“Ameaça” de Cabral mostra que delação é só um negócio

Demitiu-se, antes mesmo de atuar, o segundo advogado de Sérgio Cabral Filho desde que o ex-governador “ameaçou” fazer uma delação premiada.

Para que se dispensem contratos milionários, dá para ter ideia do grau “ético” do negócio que o ex-governador, já com dois séculos de sentenças (198 anos e seis meses de prisão) nas costas, está querendo fazer. Por uma tornozeleira, está disposto a dizer o que quiserem e até um pouco mais.

A turma da “moralidade” fica na torcida: “vai lá, Cabral, entrega todo mundo”. Poucos ou nenhum se incomoda se haverá veracidade no que diz um homem que, de outra forma, passaria décadas na cadeia.

Ou que, havendo alguma, outras sejam simuladas para atingir os que interessa atingir.

Os acusados é que provem sua inocência, numa inversão escandalosa do ônus da prova.

Não é novidade, pois é o mesmo que acontece com o ex-ministro Antonio Palocci, outro que negociou delações na mesma base.

Nem adianta, porém, falar nos absurdos de uma legislação que permite delações nestas condições e, pior, cuja validade vai ser analisada pelo mesmo juiz que julgará o denunciante, o que torna o juiz, desde o início, “dono” da vontade de condenar.

No caso de Cabral, cujo enriquecimento foi evidente e escandaloso, a delação que pretende evidencia o escândalo que este processo de “m… no ventilador” se tornou.

Ao menos este serviço ele presta ao propor tal negócio.

Tudo é tão nojento que nem os advogados, que nada teriam a perder e, ao contrário, muito ganhariam, quem por as mãos na imundície.

Haverá quem as ponha, porém.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

  1. Todo cuidado é pouco, ele pode dizer que o Lula foi o mentor intelectual….Bom Natal Brito e melhoras no seu quadro de saude!

    1. Eu ia comentar nesse sentido. Não se iludam, a delação só será “aceita” se colocar Lula como o responsável pela corrupção no Judiciário.

  2. Os advogados têm é medo de entrar na sujeira e, meses mais tarde, sofrerem uma “queima de arquivo”…

  3. Não há nenhuma dúvida delação sem incriminar Lula e o PT não vale para a turma golpista do Lava a Jato. Se houver delação Cabral deve repetir Palocci para poder ter direito a prisão domiciliar e manter parte da fortuna que roubou. Criminalizar governos de esquerda, vide Brasil, Argentina, Equador, entre outros é a nova estratégia da extrema direita para chegar ao poder. Porém acredito que essa tática não deve perdurar por muito tempo, devido as medidas impopulares que governos de direita tomam que logo despertam a ira popular, como já vemos na França, Hungria e logo ocorrerá no Brasil.

  4. depois de tomar 200 anos na cacunda, fica fácil aceitar qualquer delação.

    já para o mp fica a pergunta, qual a vantagem de conceder benefícios, para quem já tá afundado até o pescoço, e até agora não cooperou?

  5. Lei que instituiu a Delação Premiada deve ter um artigo afirmando que é necessário envolver o nome de Luiz Inácio Lula da Silva para que qualquer delação premiada tenha valor!

  6. Vai dizer que todo o dinheiro roubado é do Lula, com grande porcentagem para Dilma e o PT! Sairá da prisão com uma tornozeleira eletrônica por um ano e cai ficar com todo ou quase todo dinheiro roubado! Essa é a justissssa bananeira!

  7. O maior ladrão de todos os tempos no estado do Rio de Janeiro vai fazer delação premiada? E não vai delatar todos os intermediários, empresários e asseclas ainda escondidos? Só vai delatar o PT, o Lula, a Dilma, aí será aceita a delação? Só no país da justissa (não é erro ortográfico) de bosta em que vivemos. Guilhotinas, guilhotinas, guilhotinas, é tudo o que precisamos.

  8. Saiu na mídia que vários advogados não querem que seus clientes delatem juízes, pois o corporativismo fará que seus crimes sejam prescritos. E depois, eles terão casos julgados por eles.
    Como saber que não é este caso?

  9. Continuo a dizer que a lei é boa. Mas se o juiz resolve “usá-la” com outros propósitos é que é o problema.
    Nossa constituição é ótima. Tantas vezes cometeram crimes tantas vezes negaram a constituição.
    A lava jato já provou que o poder judiciário é mais santo que o alkimim. Nunca nem um nomezinho. Nem juiz topetudo apadrinhado pelo casal sérgio cabral nunca participou de nada.
    A lava jato já provou que são santos. Ainda mais que os santos do psdb.
    Melhoras e Feliz Natal, Brito. Cuide-se.

  10. As mãos nessa imundicie são as maos daquela “região agricola” que Tecla Duran tão bem conhece

  11. A proteção do Aécio, só pode ser essa, só que num patamar mais em cima, muito superior ou supremo a esse do Cabral.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.