Acusação sem base levará Petrobras a pagar indenizações milionárias a servidores

A notícia, publicada agora em O Globo, de que a Petrobras enviará duas mil cartas com pedidos de desculpas a servidores investigados durante o processo de histeria da Lava Jato vai submeter, com certeza, a estatal ao pagamento de indenizações milionárias por danos morais a seus funcionários.

Afinal, pedido de desculpas pressupõe culpa, como admitiu o presidente da empresa, Roberto Castello Branco, ao dizer, no Dia de Combate à Corrupção, que:

“Em vez de investigar e punir as pessoas que realmente cometiam atos dolosos, inocentes foram perseguidos. Resultado disso é que estamos entregando cerca de duas mil cartas pedindo desculpas às pessoas envolvidas e a seus familiares pelos danos causados. Por isso, aproveito esta oportunidade para pedir desculpas pessoalmente, como presidente da companhia, em nome da Petrobras a todos aqueles que foram injustiçados e seus familiares’

Basta isso para comprovar que pelo menos 2 mil profissionais sofreram dano moral – reconhecido – no processo de caça às bruxas que, à sombra da Lava Jato, instaurou-se na Petrobras.

É o que em direito chama-se “in re ipsa”, o dano moral independe de qualquer outra comprovação.

Não são ações da Justiça, o que ainda poderia dar cobertura a ideia de que foi uma ação judicial: foi administrativa, discricionária, com burocratas escolhendo quem deveria ir para o pelourinho para “provar sua inocência”.

Vai acontecer o mesmo no BNDES, pode apostar.

Cada um de nós, contribuintes, terá de pagar estas inevitáveis indenizações que, tendo em vista o padrão salarial dos ofendidos, não será barata, ainda mais acrescidas dos juros de mora e correção devidos, segundo súmula do STF, desde a data destes eventos.

E serão dezenas ou centenas de milhões, pode ter certeza.

Mas não sai do bolso de quem fez isso, não é?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

10 respostas

  1. gángsters, piratas, santinhos do pau oco, canalhinhas todos impunes, e tudo isso graças a nossa paralisia, nossa falta de reação, a nossa cabeça baixa e virada para o lado, nossa vergonha, nosso medo, nosso silêncio, nosso excesso de escrúpulos, nosso udenismo de esquerda. Gostaria de acreditar que nossos filhos, filhas, netas e netos não permitirão que isso volte jamais a psssar, mas nem isso.

  2. 1. Não tenho dúvidas de que a maioria das perseguições foram motivadas pela assumida ideologia política do funcionário.
    2. Os prejuízos da lavajato à Nação e à População Brasileira são muito maiores do que se pode conceber e por décadas, talvez séculos, pagaremos por eles.

  3. concordo com o Mike Lee. Pode ser mais um passo pra “desvalorizar” a empresa e entregar bem baratinho. Além do mais, essas indenizações deveriam ser pagas por quem agiu e mandou agir. Não sei, mas deve haver essa possibilidade.

    1. E há!
      Basta o Estado se condenado, pleitear ação de regresso contra os causadores desta demanda em prol dos servidores destá estatal.
      Mas em sendo os causadores ,desta , personagens “intocáveis ” duvido que a eles venha a prejudica-los.

      1. além disso, há esse “governo”, entreguista, que não vai mexer um dedo pra livrar a BR de pagar

  4. Isso mais parece um cala-boca. Não será isso parte de uma estratégia para passar a mão na cabeça dos funcionários e comprar o conformismo deles diante do desmonte e da privataria?

  5. E vai chover gente “de bem” dizendo que o presidente deveria ter ficado calado e não reconhecido o erro. Mas convenhamos: é difícil ver um ato como esse, um pedido de desculpas. Minha dúvida é se foi alguma decisão judicial que escancarou a sordidez da coisa. Se o pedido de desculpas era inevitável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *