Bolsonaro deve moderar-se na ONU. Ainda assim, será um fiasco

Descreio, como quase todos, que Jair Bolsonaro vá fazer um discurso de aberta confrontação ao falar na Assembléia Geral da ONU, na terça-feira.

Não porque não esteja querendo, mas porque não está podendo.

Claro, em se tratando de Bolsonaro e sua entourage olavista e augustohelenista, não se pode descartar um surto de bobagens.

Mas – tenho repetido – Bolsonaro é tosco, mas não é burro.

Já chegaram a ele informações – algumas até publicadas – de que a situação do Brasil é de extremo desgaste na comunidade internacional e, no seu inglês hamburguês, até o filho embaixador deve ter-lhe dito para “segurar a onda”.

A fala, não esperem nada diferente, será um amontoado de platitudes sobre soberania, sobre estarmos combatendo incêndios e e desmates, sobre ter mobilizado as Forças Armadas para isso. E outras, como sermos, agora, um país “sem ideologia”, uma democracia perfeita, com instituições e imprensa livres, etc…

Nada, portanto, a “causar”, exceto o que disse ao admitir que o ex-capitão não é burro, mas é tosco.

Não serão os seis minutos gaguejados no Fórum de Davos, onde o assunto eram negócios.

São 20 minutos de tatibitati, o texto formal lido de forma infantilizada, com a hesitação de quem não crê no que lê e por isso incapaz de ênfases, sem as risadas patéticas que aliviam sua tensão, sem as arminhas que lhe servem de expressão corporal.

Serve, porem, para o consumo de seus apoiadores que, afinal, verão, perante o mundo inteiro, proclamado: Brasil acima de tudo, Deus acima de tudo”.

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

18 respostas

    1. Com o discurso do Cu Falante, a quantidade de enxofre no salão da assembléia geral da ONU inapelavelmente atingirá níveis críticos, tornando o ambiente irrespirável. Torçam para que a desgraçada da hérnia mal cheirosa não se rompa na hora, com toda a sua carga acumulada de dejetos, carvão e nitrato de potássio. Se isso acontecer, não vai sobrar vivalma da explosão resultante da mistura tóxica e o prédio da ONU implodirá, espalhando merda por toda Nova York, num verdadeiro apocalipse dos infernos.

  1. Ja estou vendo nos sites bolsonaristas… Clique aqui e leia na integra o discurso do presidente na Assembleia geral da onu

    1. Com o plenário meio vazio ou com muitas delegações de costas para o bozonazi, como mostra de desprezo.

  2. Eu espero, que o Bosalnaro fale muita merda …
    … quanto mais fedida, melhor !!!
    TáOkey ???

  3. Mas tem alguém nesse governo com capacidade para elaborar um discurso que, se não melhorar, ao menos mantenha no mesmo nível o péssimo conceito desse indivíduo diante do mundo?
    Eu duvido.

  4. Brito, o problema é que nos States, Bolsonaro, terá que se curvar, e deixar seu recado: “Donald Trump acima de todos”. Bolsonaro que ouse não fazer marketing para Donald Trump,…”o ianque já falou, sobre isso”. SORTE DOS DEMOCRATAS !

  5. Os USA têm parques nacionais imensos,desde o início do século 20, nos estados do Arizona, Novo México, Nevada, Utah,Maine, Colorado, California, Oregon e outros, com riquezas minerais incomensuráveis nos parques de Yellowstone, Yosemite, Grand Canyon, Monument Valley, Fishlake National Forest e incontáveis outros , onde é proibido jogar uma simples bituca de cigarro no chão. Eles ganham bilhões de dólares só com turismo e excursões muito bem planejadas, e mantém as riquezas do solo e sub-solo intocadas, usando a inteligência e a sensibilidade de um povo que não admite a destruição de seu chão.
    Mas aqui um presidente burro e fedorento,que atende pelo nome de Cocô, quer destruir tudo,queimar,derrubar e vender a Amazônia inteira a preço de bananas,como alguém estúpido o suficiente para vender sua casa para comprar uma moto, e a nossa Amazônia é maior e mais valiosa que todos os fantásticos parques nacionais americanos somados, porque diferente desses santuários preservados com sensibilidade,ainda tem um papel vital no equilíbrio do clima mundial.
    A novíssima “Moving Art” da NetFlix é uma série documental espetacular e imperdível,mostrando os locais mais preservados do mundo,com filmagens em sequência de tirar o fôlego,onde a presença humana é proibida, sem narração e apenas com uma trilha sonora magnífica.
    Pena que a Amazônia não pode mais fazer parte de filmes assim,pois está sendo consumida pelo fogo que jorra da cabeça maldita de um ser humano asqueroso e desprezível.
    Que ele tenha a vaia que merece na Assembléia da ONU. Vamos fazer uma corrente para que isso aconteça.

    1. Aqueles programas q passam na tv paga nao digo nem da natgeo ou history mas mesmo da investigation discovery com aquelas cidades interioranas da carolina do norte ou georgia as cidades sao superarborizadas e ainda vem com papinho de q destruiram a natureza. Ate por sites como zillow podemos ver o zelo pelas cidades. Aqui o povo é mediocre aceitando essas versoes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *