Anúncio de Meirelles só vale para meta da de 2017. E olhe lá…

mei

O que se ouviu na “entrevista coletiva” de Henrique Meirelles foi um conto da carochinha.

Nada ali tem valor, até porque apresenta como um ballet para disfarçar o fato de que o governo Michel Temer não tem força para aprovar coisa alguma.

Coisa alguma e menos ainda um programa de reforma do Estado contido na reformulação nas carreiras públicas – justamente nas corporações internas mais poderosas.

Tudo se resumiu a poder apresentar planilhas aritmeticamente  corretas , mas que se desmancham no mesmo instante quando se pergunta se são politicamente factíveis.

E não são.

Nem mesmo a mudança na tributação dos findos “exclusivos”, não abertos ao investidor comum, vai na contra-mão da queda que ele mesmo mostrou estar acontecendo na carga tributária. Trata-se apenas de uma antecipação de receitas.

E de uma postergação de despesas, porque  se estica até 2002 o déficit nas contas – e alargad0-  num total de 200 bilhões de reais no biênio 19/20, nais os R$ 320 bilhões do 17/18.

Os números não são o resultado de contas, as contas é que são resultado de números a que se queria chegar.

2018 é longe e permite outro espetáculo de revisão como este que tivemos.

2017 é o grande problema.

Essa é a conta que vale e que vai ser perseguida, com grande dificuldade, pelo que restado “dream team”, agora totalmente desmoralizado.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

4 respostas

  1. De farsa em farsa o Brasil se afunda…e Temer ? Se salva? Por enquanto o “mercado” garante. Até quando…

  2. Os bandidos gastam trilhões tentando ficar no poder. Gastam o dinheiro do povo para continuarem roubando o dinheiro do povo. O Brasil da Globo deixou de ser o Brasil dos brasileiros. O Brasil da Globo é para os bandidos golpistas como eles.

  3. Os americanos nem precisam gastar dinheiro com a ocupação territorial do Brasil. Os maus brasileiros se encarregam disso, principalmente, os coxinhas/trouxinhas lunáticos e otários midiatizados pelo PIG. É dessa classe de canalhas e imbecis que temos nojo, revolta e repugnancia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.