Ameaça a ministros do STF só é levada a sério porque há ódio no país

Não há muitas pistas, exceto que o grupo que estaria prometendo atentados contra os ministro do STF – como noticia a Folha – se autodenomine “Unidade Realendo Marcelo do Valle”, o que poderia ser uma referência a Marcello Valle Silveira Mello, personagem que várias vezes foi preso por crimes de ódio na internet.

(Aliás, este blog está sendo processado por pessoa que participou do grupo e que se considerou ofendida pela menção a seu nome em documento judiciais)

O “Realendo” pode ser grafia errada do famoso “Massacre de Realengo”, onde Wellington Menezes de Oliveira pôs fim à vida de 12 adolescentes, em 2011.

Por mais que possam ser meia dúzia de alucinados, só conseguem espaço porque há – e em especial contra o STF – que é movida pelos odiadores profissionais das redes e pelos pregadores da “intervenção militar” que vicejam à sombra do moro-bolsonarismo.

Só aparecem por conta do inquérito aberto pelo próprio STF, contra a vontade da Procuradoria Geral da República, que faz vista grossa a quem a coloca no panteão dos heróis nacionais.

Contra eles não há 10% do furor persecutório que houve com os hackers de Araraquara, por conta dos vazamentos de mensagem.

São um bando de loucos? Pode ser, mas estão sendo insuflados por gente bem esperta.

E uma hora passam da intenção ao gesto.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

14 respostas

  1. False flag para justificar o fechamento do regime.

    Inclusive, há projetos de lei em tramitação no Congresso com a “nobre missão” de monitorar possíveis “terroristas” e até mesmo agir “preventivamente”. A real intenção já sabemos: é calar movimentos sociais. Tal conjunto de projetos de lei já foi devidamente apelidado de “Patriot Act Tabajara” (em alusão ao que foi feito nos EUA após o 11 de setembro) em sites da internet.

    1. Altamente preocupante. As cinco propostas que juntas formam o “Patriot Act Tabajara” são de arrepiar.
      As pessoas que ouvem falar sobre isso dão de ombros, dizendo “nunca fiz nada de errado, então não preciso me preocupar” e não se dão conta de que o risco é real para todos, não só para “baderneiros e terroristas”, como querem que a gente acredite.

  2. Desconfio que um certo shit judge vai aproveitar a deixa, alegar dói-dói, pedir pra obrar e pendurar a toga suja – ele é que não vai dar a suspeição do marreco de maringá. O terrorismo é para isso mesmo. Ou acham que vão esperar até novembro pra dominar tudo?

  3. Logo ,logo ,se o “script” surrado estiver correto,haverá um “atentado terrorista comunista”.Deixaram passar a chance do “revide”no epísódio porta dos fundos,mas ,logo eles arranjam uma desculpa para existir o “revide”.
    Os vermes continúam agindo basicamente ,e muitos deles estão com o poder suficiente como para provocar as desculpas necessárias ao endurecimento do regime.
    Curiosamente quem podería se opôr a isto,porque afeta seus negócios ,são os poderosos .A bagunça e a imagem ruim ,não dão lucro.

  4. Há ódio no pais . Mas quem acreditava que o tribunal era o último bastião da defesa dos direitos humanos , da democracia , do estado de direito e da própria constituição . Hoje um tribunal político que anda de braços dados com o ditadores de plantão , que se deixou levar pelo populismo midiático , deixando de cumprir o que está escrito . Não quererão matar a todos , alguns parceiros serão salvos , eles sabem quem são , nós sabemos desde de 2014 quem são eles .
    Não cabe aqui a frase da música de Vandré ” cipó de aroeira no lombo de quem mandou dar ” . A maioria se salvara ” . O ódio pode vir de vários lados e, em sendo assim , podemos ter um novo tribunal totalmente evangélico .

  5. Não são um bando de loucos. São um bando de militantes fascistas que enxergam longe, e têm certeza de que vão tomar o poder total do país em muito breve. Quem gozar hoje de poderes institucionais republicanos, e ainda guardar um mínimo de crença nas infalíveis lições da História, deve fazer tudo o que estiver a seu alcance hoje, para impedir que tal calamidade aconteça. Talvez a paciência deles com o STF ainda os esteja a segurar porque sabem que, dentro de pouco tempo, sua ideologia deverá ser majoritária naquele tribunal.

  6. Votaram pensando no Capitão Nascimento, mas acabaram elegendo o Major Rocha. Ou não assistiram ou não entenderam o filme Tropa de Elite 2.
    Segundo apontou levantamento da Agência Pública, Flávio foi o candidato mais votado em Rio das Pedras, território do Escritório do Crime, em 2018…. – Veja mais em
    https://noticias.uol.com.br/colunas/leonardo-sakamoto/2020/02/15/para-livrar-flavio-bolsonaro-diz-que-mandou-premiar-matador-afirma-freixo.htm?cmpid=copiaecola

  7. Brito, há anos Dolores Aronovich, professora feminista da Universidade Federal do Ceará, autora do blog EscrevaLolaEscreva, vem sendo perseguida, ameaçada, tendo seus dados pessoais e de seus familiares expostos pela internet por um grupo que ela passou a denominar de Mascu, abreviação de Masculinistas. A mídia estrangeira os chama de Incel (celibatários involuntários). Os principais articuladores destes ataques eram Emerson Rodrigues Setim e Marcelo Valle Silveira Mello. Eles tinham um site que ensinava como estuprar sem deixar rastros, o que fazer durante o estupro, melhores horários para sequestrar mulheres e estuprá-las, como se aproximar de crianças. Era uma coisa nojenta. E a Polícia Federal, apesar das váaarias denúncias, nada fazia. Demorou anos até tirarem o site do ar. Criaram sites falsos com o nome dela e do marido, com acusações absurdas, como que ela estaria ensinando as alunas a fazer aborto. A perseguição a ela é tanta que foi aprovada a Lei Lola para combater crimes virtuais.
    Voltando à Lola (como carinhosamente a professora Dolores é conhecida): como ela acompanha os chats que a difamam e planejam ataques contra ela na deepweb há tempos, quando houve o massacre em Realengo, ela conseguiu juntar prints dos chats e os publicou em seu blog, mostrando que havia relação do atirador de Realengo com os Mascus (o ponto de encontro deles é um chat anônimo na deepweb chamado Dogolachan, desenvolvido pelo Marcelo Valle Silveira Mello). Ela identificou que rapaz que atirou em um casal de lésbicas e depois suicidou-se, em Penápolis, foi um masculinista muito ativo no Dogolachan. O rapaz em questão, André Luiz Gil Garcia, usava o nickname Kyo.
    Também os autores do massacre em Suzano eram frequentadores do chat Dogolachan criado e alimentado por Marcelo Valle Silveira Mello.
    Vou deixar aqui o link para o texto da Lola sobre o massacre em Suzano, nele há links para o caso do assassinato em Penápolis e para o Massacre de Realengo: https://escrevalolaescreva.blogspot.com/2019/03/massacre-de-suzano-um-crime-anunciado.html
    Esses rapazes covardes passam o dia destilando sua raiva, frustração e ressentimento na internet, escondidos e anônimos. Não sei se estes rapazes, em específico, teriam coragem e inteligência o suficiente para praticarem um atentado contra homens adultos e contra uma instituição forte e protegida como o STF. Mas é como o Brito disse ao final do texto: esse pessoal pode ser um bando de louco que está sendo insuflado por gente bem esperta.

  8. A república de Curitiba já faz terrorismo contra o STF há anos….. E agora inventam esse balão de ensaio?

  9. Essa coisa de terrorismo , esta parecendo uma ameaça velada de Sergio Moro , ele pode ser impedido pelo $TF e sabe que ali só tem togados acovardados , então vão tocar o terror para cima dos ilustres togados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.