Bolsonaro deixa Paulo Guedes nu com a mão no (seu) bolso

Paulo Guedes não vale mais um tostão furado.

Saia – como é provável – do Ministério ou permaneça no cargo, completamente desmoralizado por um presidente que vai a público dizer que desautoriza a proposta de seu “superministro” e manda suspender o tal Renda Brasil que Guedes definia como o “Big Bang” da reconstrução nacional já importa bem pouco.

Se com a “garfada” de R$ 20 bilhões do abono – como venho insistindo aqui – Guedes estava às voltas com uma “Operação Cata-Cata” para fazer um milagre de arranjar dinheiro para fazer seu “Bolsa Bolso”, sem ela o programa é, numa palavra, impossível.

A antiga “equipe dos sonhos” da Economia, ou a parte que não debandou de lá, está batendo cabeça, posta, deliberadamente, na posição de arrancar dinheiro para a “bondade” presidencial e, de repente, vê o chefe ficar pelado na praça.

Vai se repetindo a tática de Bolsonaro de deixar seus auxiliares se queimarem e forçar sua demissão, tal como aconteceu com Sergio Moro.

Guedes achou que podia rugir como um leão e vai ter de miar como um gato. Um gato que subiu no telhado.

Mais um que acreditou no que dizia Bolsonaro.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *