível. No Brasil a democracia é revolucionária.

  5. O Brasil e a América Latina vivem um fenômeno: a eterna campanha eleitoral Termina uma, começa outra. E no meio não existe governo nem projeto de administrar o país….apenas disputas políticas para ver quem senta na cadeira. Um eterno Games of Thrones, onde a população é apenas um joguete dos interesses dos competidores. Enquanto isso pessoas continuam não tendo onde morar, o transporte público é terrível, gente morre por doenças do século passado, crianças ficam sem educação e por aí vai. Cansativo.

  6. Talvez devêssemos chamá-lo de “Senhor Direita” (em referência ao saudoso Senhor Diretas, Ulysses Guimarães)…

  7. ” Bolsonaro encarnou o anti-Lula. Para enfrentá-lo, só uma cara e uma voz tanto anti-Lula quanto anti-Bolsonaro.”

    Quem tem adotado sistematicamente este tipo de discurso é o Ciro ( cavalo de Troia ) Gomes…..vamos ver se emplaca.

    Insistir em LULA candidato é devaneio , não é e não será, inclusive se necessário a direita vai encarcerá-lo novamente.

    Serão pelo menos mais 40 anos de atraso e destruição, um salto para trás….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *