Bolsonaro parte para a ameaça explícita: “acabou, porra!”

Já não foi preciso o “escurinho do Palácio”.

Na porta do Alvorada, já quase deserta de jornalistas e com poucos fanáticos, um Jair Bolsonaro transtornado diz que está “co a arma da democracia nas mãos”, que decisões absurdas não se cumprem e que não vai mais aceitar o que aconteceu ontem – a ação da Justiça sobre sua “mídia”, as redes de fake news – e fazendo um ultimato:

— Acabou, porra!

Não acabou, evidentemente e vai piorar.

Edson Fachin remeteu ao plenário do STF a decisão sobre o providencial pedido do passador de pano, digo, do Procurador Geral da República para que se paralisem as investigações sobre os promotores de mentiras e ofensas das redes sociais. O habeas corpus preventivo com que se ingressou para que Abraham Weintraub preste depoimento ao Supremo, se chegar a ser discutido, não será acolhido. Os presidentes da Câmara e do Senado, talvez ainda hoje, terão de sair de seu covarde mutismo.

Bolsonaro não quer que acabe. Não quer, como diz, “paz para governar”, pela simples razão de que não é capaz de governar um país que está debaixo de uma tempestade sanitária, econômica e social.

Como nos jogos de “queda de braço”, os dois contendores – Judiciário e Presidência – vão permanecer tensionando, de dentes cerrados, com os braços travados ao centro da mesa, até que um dos dois perceba ter condições de derrubar o adversário.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

11 respostas

  1. O porco carioca/chileno o maior canalha desta época,diz agora sem muita convicção “um poder tem que respeitar o outro”.
    Parece,aula de inicial sobre Democracía ,mas,ainda assim acho que o delinquente não quer dar ouvidos.
    A esta altura,os mais preocupados como o possível golpe teríam que ser os militares,terão que dar a cara e assumir o desastre.
    Sendo que daquí a 8 meses retirando o apoio ao miliciano este cai em 48 horas ,e fica o caminho aberto para o Mulão ariano.

    1. Concordo.
      E digo mais: imagino um final à Scarface – sonhar é de graça.
      Concordo com o cachorro louco também.

  2. O bozo está acuado. Por isso mesmo mais agressivo, como é típico de todo o fascista. Procura mostrar força que não tem.
    Se as forças democráticas e anti-fascistas titubearem eles estraçalham.
    A reunião ministerial que Celso Mello liberou o vídeo é o momento “não me deixem só” do bozo. Como quando disse todos os ministros tinham que defendê-lo, que ele estava tirando água do barco sozinho e que se ele não fosse presidente nenhum deles seria ministro. Só faltou pedir para que no dia seguinte todos os ministros vestissem amarelo “corrupção”.

  3. Parece que tudo está no fim. O país vai se dobrar a uma ditadura de Jair Bolsonaro? Isso não parece possível sob nenhuma hipótese. E sem seus instrumentos de fakenews e ódio às instituições, ele próprio não é mais nada. O projeto de destruição geral do país que, segundo a Veja, ele prometeu ao Olavo em Miami dois meses atrás, não vai mais prosperar. É o fim para ele.

      1. Retirei a postagem por quê, embora acreditasse que entenderiam que estava sendo claro que me referia ao ocupante do planalto, mencionei inclusive que esse ocupante do planalto tinha seu bodoque, merda e não pedras. Obrigado pelo alerta. de verdade. Vou tomar mais cuidado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *