“Teaser” do Datafolha mostra Bolsonario ainda dono da direita

19% de “confiança total”no que diz Jair Bolsonaro é, ao meu ver, o mais significativo indicador do “aperitivo” publicado hoje da pesquisa Datafolha prometida para amanhã pela Folha de S. Paulo, apesar de o jornal destacar o grupo inverso, os 80% que dele desconfiam (sempre, 43%; às vezes, 37%).

É o mesmo que na pesquisa feita no final de agosto, com variações inexpressivas, de mais ou menos um 1% nos valores.

Estes são os bolsonaristas-raiz, a base sólida de seu controle eleitoral sobre a direita brasileira. São a fortaleza até agora inexpugnável para barrar o caminho de quem se queira fazer a próxima opção do conservadorismo brasileiro e que, com sua cegueira, acha que pode sugerir um “Bolsonarismo sem Bolsonaro”, igual nas políticas econômicas neoliberais , privatistas e no anti-esquerdismo mais ou menos escancarado.

Leia-se aí Doria, Huck , Moro e outros supostamente menos toscos que o ex-capitão. Nenhum deles, depois de um ano de “Mito”, quase, sequer dá para a saída numa disputa eleitoral.

Os 43% que nunca confiam são a base que têm as candidaturas progressistas, porque o autodenominado “centro” quase nunca assume a rejeição absoluta ao atual presidente, com a conversa frouxa de que apoiará “o que for bom para o Brasil”, como se alguma coisa de boa estivesse vindo de seu governo.

Amanhã, o nível de “ótimo/bom” que sua administração vier a obter deverá ficar um pouco acima destes números, sobretudo pelo “parou de piorar” econômico que se registrou até poucos dias atrás. Mas é provável que, ao redor dos 30% (eram 29% em fins de agosto) , seja uma das priores avaliações de presidente ao completar-se, na prática, um ano de governo.

Esta é a armadilha que a direita brasileira criou para si mesma. Criou uma turba extremista e selvagem como aríete para atacar a centro-esquerda que não conseguia vencer nas urnas. E, agora, não tem como ser maior e mais sólida que ela para pretender ter alternativa própria.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

10 respostas

  1. Caro Brito… não ‘parou de piorar’. Não há como ‘parar de piorar’ com empregos de classe média virando lixo com a ex-CLT que devasta salários e dignidade. Qualquer sensação de melhora é falsa, manipulação enfiada por tímpanos e retinas. O povo está perdendo todos os meios de acumular patrimônio ou mesmo sobreviver. Não tem Manipulação que traga de volta o orgulho ao bolso. Um amigo sugeriu que a redução da Selic é um plano de Guedes para obrigar as pessoas a tirar o dinheiro da poupança e investir… não, ele não quer turbinar a economia; a intenção seria diminuir os dividendos pagos a cidadãos comuns. Assim só os banqueiros lucrariam, cobrando juros de empréstimos diretos. Guedes tem procuração de Belzebu e benção de Satanás, com certeza.

    1. Não precisa procuração dessas duas entidades abstratas: basta a do filhodap*ta do Planalto, guiado pelos seus donos, todos de carne e osso.

    2. Parou um pouco de piorar apenas para escutar algum barulho confuso que veio da economia, mas logo vai retomar a queda, com perigo de despencar de vez. Quem já viu os olhinhos do Guedes a falar para americanos, sabe que ele não tem qualquer capacidade de avaliação da realidade que vá além de seus simplórios números de compra e venda. A pesquisa teve o mérito de mostrar que 80% do país está de orelha em pé e disposto a dizer basta de Bolsonaro e de Guedes.

  2. Penso que a extrema-direita não passa de 15%. Basta observar a quantidade de deputados federais (menor que 10%) eleitos pelo fenômeno Bolsonaro. Não confundir com conservadores que apoiam Bolsonaro circunstancialmente.

    Há interesses inconfessáveis para inflar o apoio a Bolsonaro.

  3. Teve uma pesquisa da Paraná pesquisas recente mostrando que o Bolsonaro ainda ganharia pela mesma margem. Os jornais de esquerda vem sistematicamente interpretando os “bons/regular/nao sabe/…” como negativo ao Bolsonaro, mas a verdade que a campanha anti-PT feita deixou estragos permanentes. Na falta de um nome de direita forte, as mesmas pessoas votarao na reeleiçao, nao houve mudança do quadro desde a reeleiçao.

  4. A pior direita é a difusa, aquela que a imprensa vende como progressista, incorruptível e superior, coisa que não são de modo algum mas convence os eleitores idiotas. Com a ansiedade de tomar o poder de fato e poder roubar mais comodamente do que já faziam, o bozismo coagulou a direita difusa e agora qualquer um sabe quem são, o que fazem e como se comportam. E como são feios do ponto de vista da humanidade. É por isso que resta apenas 19% de “declarados”. Assim fica mais fácil ter discernimento. Vamos ver se a remela dos olhos do povão cai e ele para de se votar como um idiota.

  5. Seria bom se os 19% estivessem contidos nos 30% que votam no PSDB. Mas provavelmente nao. Entao podemos ter quase 50% contra a esquerda e 40 a 44% votando nos avanços sociais. Precisamos dos votos dos que costumam ae abster e nos jovens

  6. Meu pitaco sobre o assunto (não sou expert econômico), mas vejo e analiso as coisas:
    1- o desgoverno Bozo está maquiando os dados, trocando os chefes dos setores de pesquisa para colocar nas pesquisas, pessoas subempregadas, como se tivessem um emprego formal;
    2- os dados da balança comercial brasileira também não são confiáveis (o Financial Times que divulgou), isso não é factóide;
    3- as poucas pessoas que pensam no desgoverno Bozo (são poucas), já sabem que a situação econômica é ruim e que eles NÃO TEM A MENOR ideia de como reverter.
    Então estão tentando o “voo de galinha”, liberando os R$ 500,00 do FGTS para o povo assalariado, poder aquecer o comércio no final de ano.
    4- Se nada disso der certo, alguns vão voltar ao “mantra burro direitista”: A CULPA É DO PT!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *