Bolsonaro, desmoralizado, volta ao moralismo como salvação

Jair Bolsonaro, que andava mudo, voltou ao Twitter para apelar, dizendo que “a esquerda busca meios de descriminalizar a pedofilia, transformando-a em uma mera doença ou opção sexual”.

Onde, como, quando, claro, não vêm ao caso. Basta a fantasia, como a do “kit gay” ou a “mamadeira de piroca”. Basta criar a lenda.

Nem é o caso de discutir dupla ideia de pedofilia, a da doença mental e a dos atos concretos de natureza sexual praticados com ou na presença de crianças e adolescentes ou do uso de suas imagens. Que, aliás, nem precisam de um pedófilo para serem feitos.

Muito menos o que Jair Bolsonaro já propôs sobre a questão como solução para o problema: a castração química, algo que não passa pelo primeiro juiz da esquina.

Se intenção fosse sério, o interesse se voltaria para os programas de proteção, porque não é nem o tamanho da pena que inibe a prevenção e a punição da maioria dos abusadores, mas o silêncio.

Sim, porque a violência sexual se dá majoritariamente dentro de casa (perto de 70% entre as vítimas crianças e de 60% entre adolescentes) e envolvendo pessoas do círculo familiar (cerca de 40% dos casos).

A questão, porém, é usar o moralismo mais rastaquera, não o de mitigar os problemas. É apenas colocar a esquerda (e vai para a “esquerda comunista e gayzista” qualquer um que divirja do presidente) como drogada, devassa, pedófila, portadora de todos os vícios morais que as diferem dos “homens de bem” cujo único desvio mental é o de desejar portar uma pistola Glock na cinta.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

9 respostas

  1. O capitão está tentando fazer o que lhe resta fazer: unir a minoria psicopata que o apoia. Acho que essa minoria não chega a 10% da população. Não acredito em “institutos” que fazem “pesquisas” e dão ao capitão nazi 25% ou até mais de apoio.

  2. Enquanto isso a Amazönia arde em chamas, o genocídio segue firme e forte e Paulo Guedes vai passando a boia para vender rápido e barato o Brasil …tudo isso chancelado pelos gorilas come-dorme das valorosas Forcas Armadas !!!

  3. Importantíssima esta informação sobre os porcentuais de ocorrências nas famílias e em casa de violência sexual. Como fica a ideologia religiosa, evangélica, que valoriza o lar e a família? Não é justamente o lar e a família onde mora o perigo? Não são justamente estes pilares (por estas e muitas outras razões) que se deve eliminar da sociedade estes “pilares de sustentação”, o lar e a família? E por que diabos os religiosos se preocupam tanto com a sexualidade, a alegria e a leveza de viver…DOS OUTROS???

  4. Mas nada nem ninguém pra barrar um boçal tão rasteiro e mesquinho assim?? Queria entender essa sociedade paralitica de alguma forma, como, porque, ate quando?

  5. Sendo a pedofilía uma aberração que deve ser combatida ,etc,etc,etc.
    NÃO PODEMOS ENTRAR NUM DEBATE SÓ PORQUE ESTE DOENTE MORAL ASSIM O DESEJA.
    Todo faz parte do desvío da atenção ,(dentre outros crímes que estão sendo cometidos ),referido as sanções dos países ricos em função das queimadas na Amazônia,da privatização da Petrobrás deixando a carne de pescoço para o Estado,da “preocupação do PORCO Maia em tocar a “reforma tributária” favorável a empresas e riquezas,AINDA QUE O SENADO TENHA DITO SER IMPOSSÍVEL TRATAR ISSO DURANTE A PANDEMÍA.ETC,ETC.

    DEVERÍAMOS MANDAR A CALAR A BOCA ESSE INFELIZ,AO INVÊS DE REPONDERMOS AOS TEMAS QUE ELE USA PARA DISTRAÍR.

    CALA A BOCA BOI—-SONARO !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  6. A pena para estupro de vulnerável já chega a 15 anos. 20 se for cometida contra dependente (filho, enteado, etc) ou se envolve exploração com fins lucrativos. Só que, como na maior parte dos casos o criminoso é conhecido, ele é identificado e julgado.

    Aumentar a pena ainda mais é populismo barato e irresponsável. E vai ter um resultado muito pior do que manter ou até mesmo reduzir a atual.

    Se querem colocar para estupro uma pena maior ou igual do que a de homicídio, muitos estupradores vão preferir matar e sumir com a vítima, e assim terem mais de 90% de chance de cair num dos casos de desaparecimento ou homicídio não esclarecido, do que deixá-la viva e ter quase 100% de chance de ser reconhecido.

    Mas claro, querer que bolsominion moralista pense nas consequências secundárias de suas ideias baseadas em ódio e testosterona é como querer explicar física quântica para uma pedra.

    1. Aliás, acho, porque não sou jurista, que dosimetria é uma ciência capenga no Brasil. Corrupção, lavagem de dinheiro têm penas maiores do que homicídio e no final das contas acabam não cumprindo pena em regime fechado pois corrupto é rico em geral e rico não fica preso. Poder-se-ia dar uma pena digamos, uns poucos anos em regime fechado, muitos anos de proibição de exercer comércio ou assumir funções deliberativas em empresas, acrescido do bloqueio e arresto de bens para pagar o prejuizo dado na corrupção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.