Bolsonaro veta representação do Brasil na posse de Fernández

Nem mesmo a presença da insossa figura do Ministro da Cidadania, Osmar Terra, representará o Brasil na cerimônia da passagem de cargo de Maurício Macri para Alberto Fernández, novo presidente da Argentina.

O motivo, diz o jornal El Clarín, teria sido a presença, na comitiva de Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, de dois deputados de esquerda – Paulo Pimenta, do PT, e Orlando Silva, do PCdoB. Havia, claro, também os líderes do MDB e do DEM. Haveria, com certeza, a presença do líder do PSL se, a esta altura, se soubesse quem é e que ele se dispusesse a ir.

Por mais otimismo que se tenha, está difícil não ver que a atitude brasileira sinaliza o fim próximo do Mercosul e o desmanche de qualquer política de sinergia entre Brasil e Argentina nas suas ações sobre as disputas comerciais no mundo.

Países que têm interesses e adversários comerciais comuns, como agora mesmo se viu quando da ameaça de Donald Trump em sobretaxar amos, para beneficiar os farmers norte-americanos, incomodados com nossas exportações de grãos e de carne.

É difícil saber o que se passa na cabeça miúda de Bolsonaro, talvez a ideia de que ressuscitar a antiga e insensata rivalidade Brasil x Argentina, tão cara aos militares de um século atrás.

O fato objetivo é que o Brasil perde um aliado e ganha um adversário na casa ao lado. E mesmo onde há um presidente “amigo”, como no Chile e, daqui para a frente, no Uruguai, Bolsonaro nos faz não sermos mais bem-vindos.

Como andamos assim também na Europa e Trump nos trata como cachorro vadio, onde vamos buscar negócios?

Imagine se fosse um governo de esquerda que nos colocasse, como este o faz, exclusivamente dependentes da China?

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

30 respostas

  1. ESSE FILHO DA PUTA NÃO TEM A ELEGÂNCIA DE UM BRASILEIRO MAIS HUMILDE,ESSA AMEBA SEQUER SABE O QUE QUER DIZER SER CHEFE DE ESTADO,TOMARA QUE LULA COMPAREÇA.

      1. Não ficaria bem ele ir se o Brasil tivesse representação oficial. Do jeito que está, acho melhor que ele reconsidere e vá. Ao menos representaria a parcela dos brasileiros que discorda do atual cretino que ocupa o Planalto.

    1. Até quando precisaremos suportar essa desgraça dessa famiglia miliciana que os comedores de alfafa elegeu.

  2. Política não deveria ser tratada com o fígado, mormente política externa. Mas fico pensando com meus botões que o Lula vai estar lá e, salvo engano meu, será o Aí Jesus da festa. O Chão, desculpe, o Terra, qual moça que ninguém tira para dançar, a vagar pelo salão. A imprensa estrangeira…Sei não, mas, e o medo do vexame?

  3. Quanto é que o Gal. Heleno está ganhando a mais do que seu irrisório soldo de 19 mil reais? Hããnn!!! Então tudo bem. Isso é que é ser nacionalista.

  4. Se o Fernandéz boicotar os nossos produtos manufaturados e não nos vender mais trigo, quero ver o que nosso presidente ruminante vai fazer. Com o pão a 30 reais o quilo, quero ver segurar o povão. Ford, Fiat, GM, Peugeaut, Renault e Citroen já podem pensar em fechar algumas de suas plantas de montagem. E o desemprego correrá mais solto ainda. Eu já sabia que ele não tinha cérebro, mas pensei que a natureza tivesse lhe dado 2 neurônios. Enganei-me.

  5. Da parte dele, bolsonaro, é só mais uma demonstração da sua enorme ignorância
    Mas e da parte das instituições e dos que o acompanham: pode um presidente ser tão pessoal e demonstrar inimizade a uma país que não é nosso inimigo? Pode?
    As críticas aos governos do PT se mostram de origem no preconceito e ódio, e na indignação falsa, tanto que nada representa isto melhor que o bolsonaro. É quase um elogio.

  6. Isso equivale a romper relações diplomáticas com um país,e no caso da Argentina o Brasil tem muito mais a perder, e quem vai sofrer de verdade, como sempre, com o desgoverno desse “Sargento Nojento”, é o povo imbecil que votou nessa besta quadrada chamada Messias Anticristo..

  7. O povo escolheu o mico e o mico honrará a posse de Fernandez com sua ausência. Dispensável procurar algum sentido de respeito ao Brasil em quem bate continência à bandeira americana. Pelo menos o mico é honesto: cumpre o que prometeu, absurdos e absurdos.

  8. Certamente o Alberto Fernandés nem vai querer assumir a Presidência da Argentina, pela falta que fará o “ilustre vizinho” na sua cerimônia de posse? Se já faltava educação nesse país…? O Lula vai roubar a cena nas fotos ao lado de Alberto e Cristina, com imagens que entrarão para a história, confirmando a sua grandeza de estadista.

  9. Servo do império, que tem na mão todas as falcatruas e crimes da famiglia, bozo cumpre ordens – do contrário cai e vai em cana. Ao império interessa destruir o mercosul, mesmo que isso leve circunstancialmente a um benefício imediato à China.
    Bozo usa o pretexto de que Alberto Fernandez é esquerdista para alimentar sua matilha. Eles precisam de uma dose diária de merda para que o espaço da caixa craniana não fique vazio.

  10. É uma situação bem difícil de ser enfrentada. Primeiro, porque não é prudente peitar loucos, e é preciso muita calma nesta hora, porque nunca se sabe do que um louco é capaz. Certos loucos, como o Doutor Antonio do Fellini no Boccaccio 70, julgam-se a palmatória do mundo, e são capazes de enfrentar qualquer coisa para fazer valer suas convicções moralistas, as quais, de resto, não resistiram sequer à tentação de um fetiche. E depois, porque já que se trata mesmo de loucura brasileira, vai ter início uma enxurrada de pedidos de desculpas a muita gente, em voz baixa, para que o louco não escute, assim como agiam os amigos do Doutor, para que ele pensasse que eles o levavam a sério. Certamente os brasileiros que forem à festa democrática da posse do novo governante argentino vão ter que expiar muita vergonha alheia por tanta loucura sem fim.

    1. Um louco com arma q nao pode matar ninguem a nao ser a si mesmo eu desafio a meter uma bala na propria cabeça

      1. Existem países que adorariam ver nascer na América Latina uma rivalidade tipo Índia x Paquistão, para promover a desunião e a impossibilidade de integração e crescimento solidário no subcontinente. Estes países de há muito estão apostando no fim do Mercosul, e ultimamente têm puxado os cordões de seus fantoches com muito entusiasmo.

    2. Notícia de última hora: O Mourão deve ter falado que ia à posse de qualquer maneira, e o Bolsonaro foi obrigado a engolir que ele vai mesmo, representando o país. Para o mundo, isso vai parecer revés e recuo da extrema direita no Brasil.

    3. Notícia de última hora: O Mourão deve ter falado que ia à posse de qualquer maneira, e o Bolsonaro foi obrigado a engolir que ele vai mesmo, representando o país. Para o mundo, isso vai parecer revés e recuo da extrema direita no Brasil.

  11. Jogada de mestre de Rodrigo Maia para fortalecer o parlamentarismo, mostrando que o Brasil não tem governo e sim um criador de desavenças!

  12. É no mínimo irresponsável essa atitude, mas creio que eles já previam, afinal, quem nesse mundo já não conhece essa desgraça? Bolsonaro saiu da 5° série, mas a 5° série não saiu dele.
    #vergonhadesseacefalo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *