Bebianno diz que Carlos fez ‘macumba psicológica’ em Bolsonaro

Gustavo Bebianno deu entrevista a uma emissora de direita, a dois jornalistas que não poderiam ser mais de direita: Felipe Moura Brasil e Augusto Nunes.

Esperto, passou a mão na cabeça do presidente Jair Bolsonaro e carregou contra o filho Carlos.

Que “fez uma macumba psicológica na cabeça do pai”. Disse que não foi demitido por Jair, mas “por Carlos Bolsonaro, simples assim”.

“Tenho certeza que o presidente tomou esta decisão com grande dose de sofrimento, eu sempre vi nos olhos dele um grande carinho por mim”.

“Quando nos fomos para o CCBB fazer a transição do governo Temer para nós, o Carlos fez muita pressão para que o presidente não me indicasse. Eu soube que ele dizia ‘olha, se você indicar o Bebianno eu vou embora e nunca mais boto os pés em Brasília’. Por isso minha indicação foi tão tardia”.

Espertamente, foge de qualquer crítica pessoal a Bolsonaro, elogia a ala militar e concentra seu fogo no elo mais fraco.

Negou que fosse “afundar atirando”, disse que bastaria que Bolsonaro lhe dissesse que a colaboração estava encerrada, mas disse que lhe doeu ser “fritado pelo filho do Presidente”.

“Eu esperava uma manifestação mais incisiva, mais esclarecedora” (de Jair Bolsonaro). Confirmou que lhe foi oferecida uma diretoria de Itaipu, com “um salário maravilhoso” e que foi cogitada a entrega de uma embaixada “em Lisboa ou Roma”.

“Eu me sentiria humilhado de aceitasse algo assim, pareceria que eu estava me vendendo”.

Disse que o General Mourão “entubou” muitas provocações de carlos Bolsonaro, como no tuíte onde dizia que pessoas próximas torceriam pela morte de seu pai.

Temporariamente, Bebianno, depois de colocar Jair Bolsonaro como mentiroso, assesta a mira sobre o indefensável Carlos.

Não é possível saber se algum militar deu-lhe lições sobre como romper uma frente concentrando o fogo no ponto mais fraco.

Mas parece.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

8 respostas

  1. este governicho tem a tutela militar…….veja a quantia de militares no governicho……nemna ditadura militar;;;;;;;;;;;;;moro outro avalista.alem do judiciario……..assim vamos ate 2022…..ano do bicentenario da independencia…..

  2. Esses áudios entre Bebianno e Bolsonaro serviram para mostrar na prática como funciona o agro-jornalismo (plantadores de notinhas) e o destaque do antagonista do Mainardi neste “ramo” do jornalismo.

  3. Primeiro, Babianno diz que o problema não é o pimpolho e sim o Jair, que é completamente louco. Depois, diz que o culpado por sua demissão ´foi o pimpolho, e não o Jair, que é um santo, mas que sofreu macumba psicológica do pimpolho. E ainda diz que o Jair tinha um grande carinho por ele, como se carinho por ministro importasse alguma coisa para o país. É muita fofoca, é um absurdo, é concentrar a atenção da nação em briga de comadres, enquanto o país encolhe e se gangrena.

    1. E, assim o Bebiano vai se revelando um bebezinho mimado com inveja do irmãozinho preferido do papai.

  4. Cada vez me inteiro desse assunto, percebo com mais clareza o “surto” psicológico coletivo dessa canalhada que se instalou no governo. A cada dia vai ficando mais convincente que esse governo, que de fato não saiu ainda dos bastidores, visto que sua maior marca é o disse-não-disse, sucumbirá à sua própria esquizofrenia. O que não está ainda devidamente perceptível é qual será o fim precoce. O Capetão será tirado ou se tornará o Jânio do século 21?

  5. O que importa e ainda importa aos golpistas era (é) PH#d€r com o PT em particular e com as esquerdas em geral, mesmo que para isto eles tenham que PH#d€r com o Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.