Legalidade, amanhã, nos cinemas. E, para sempre, na História

Estreia hoje nos cinemas (ao final, a relação) o longa metragem Legalidade, do cineasta gaúcho Zeca Brito, que narra, mesclado com um enredo amoroso ficcional, a atuação de Leonel Brizola durante a tentativa de golpe militar que se seguiu à renúncia de Janio Quadros à Presidência da República, sete meses apenas após a sua posse, em janeiro de 1961.

Não assisti, mas são boas as referências que recebi e muito elogiado (e premiado) o desempenho do ator Leonardo Machado, que interpreta Brizola, infelizmente morto no ano passado. Aliás, como você verá abaixo, com uma notável semelhança física.

Reproduzo o trailler oficial do filme e, a seguir, o vídeo que fiz, 18 anos atrás, com imagens e sons da época dos acontecimentos, onde busco situar o episódio dentro do quadro da Guerra Fria, que foi, afinal, o pano de fundo daquela quase tragédia, que se adiaria em três anos e meio, até o 1° de abril de 1963.

Acho que ajudará a compreender a grandeza daquele momento.

Após os vídeos, a relação dos cinemas onde estreia o Legalidade.

 

Nos cinemas:

BAHIA

  • SALVADOR
    • Sala de Arte Cinema do Museu – 20h40

DISTRITO FEDERAL

  • BRASÍLIA:
    • Espaço Itaú Casa Park – 21h30
    • Cine Cultura Liberty Mall – 16h10, 20h40 – *Debate dia 17/9, 19h

GOIÁS

  • GOIÂNIA
    • Lumière Banana Shopping – 21h10

MINAS GERAIS

  • BELO HORIZONTE
    • Cineart Shopping Paragem – 15h, 20h30

PARÁ

  • ANANINDEUA
    • Cinesystem Ananindeua

PARANÁ

  • CURITIBA
    • Espaço Itaú Shopping Crystal – 18h30
    • Cine Passeio – 17h
    • Cineplex Batel – 14h, 20h10
  • LONDRINA
    • Lumière Royal Plaza Shopping – 18h30
  • PONTA GROSSA
    • Lumière Shopping Total – 16h

PIAUÍ

  • TERESINA
    • Cinemas Teresina – 19h

SÃO PAULO

  • São Paulo
    • Espaço Itaú Frei Caneca – 15h , 21h40
    • Cinesystem Morumbi Town – 19h

TOCANTINS

  • PALMAS
    • Lumière Palmas Shopping – 21h10

RIO DE JANEIRO

  • Rio de Janeiro
    • Espaço Itaú Botafogo – 21h50
    • Estação NET Botafogo – 21h20
    • Cinesystem Americas Shopping
    • CineStar Laura Alvim – 16h20, 20h50
  • NITERÓI
    • Reserva Cultural – 16h

RIO GRANDE DO SUL

  • BAGÉ • Cine 7 – somente 14 e 15/9 – 21h
  • BENTO GONÇALVES • Movie Arte Cinemas
  • CAMPO BOM • CEI Campo Bom – 20h30 exceto seg e ter
  • CAXIAS DO SUL • Cine Ordovás – somente qua – 19h30
  • CRUZ ALTA • Cult Cinemas – Qui, sex, seg e qua – 19h10 / sáb e dom – 20h30
  • IJUÍ • Cult Cinemas – Qui, sex, seg e qua, 22h10
  • PALMEIRA DAS MISSÕES •Cine Globo – sáb e dom, 16h30 / seg – 18h45
  • PORTO ALEGRE:
    • Espaço Itaú Bourbon Shopping – 14h40, 21h40
    • Cinemateca Paulo Amorim – 14h15, 19h
    • Guion Center – 14h15, 20h20
    • GNC Moinhos Shopping – 13h30, 18h45
  • RIO GRANDE • Cine Dunas – 18h30
  • SANTA ROSA • Cine Globo – sáb e dom, 16h30 / seg – 18h45
  • SANTO ÂNGELO • Cine Cisne – sáb e dom, 21h
  • SÃO LEOPOLDO • Cinesystem Bourbon Shopping – 18h30
  • TRÊS PASSOS • Cine Globo – sáb e dom, 16h30 / seg – 18h45

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

14 respostas

  1. O filme do Brito ajuda a clarear nossa mente opacada pela historiografia oficial, principalmente a quem conheceu o velho Brizola no Rio de Janeiro mas não foi contemporâneo da resistência no sul.
    Vamos assistir ao legalidade e aprofundar.

  2. Brizola, herói do povo brasileiro. Quanta falta faz numa época em que um farsante de bico grande escondido, tenta se apossar da sua herança política e de coragem, e que, em plena batalha contra o fascismo, abandona o país e – traidor covarde e vagabundo – vai flanar em Paris.

  3. Convem não esquecer,que após ,Leonel,tirante o Olívio Dutra e o Tarço,os GAUCHOS SE ENTREGARAM PARA A CANALHA.Ate nem sei,como eles votaram nos dois.Eu assisti de perto,as barricadas na praça da matriz.Lembrar também,do ALCEU DE DEUS COLLARES.

  4. Gente, o documentário sobre Brizola me fez chorar. Que saudade de Brizola, que desejo gigante de ver o povo altivo de novo!!

  5. Que maravilha!! Fiquei emocionado com o seu filme. Ainda me lembro, em casa, interior de SP, nos meus 11 anos, ouvindo a cadeia da legalidade, com o brilho de Brizola. Mais tarde e mais adulto fui me inteirando dessa tentativa de golpe e da impressionante resistência gaúcha o que pra sempre me fez ser um grande admirador de Brizola.

  6. Prezado Brito, não conhecia este seu documentário, excelente, emocionante. Com 18 anos de atraso, parabéns e obrigado.

  7. Vou fazer o possível para ver o filme. Chorei de emoção com o vídeo que o senhor fez. Tenho apenas 22 anos e quando o Governador faleceu eu era apenas uma criança morando no interior do interior do RS. Sempre ouvi meus pais falarem do Governador e de tudo de bom que ele tinha feito e de sua coragem. Vendo o vídeo fico sem entender como meu estado pode estar hoje em dia cheio de apoiadores do Bolsonaro. Ao mesmo tempo sinto muito orgulho de ser gaúcho e da história do meu estado. Ainda mais que estamos em setembro em plena semana farroupilha. Nasci em São Borja (até porque na cidade onde meus pais moravam e eu passei minha infância não tinha e não tem até agora hospital) e morei dos 14 aos 17 em São Borja, onde está sepultado o Governador e também o Jango e o Getúlio. Infelizmente o RS que conheço não é esse do Brizola mas sim o dos apoiadores de Bolsonaro. Tá difícil viver em um estado sem dinheiro pra nada e que respira ódio em cada esquina. Ao mesmo tempo vivi o Brasil de Lula e Dilma, cheio de esperanças, e tenho fé em dias melhores. O dia da eleição aqui em minha cidade foi terrível. Ver a comemoração de pessoas que se acham superior, que odeiam pobres, negros e gays. Pessoas que não têm a menor vergonha de colocarem pra fora seus preconceitos, incentivadas pelo atual presidente.Mas a verdade sempre aparece. Como diz o ditado a justiça tarda, e como tarda, mas não falha. Leio todo dia suas publicações e adoro muito. Que Deus o abençoe.

  8. Não lembro bem o dia, mas era no outono ou inverno de 1979.
    Eu tinha 21 anos de idade e trabalhava nas Faculdades Unidas de Bagé.
    Na época, já agoniado com a ditadura, era um dos tantos poetas que proliferam naqueles tempos, escrevendo poesias com críticas cifradas à ditadura, a la Chico Buarque.
    Eu não admitia viver o resto de minha vida sob uma ditadura militar. Tinha planos de revolta e guerrilha, os quais compartilhava com um grande amigo e colega de trabalho na época.
    Um colega de trabalho, bem mais velho, me convidou para uma reunião para estruturar o PTB Jovem em Bagé.
    A reunião se revestia em um ato de relativa subversão na época.
    Ainda mais por ser na casa de um advogado famoso na cidade e no RS. Não propriamente por ser advogado, mas por ter abatido 2 desafetos em pleno centro da cidade à luz do dia, em frente a dezenas de testemunhas no ano de 1971, creio.
    Um destes desafetos era um coronel do exército, que havia escrito uma crônica ofensiva ao advogado, na época, no MDB.
    O nome do advogado era Mathias Nagelstein, e pelo que sei, faleceu em 2018.
    Foi ele quem abriu o portão lateral de sua casa, naquela noite fria.
    Lá dentro, figuras conhecidas do trabalhismo local.
    Havia uma atmosfera pesada. Falava-se baixo, e a cada um que batia no portão, a conversa tensa cessava imediatamente até saber quem era.
    Logo depois, consegui um emprego em uma estatal e o trabalho me fez esquecer um pouco da política, até eu entrar na luta sindical no final dos anos 80.
    Foi a vez que passei mais perto de Brizola, um homem o qual compartilho com vc, Fernando, muita admiração.
    Ainda menino, viajando por estradas remotas entre Bagé e Uruguai, pude ver muitas escolinhas do Brizola perdidas em meio a imensidão dos campos.
    Brizola é, de fato, um herói legítimo e genuíno do Brasil.

  9. com esse não encresparam,talvez pq os mais novos não saibam quem foi o brizola, mas com o Marighella do Moura a ANCINE conseguiu melar a estréia. Fora os demais casos q todos conhecem. As salas de exibição no Brasil são concentradas em poucas mãos e esses proprietários óbvio tem medo de represálias

  10. Prezado jornalista Fernando, aquele comentário comparando o gaúcho Leonel com os atuais governadores, o qual sumiu misteriosamente daqui, apareceu no 247, comentário ao post crítico do deputado gaúcho Pimenta sobre o açodamento do gov. da Bahia, e também no GGN, na seção Recado do Nassif, onde estão até agora, parece que sem censura. Boa sorte no seu trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *