Argentina estende “estado de emergência alimentar” a que Macri resistia

Depois de uma intensa campanha, que reuniu sindicatos, igreja, organizações sociais e quase todos os partidos políticos, a Câmara dos Deputados da Argentina aprovou uma lei que estende o conceito de “emergência alimentar” e permite a realocação de recursos para que voltem a funcionar os programas de alimentação que estavam em semiparalisia, por falta de dinheiro.

O presidente Mauricio Macri disse que isso não seria necessário, o que desencadeou passeatas e acampamentos de manifestantes nas ruas, arrastando todo o parlamento: a aprovação foi por 220 votos a favor, uma abstenção e nenhum contrário.

Alberto Fernández e Cristina Kirchner têm procurado se manter o mais discretos possível, porque o desgaste do governo é tamanho que o país mal pode esperar as eleições de outubro, para as quais as pesquisas já lhes dão perto de 20 pontos de vantagem.

Uma pesquisa, divulgada hoje pelo La Província aponta que 54,2% dos argentinos acha que Macri não conseguirá manter a ordem no país até a posse dos eleitos, contra apenas 32,2% que crêem que sim.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

28 respostas

  1. Brasil
    Venezuela – Guaido
    Honduras
    Chile

    Espero q o Uruguai nao se iluda e nao vote no fã do Bozonaro

  2. Brasil
    Venezuela – Guaido
    Honduras
    Chile

    Espero q o Uruguai nao se iluda e nao vote no fã do Bozonaro

  3. A situação na Argentina retrata fielmente o capitalismo: fome, migrações, sofrimento, doença, ódio, violência, medo e mentiras. A humanidade só viverá em paz depois que o capitalismo for varrido para sempre da face da Terra.

  4. Uma pesquisa, divulgada hoje pelo La Província aponta que 54,2% dos argentinos acha que Macri não conseguirá manter a ordem no país até a posse dos eleitos, contra apenas 32,2% que crêem que sim.

    Como a Argentina está polarizada pelas eleições, é muito provável que estes números representem uma aproximação do que sairá das urnas.

    1. No tempo q os Kirschner estiveram na presidencia nada de muito ruim aconteceu a Argentina exceto um ou outro locaute q nao causou danos a economia. E tinha retardado q dizia q a Argentina perdeu uma decada… Sei.

  5. Mas, este futuro governo da Argentina não é aquele que o Bolsomerda fazia oposição dizendo que se o Macri fosse derrotado ele iria sair do Mercosul??? Era só fanfarronice???
    É só tiro no pé!!!!!

    1. Chegamos a tal ponto q pra desviar a atençao querem entrar em uma guerra. Sera q Russia e China tomarao alguma decisao? E o Mexico vai entrar na encrenca?

  6. A situação política na América do Sul se transforma a cada dia em nitroglicerina pura. Macri tentará buscar apoio popular através de uma possível intervenção militar norte americana na Venezuela. Esta medida já foi autorizada na OEA(Organização dos Estados Americanos), organização que vive sob o cabresto do governo norte americano e foi aprovada com o consentimento de Brasil e Argentina. Caso ocorra, esta guerra trará desastrosas consequências para a região e para o mundo. Muita gente desconhece que, a Venezuela possui condições militares para atingir alvos em qualquer ponto do nosso território.

    1. Pode ser!! Mas os Argentinos já viram este filme na guerra das Malvinas. Não acredito que eles sejam burros, como a direita brasileira, para levar o seu país à miséria!!!

        1. Errar é humano, persistir no erro é burrice. Esta regra não vale para os bolsomínions. No caso, ERRAR É DESUMANO, PERSISTIR É COISA DE MILICIANO.

        2. Vc tem razão!!! Mas eu quis dizer no sentido de arrasar totalmente. Tipo transformar a Argentina num Brasil com Bolsonaro.

      1. Os alemães precisaram provar duas vezes o mesmo veneno e nós brasileiros, já passamos por golpes que, da mesma forma que uma guerra, destruíram a capacidade de nos desenvolvermos, como povo e nação. Na Argentina a coisa se repete, com o agravante da medida extrema, que foi a guerra das Malvinas.

  7. “… passeatas e acampamentos de manifestantes nas ruas, arrastando todo o parlamento…” . Os hermanos em ação!!!!

  8. Isso porque a capital é Buenos Aires.
    Se imitassem JK, criando uma cidade no meio do nada (Patagônia?) e mudando a capital para lá, acabaria a pressão popular sobre os parlamentares.

    1. Exatamente, Mendez. Um dos erros históricos dos governos do Brasil foi JK mudar a capital para o interior. Para interiorizar a economia e o desenvolvimento não é preciso mudar a capital. Ficasse no Rio, os políticos não transformariam a capital numa Versailles. Endividou o país que nunca mais se recuperou e criou uma blindagem anti povo para os três poderes.

  9. Ah se põe aqui fôssemos capazes de aprender com os hermanos e acampássemos nas ruas pela educação pública e pelo SUS. Um acampamento de 24h. Já Seia um ato de luta para fazer recuar essa quadrilha

  10. O Capitalismo é muito, mais muito cruel, além de MATAR ele consegue iludir milhares,com seus discurso demagogo de empreendedorismo,meritocracia, e suas propagandas milionárias.

  11. Vem aí a ArgenChina. Os BRICS se tornará ARICS. Existe a possibilidade concreta de a China comprar a dívida externa Argentina. Assim os ermanos dariam um chute no FMI. E o Brasil se tornará a maior fazenda colonial pós moderna do mundo. A Argentina não tem petróleo mas tem povo. E povo ao contrário de população costuma reagir.

  12. A Argentina do neo-liberal Macri, o Bolsonarode lá, precisa pedir uma ajudinha à Venezuela, kkkkkkklkkkkk Será que o Guedes andou dando suas opiniões por lá? E olha que o Macri nãoé um imbecil reconhecido no mundo todo, imaginem aqui em quatto anos, Virgeeeeeee!!

  13. Algumas vezes vejo meus comentarios sendo publicados e em seguida serem eliminados da tela. Verifico no perfil do discus e observo que sao considerados como spam. O ultimo foi referente ao comentario sobre a fome na Argentina. O que sera que esta acontecendo .
    Obrigado pela atencao.

  14. Macri,que o Bozo considerava ser seu maior aliado na America do Sul!! Vai para o brejo daqui a pouco. E Trump perde também este seu vassalo latino americano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *