Barroso achava que era Rui Barbosa mas virou “D. Solange” da censura

O ministro Luiz Roberto Barroso já mostrou que é o candidato mais forte ao posto de Jarbas Passarinho do século 21.

Também ele mostrou que está disposto a mandar “às favas os escrúpulos de consciência” e assumiu plenamente o papel de “cassador” dos direitos políticos de Lula.

Agora, vai além e ameaça tirar do ar a propaganda da coligação do PT onde se observe recalcitrância sistêmica e generalizada de um candidato inelegível, sem o abrigo do artigo 16-A, de se fazer presente, das mais variadas e insistentes formas, na propaganda eleitoral paga pelo contribuinte em expediente que se presta a desorientar o eleitorado quanto a aquilo que já decidido pela Justiça Eleitoral”.

O que são “variadas e insistentes formas”?

Lula não aparece como candidato, que é o aquilo proibido pela Justiça Eleitoral – esta, sim, ao arrepio do “abrigo do artigo 16-A” da lei eleitoral – mas como personagem político e apoiador de Haddad, além de personagem que está vivo nos sentimentos do povo e da lembrança de seus governos.

É isso o que Barroso quer proibir.

Sai, então, da posição do ex-ministro do regime militar e baixa à posição de “Dona Solange”. Para quem é mais novo, Solange Teixeira Hernandes, diretora do Departamento de Censura Federal  da PF, era a encarregada de “cortar” palavras e imagens consideradas “inconvenientes”  em músicas e filmes.

Era ela quem decidia o que era  capaz  de “desorientar o eleitorado”. Por exemplo: dizer que “da barriga da miséria, nasci brasileiro”, não podia. E virou “na barriga da miséria, nasci batuqueiro” na música “Deus dará”, do Chico Buarque. Que, aliás, passou a se assinar “Julinho da Adelaide” para, como sugere Barroso, não caracterizar  “recalcitrância sistêmica e generalizada ” do compositor.

Pois é isso que a “Solange togada” encarnada por Luiz Roberto Barroso quer fazer.

Abandona o princípio de que a Justiça tem poder sobre os atos, jamais sobre as opiniões.

Delas, Barroso não é dono e é interessante perguntar se o famoso “cala a boca já morreu” de sua colega Cármem Lúcia vale para Lula e o PT.

Está evidente que o ministro gosta é de uma versão da frase clássica: “quem manda na sua boca sou eu”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

47 respostas

  1. O BARRO QUE BARROSO SOLTA A NOITE É O MESMO QUE O GENERAL ENTREVADO COME NO CAFÉ DA MANHÃ..

  2. Esperar o quê de um sujeito que é sócio de um escritório de advocacia que tem como um de seus clientes a Globo?

  3. CREIAM ESTAMOS SOB UMA DITADURA E CONTRA ELA TEREMOS DE LUTAR CUSTE O QUE CUSTAR. VENCEREMOS E TEREMOS DE REVER QUAL A UTILIDADE EM MANTER UMA NUMEROSA E ONEROSA FORÇAS ARMADAS E UM JUDICIÁRIO POLITIZADO PARA NOS GOLPEAR.

    1. Então, a esquerda vence as eleições e vai fazer o que com esses concurseiros fura teto e milicos come e dorme?

      1. O ministro Barroso perdeu completamente a noção do momento histórico em que vive. Não tem mais régua intelectual para medir seus atos. Deveria haver um mecanismo e uma instituição própria para que um cidadão comum, neste caso, pudesse pedir a sua remoção.

      2. Na Turquia prenderam mais de dois mil juízes. Se formos prender golpistas, traidores e políticos corruptos, vamos precisar construir mais cadeias.

    2. Esse é o ponto…parte dessas duas instituições se tornaram antinacionais….serão modernizados e isso urge…

  4. Apoio qualquer candidato pode ter de quem quiser, seja do Julinho da Adelaide seja de D. Solange. A lei é clara.

  5. A este jurista eu só diria: Nomen est omen. O mesmo vale para o Juiz Laus do TRF4 (quem se interessar, procure no tradutor o significado de Laus em alemão)

  6. Os acontecimentos do fim de semana obrigam o PT a mudar sua estratégia. Depois do VETO militar a Lula, não é mais necessário forçar o STF, está claro o GOLPE criminoso. Agora só se o Conselho de Segurança da ONU desse um ultimato ao Brasil, o que jamais ocorrerá, só cito para exemplificar a impossibilidade. Nem mesmo uma censura dos Direitos Humanos, diante do desprezo à recomendação anterior, adiantaria nada.

    1. Não há outra estratégia possível que não seja a de expor ao máximo ridículo e vexame internacional os golpistas togados e de coturno. O PT e a Esquerda não têm condições para liderar uma vigorosa resistência, colocando milhões na rua, em pouco tempo, antes que a farsa/fraude dessa eleição se consume. O outro tipo de resistência (revolucionária…) não passa de utopia, pois o braço armado e repressor do Estado é golpista e entreguista, sobretudo na cúpula do exército.

  7. O nome lhe faz justiça. E me pergunto: será que sofre as mesmas pressões que Bento Carneiro, Rei do Velcro, prisioneiro de armário-oratório e parceirão de cabaré? Não sei, mas. são estranhos aqueles biquinhos ao final das frases, enquanto as mãozinhas delicadas de gueixa traçam formas etéreas pelo ar, indo repousar, ora na testa, como querendo mostrar uma inteligência que não é tanta, ora tangenciando a orelha e indo repousar nos cabelos. E, em meio a isto, os olhinhos de moça, que correm de um lado para o outro, detêm-se, só um instante, quase imperceptível, como testando a câmera, fugindo depois. Difícil dizer o que é maior ali, mas, seguramente, não é o caráter.

    1. Uma fonte confiável já me disse que, assim como a colega que estudou em colégio de freiras, esse aí “joga água fora da bacia”. Isso seria irrelevante, se esses pavões e escravos da vaidade que ocupam cadeiras no STF não fossem tão fracos e susceptíveis a ameças e chantagens.

      1. É verdade. O inaceitável é uma nação tornar-se refém das inclinações de pessoas desprovidas de caráter, sem coragem para renunciarem ou denunciarem a chantagem o o por quê. Poderiam representar um papel mais digno perante a história do país.

  8. Quando esfaquearam os intestinos da democracia as bactérias do judiciário, especialmente do STF, foram libertadas para causar esse quadro de infecção generalizada no País. Ou matamos elas ou elas matam o paciente.

    1. “O supremo” estado de sítio cavalga a trotes largos!
      Mais um efeito anunciado do ‘sFAKEamento’ do BOSTAnossauro!

      ***

      Candidato a deputado pelo PT do Paraná é baleado à queima roupa pela Guarda Municipal de Curitiba – e levado sangrando para um hospital num camburão
      09 de setembro de 2018 às 21h36

      (…)

      FONTE: https://www.viomundo.com.br/denuncias/urgente-candidato-a-deputado-pelo-pt-do-parana-e-baleado-a-queima-roupa-pela-guarda-municipal-de-curitiba-veja-video.html
      O vídeo
      https://www.facebook.com/RenatoAlmeidaFreitasJr/videos/170002007230141/

  9. Brito, tem algo que eu não entendo : se a coisa é assim, tal como dizem, se “Lula não aparece como candidato, que é o aquilo proibido pela Justiça Eleitoral – esta, sim, ao arrepio do “abrigo do artigo 16-A” da lei eleitoral – mas como personagem político e apoiador de Haddad, além de personagem que está vivo nos sentimentos do povo e da lembrança de seus governos” e “É isso o que Barroso quer proibir.”, por que não recorrer de cada presepada que esses golpistas fazem, adiantando-se-lhes as ações antes que possam “catar” alguma coisa contra a candidatura popular ? Às vezes eu penso que as forças progressistas são muito moles, que deixam muita margem para os/as canalhas, canalhas, canalhas fazerem e acontecer, não fazem a coisa certa, não exploram e não preveem todas possibilidades, positivas e/ou negativas. Não tem por exemplo como impugnar as decisões desse canastrão Barroso mostrando que ele é historicamente tendencioso baseando-se para isso em estatísticas (que deveriam servir cientificamente para embasar toda ação contra a máfia golpista) ? A gente sofre diariamente esses esbulhos e não se pode fazer nada, o que quer que seja ? …

  10. O terror que está sendo instaurado é a base de sustentação para que a grande massa aprove o estado e exceção que será consolidado com a eleição que, creio eu, será vencida pelo candidato dos “homens de bem”. Seremos todos e todas chamados a fazer nossa escolha e, salvem-se quem puder!

  11. É preciso fazer com esse fazedor de barro no STF – e com as empresas de fachada em paraísos fiscais, usadas por ele, esposa e familiares- o que foi feito com o s segredos de alcova da colega dele, a “Carminha”. Quem sabe assim o pavão cheio de ódio não ‘bota o galho dentro’ e se lembra de que um dia foi professor de Direito Constitucional e Direito Internacional?

  12. Pra quem queria ser o Rei Sol do judiciário, acabar como a Dona Solange da censura é vexaminoso demais!

  13. Ministro de araque, general de fankaria etc e etc. de nada adiantará. O eleitor brasileiro já está com o nome do seu candidato na cabeça. Podcem persegujr o tanto que quiserem no dia da eleição vamos mostrar para estes togados desmoralizado e estes generais de fankaria que de quantos votos se fazem uma eleição.
    “Nóis travéis”
    Lula e Hadadad, não dará outra e pior para estes sabujos: Será no primeiro turno.

  14. Agora é só seguir o conselho do clássico sambista e fazer como o velho marinheiro que durante o nevoeiro leva o barco devagar. Os aprendizes de feiticeiros estão se afogando no mar revolto e colhendo a lavoura da terra arrasada que seu mal feitiço produziu. Vivo ou morto, preso ou solto, candidato ou não, Lula é agora o fantasma que assombra os apredizes de feiticeiro e os doutores Fausto de plantão (literalmente de plantão). Na eleição vote 13 para presidente e, tão importante quanto, em candidatos a deputado, senador e ao governo dos Estados comprometidos em barrar o regime que o Golpe de Estado contra Dilma constituiu. E não nos esqueçamos: mesmo que ganhemos essa batalha ainda assim não teremos vencido a guerra. Sem esse poder democrático e o apoio da maioria não temos como fazer frente ao poder despótico e arbitrário que os poderes do dinheiro querem nos impor.

  15. A Ditadura nua e crua já está de volta: Já tem Milico e até Dona Solange já reapareceu: Todos metidos a Machões, mas ninguém term brios ou coragem para barrar a entrega do PRE SAL, da Embraer, da Base de Alcântara…

    Em tempo: muito feliz Brito a sua lembrança da Dona Solange, que é assim que essa figura menor chamada Barroso deve ficar na história…

    1. “Os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas, mas jamais poderão deter a chegada da primavera” (LULA, em abril)

  16. Jornalões Globo e Folha tem um novo REVISOR DE TEXTO! Nome dele: LUIS ROBERTO BARROSO! Nas horas vagas , ele também ocupa a vaga de Minixtro do Çupremu!

  17. “‘miniSTRO’ Barroso, o senhor é uma pessoa horrível! O senhor só sabe destilar ódio figadal ao inocente presidente Lula e desrespeita com gracejos o povo brasileiro.” “Por Gilmar Mendes” – o mesmo do célebre “supremo repto”:
    “Ministro Barroso, feche o seu escritório de advocacia!”
    Em pleno picadeiro do STFede!

  18. Esses canalhas golpistas vão querer que o número do PT (13) seja alterado…
    Que o software não aceite o número 13…
    #GOLPISTASNÃOPASSARÃO, #PASSARINHO….

  19. Quero só ver qualquer uma dessas pessoas me impedir de votar em Lula:

    1- um coronel do exército (que nunca participou de NENHUMA guerra de verdade, portanto SEM conhecimento de causa):

    2-ministros do STF ou STJ (que estão exercendo uma função séria, não por CAPACIDADE intelectual, mas porque alguém colocou eles lá.

    #LULA ou #HADDAD 2018

    Me impeçam de votar!

  20. Todos sabemos que o Ministro Barroso participa, é uma das peças fundamentais, no comando do golpe-impeachment de 2016, que ainda se desdobra, tentando, através da eleição de um títere para substituir o traíra, Michel Temer, na Presidência, para os próximos quatro anos. Embora, até agora, o golpe venha cumprindo seus objetivos de afastar trabalhadores do mercado de trabalho, jogados na informalidade; manter desempregados mais de 25% da força de trabalho; reduzido os investimentos e aplicações em saúde, educação e segurança pública;. alterado a legislação trabalhista em desfavor do trabalhador; abandonar inúmeros programas de assistência aos mais pobres e redução da pobreza e da miséria; entregar o patrimônio público nacional à iniciativa privada, principalmente empresas (até estatais) estrangeiras, tudo para aumentar os ganhos do capital (estrangeiro e seus sócios internos), que os lucros dos bancos e dos grandes empresários comprovam o quanto veem se beneficiando com o golpe. Além do mais, permitido que os rentistas continuem a praticar todos os tipos de especulação, na Bolsa de Valores, no câmbio e na taxa de juros, com ganhos algo no entorno de 6,0% do PIB, correspondendo a R$ 316 bilhões (10% do orçamento), cerca de 45% a mais do que as aplicações na saúde,educação e segurança pública. Claro, que esse sucesso do golpe impacta negativamente mais da metade da população, tendo reflexos eleitorais, já que em 2016, quando o golpe afastou Dilma e o PT do poder prometia exatamente o contrário. Por isso, a atitude do Ministro Barroso representa o desespero dos golpistas diante dos resultados negativos para a população do projeto de que passaram a impor aos brasileiros. Ao que tudo indica, não tem Globo & cia. com mentiras o que seja, que dê jeito na imagem do golpe, tornando-o aceitável., Por isso, o povo diante desse descalabro, desse desastre que lhe é imposto, quer ver o fim dessas ações. E o povo sabe, que o Presidente Lula com o PT e aliados, pelo governo que dirigiu, cujos resultados estão bem frescos na memória, é a esperança de sair do sufoco que o golpe impõe. Essa proibição lembra a música de Maysa Matarazzo, “E, daí? (proibição inútil e ilegal)”: Proibiram que eu te amasse/ Proibiram que eu te visse/ Proibiram que eu saísse/ E perguntasse a alguém por ti/ Proibam muito mais/ Preguem avisos, fechem portas/ Ponham guizos/ Nosso amor perguntará/ :E dai? E daí?/ E daí por mais cruel perseguição/ Eu continuo a te adorar/ Ninguém pode parar meu coração/ Que é teu, que é teu/ Todinho teu. https://youtu.be/OZujyvU0abc

  21. DEMOCRACIA É PELO VOTO DO POVO (CF/88, Art. 1º, Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente)
    Meia dúzia de togados concursados não o substituem nem de longe

    Marcos Coimbra, postado no ConversaAfiada

    “Sem voto e sem razão

    Na sexta-feira 31 de agosto, o mês mais aziago de nossa história política, aconteceu um embate entre duas visões do Brasil no Tribunal Superior Eleitoral. Em um dos cantos do ringue, a defesa de Lula representava, através de seu cliente, o sentimento da maioria do País.

    No outro, um grupo de magistrados, chefiados pelo ministro Luis Roberto Barroso, expressava os desejos da parte menor da sociedade, mas daquela que detém o poder econômico, a força política e que dirige as instituições culturais hegemônicas, em especial a “grande” imprensa.

    O resultado foi o previsível: venceram os fortes. Na decisão que tirou Lula da eleição, ele e seu partido saíram derrotados, mas não estavam sozinhos. É mais que retórica. Há muitas pesquisas, feitas por diferentes institutos, que mostram o que a população pensa da campanha contra Lula. É majoritária a parcela que considera que juízes como Sergio Moro condenam sem provas e têm “motivações políticas”.

    Em julho, pesquisa CUT/Vox Populi mostrou que 53% das pessoas acreditavam que “o processo, a condenação e a prisão de Lula foram políticos, pois muita gente não gosta dele”. A minoria que avaliava que “eram normais, sem se misturar com política”, era de 33% (recrutada quase integralmente no antipetismo).

    Ainda não há pesquisas a respeito da proibição da candidatura, mas não é difícil imaginar o que dirão. Sempre foi maioria a proporção que afirma que “quem tem de julgar Lula é o povo brasileiro, nas urnas, e não Moro ou outros juízes”.

    O condutor intelectual da decisão contrária ao desejo popular foi Barroso. Ao votar, repetiu velhos raciocínios e exibiu o que pensa do povo e da democracia. Suas ideias não vão além de uma espécie de neoautoritarismo, que preserva e atualiza, com menos brilho, a obra de autores como Oliveira Vianna, Azevedo Amaral e Francisco Campos, personagens do debate jurídico e político na República Velha, ideólogos das restrições à democracia e da ditadura estado-novista.

    Não é, portanto, a primeira vez que um “pensador” se oferece para formular uma teoria que justifica o que querem as classes dominantes. Há cem anos, a ideia de eugenia fundamentou a noção de que as “populações mestiças” são constitutivamente inaptas para governar-se e exigem a “mão forte” dos mais capacitados. Nas palavras famosas de Oliveira Vianna: “Os 200 milhões de hindus não valem o pequeno punhado de ingleses que os dominam”.

    Em um artigo de 2015, intitulado “A Razão sem Voto”, Barroso externou sua certeza de que é impossível confiar na capacidade do eleitor comum. Disse: “(…) o sistema representativo (tem dificuldade) de expressar, efetivamente, a vontade majoritária da população”. E aduziu: “(esse sistema) Gera muita indignação e poucos resultados”.

    Ele nada inova no diagnóstico dos problemas da democracia representativa brasileira, identificando disfunções que até o mais humilde dos cidadãos percebe. A solução que oferece é que é peculiar. De um integrante da mais alta Corte de um país que se pretende democrático exige-se, no mínimo, o respeito à democracia. Sem negacear e na única acepção aceitável, de governo do povo, diretamente ou através de seus representantes. Mas não é isso que Barroso pensa. Ele acha que a representação democrática está “superada”. Que, no Brasil, “(…) juízes e tribunais se tornaram mais representativos dos anseios e demandas sociais do que as instâncias políticas tradicionais”. Para explicá-lo, uma causa pueril: “Os juízes são recrutados, na primeira instância, por concurso público”.

    É uma argumentação tão tosca que, para desmontá-la, basta perguntar se a tese tem algum fundamento. Não tem, pois nunca foi tão baixa a confiança da população no Judiciário (segundo a Fundação Getulio Vargas, menos de uma em cada quatro pessoas confia no STF e na Justiça). Barroso inventa argumentos e acredita no que quer.

    No ringue do TSE na última sexta-feira de agosto, de um lado estavam pessoas comprometidas com a democracia. Do outro, aqueles que acham que ela foi “superada” por um regime onde mandam os juízes, porque “foram aprovados em concurso”. Depois da vitória, devem ter se congratulado com as palavras do patrono: “Os 200 milhões de cidadãos não valem o pequeno punhado de juízes que os dominam”.

    É lamentável que alguém com as ideias de Barroso esteja no STF e extraordinário que lidere outros juízes. Mas não de todo surpreendente. Sempre há um autoritário de plantão para arregimentar adeptos e servir aos que mandam.”

    https://www.conversaafiada.com.br/brasil/coimbra-barroso-nao-respeita-a-democracia

  22. Barroso, tem somente o cargo no STF, como indivíduo não vale nada, é um embusteiro, espertalhão, vaidoso, golpista, teleguiado pela Rede Globo, pelo golpismo e pelo entreguismo ao império americano. Vai ser enlameado e expurgado da História do Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.