Bolsonaro usa jurista de ultra-direita para ameaçar com intervenção

Com a agressividade própria dos que estão amedrontrados, Jair Bolsonaro segue em suas insinuações de que está disposto a dar um golpe em seu favor, usando para isso as Forças Armadas.

Dia 3, diante de manifestantes fascistas em Brasilia, usou o mesmo “minha paciência acabou” que remete ao discurso de Adolf Hitler em 1.938, ameaçando a Checoslováquia: Meine Geduld ist zu enden!

O que, hoje, com sua habitual erudição, o nosso Adolfo “Mito”resumiu a frase em um “acabou, porra!“.

Em seguida, mandou um recado pelas redes sociais, publicando em sua página no Facebook uma entrevista a um blog bolsonarista, do idoso professor Ives Gandra Martins, reacionário até à medula e professor da Escola Superior de Guerra, sustentando a tese de que os militares teriam – embora não haja uma palavra sobre isso na Constituição – o direito de ser uma espécie de “Poder Moderador” que teria, em situações de conflito entre o Executivo e o Judiciário, a função de escolher quem teria razão e, assim, impor uma solução.

Nem é preciso dizer que essa função não existe nas constituições brasileiras desde o Império, que dava ao Imperador aquele poder. Não está presente nem no mais longínquo planeta do universo do constitucionalismo nacional e, no texto da carta, é mais do que claro que a referência ao papel auxiliar na defesa da ordem não é decidir sobre o mérito da ordem constitucional, mas garantir a ordem pública.

Bolsonaro, um siderado, não tem capacidade para raciocinar sobre o que seria uma tentativa de uma ruptura – aquela que seu filho já diz que não é “se”, mas “quando” – mas é de se esperar que, diante do fracasso rotundo de seu plano de voltar ao poder usando o ex-capitão como cavalo, os militares ainda sejam capazes de pensar o que seria um golpe castrense em um dos maiores país do mundo, em pleno século 21 e mergulhados num morticínio sem tamanho da pandemia viral.

A menos que o nanogeneral Augusto Heleno, que hoje baixou o tom, pretenda ser um micro e albino Idi Amin Dada, é bom que pensem nisso.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

10 respostas

  1. Jurista de ultra-direita ?
    Isso é um vagabundo , fanático religioso , que fazia parte da corja do Temer .
    Comecem a chamar essa gente pelo o que elas realmente são .

    1. Perfeito.
      Guardemos o nome Jurista para designar pessoas que estudam e levam muito a sério as leis, as constituições, o ordenamento jurídico, os sistemas judiciais, o estado democrático de direito, o império das leis e não o império dos homens….
      Ives Gandra Martins é apenas um fanático religioso de extrema direita, mais próximo ao ordenamento da Ku Klux Klan do que a qualquer regra constitucional.

  2. A Veja, através de seu articulista Robson Bonin, acaba de descobrir que o Bolsonaro está desconstruindo o Brasil, conforme prometeu a seu Guru Olavo de Carvalho, há dois meses, em um jantar em Miami. https://veja.abril.com.br/blog/radar/o-dia-em-que-bolsonaro-prometeu-a-olavo-desconstruir-o-brasil/ . Descontruir não para reconstruir melhor, mas para não deixar erguer a cabeça nunca mais. Porém, foi Steve Bannon, e não Olavo, quem formulou essa teoria da destruição dos estados nacionais através do domínio teórico da ignorância pela mentira, segundo seus próprios escritos. Olavo é apenas um discípulo de Bannon, e se orgulha de estar tendo extraordinário êxito no Brasil. Dominou tudo quanto é de pobre diabo pela mentira através da ignorância.

    1. É por isso que a investigação do binômio “fakenews / ódio às instituições” está pondo em pânico os discípulos do Olavo, a começar pelo Valentão. Este binômio é a viga mestra do método de desconstrução olavista, e sem ele, não haverá mais destruição nem destruidores.

  3. Após repaginação do site descobri um jeito de continuar comentando pelo celular. É só apertar as configurações do navegador após a leitura do artigo para que o Chrome exiba às páginas no modo desktop. Depois é só retornar ao modo normal de exibição.

  4. Jurista é Lênio Streck. Ele deixou claro numa entrevista à GGN que é legal o dispositivo do regulamento do STF que permite sua auto defesa quando agredido e, como corte máxima, sem ter a quem recorrer. Esse é o caso já que o PGR é um pau mandado descarado do Jair. Já que o BolsoNero amiga tanto os EUA deveria respeitar esse regulamento que ocorre também mas terras do tio “in” Sam (no).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.