Bolsonaro vai para o confronto e amplia crise com Maia

É difícil não ser cartesiano.

Jair Bolsonaro não tem chances de fazer seu governo sobreviver sem a reforma previdenciária.

Jair Bolsonaro não tem chance de aprovar uma reforma previdenciária sem Rodrigo Maia e o “centrão” que este lidera.

Jair Bolsonaro não dá o menor sinal de querer fazer uma composição com o Congresso para aprovar a reforma.

Hoje, em Santiago do Chile, sem citar-lhe o nome, disse que Maia é “a velha política”.

 “os atritos que acontecem no momento, mesmo eu estando calado e fora do Brasil, acontecem na política lá dentro porque alguns, não são todos, não querem largar a velha política”.

Quem não quer governar com o Congresso, quer governar contra ele.

E o Congresso, com os políticos, no Brasil, é alvo fácil para campanhas demagógicas.

Há um cheiro de Jânio Quadros no ar.

E agosto não está tão longe.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

37 respostas

  1. o que mais tenho lido – em artigos e comentários – é que bozo não aguenta mais muito tempo, essa palhaçada dele já deu o que tinha que dar

    1. Acho que ele está pedindo para sair da responsabilidade de ser presidente (dá muito trabalho), e quer voltar para uma tetinha bem morninha, legislativa. Eleições para vereador em 2020. O salário não é lá essas coisas, mas dá para empregar alguns parentes e laranjas no gabinete, e esperar por um cargo maior em 2022.

      1. se ele está pedindo eu não sei
        mas que ele nunca teve capacitação para cargo executivo é verdade
        ele não ia conseguir administrar um municipio minusculo, que dirá o Brasil, ele não tem ideia o que tem que ser feito

        1. Sem desmerecer os bodegueiros, ele não tem capacidade nem para dirigir una bodega.
          O que esae canalhansempre fez foi ganhar sem trabalhar. Basta ver que em quase três década de vida parlamentar, tudo o que fez foi dormir em plenário e provocar brigas com todo mundo, além de expressar sua vontade de legalizar quadrilhas de que faz parte, as milícias.

      2. se ele está pedindo eu não sei
        mas que ele nunca teve capacitação para cargo executivo é verdade
        ele não ia conseguir administrar um municipio minusculo, que dirá o Brasil, ele não tem ideia o que tem que ser feito

      3. Ele tá pedindo pra sair desde o começo da sua posse. Vejam as cagadas que já fez. Tá me lembrando um certo crioulo que cagou na entrada no meios e no final

    2. Acho que ele está pedindo para sair da responsabilidade de ser presidente (dá muito trabalho), e quer voltar para uma tetinha bem morninha, legislativa. Eleições para vereador em 2020. O salário não é lá essas coisas, mas dá para empregar alguns parentes e laranjas no gabinete, e esperar por um cargo maior em 2022.

  2. Jânio renunciou em 25 de agosto, dia do soldado. Uma data bem simbólica para o Recruta Zero-zero (agora entendi porque ele chama os filhos de 01, 02, 03…).

    Renunciando, salvo engano, não perde seus direitos políticos e poderá continuar posando de anti-esquema e “outsider” numa eleição legislativa.

    Sugiro que ele transfira seu domicilio eleitoral para o sul do país, onde a propensão no voto nazistóide é maior, assim como as chances de ser eleito. Quem sabe, até mesmo senador? O miliciano sonhar não custa nada, só uns tiros de escopeta.

  3. Esse sujeito asqueroso passou trinta anos no congresso fazendo a velha política e para se eleger presidente da república veio com esse discurso hipócrita de nova política. Esse troço critica prisão dos outros mas esquece do laranjal criminoso que tem no quintal de sua casa. Hipocrisia pouca é bobagem.

    1. E a tal história. Tenho um amigo que é vizinho de um miliciano, tira foto com ele, os filhos namoram…o motorista manda cheques para madame, cobra propina dos funcionários…Coisa absolutamente normal

    2. Ele hoje exige que seja reconhecido como a nova face da política. Ele vai erguer um Brasil novo, sem qualquer ligação com o velho e viciado Brasil. “Temos que desconstruir o Brasil, para fazer um novo Brazil”, disse ele nos States! Ele vai inaugurar um Reich de Mil Anos de Glória do Bolsonarismo Perpétuo. Um Brazil com uma face inteiramente nova, que vai se erguer para destruir todo este Brasil que está aí e que acumulou tanta coisa errada e viciada, para fazer com que nasça outro Brasil, sem futebol, sem samba, nem rancheira, sem tutu à mineira, marchinha de carnaval, sem moda de viola, sem Ouro Preto, sem Parati, sem Pelé nem Santos Dumont, sem Círio de Nazaré, sem Caprichoso e Garantido, e sem Cinema Novo ou Mazzaropi e também sem soja, sem trigo (é até pecado mortal plantar trigo numa terra infernal como esta) sem frango, sem boi, sem carne suína, sem aço, sem nióbio e sem petróleo. Toda a arquitetura de Niemeyer será preparada para a desconstrução, porque tem uma “alma” comunista! Falta apenas chamar um novo Goebbels para bolar o símbolo, a bandeira e a saudação própria, a BolsoGruß.

      1. Para ajudá-lo em sua cruzada, conta com Paolo von Guedes, um economista que foi jovem nos tempos em que fez muito sucesso uma tal de Escola de Chicago, quarenta anos atrás. Quis então trazer as ideias desta escola para o Brasil, que no entanto estava muito ocupado para lhe dar qualquer atenção, razão pela qual foi para um pequeno país do Pacífico Sul, onde se encantou com um mandatário chamado de Pinochet. Voltou para lá agora e, pensando que seu antigo herói era hoje ali endeusado, quis elogiar o tal de Pinochet, quando alguém do cerimonial lhe deu beliscâo: “Ninguém pronuncia este nome por aqui! Este cara foi preso e morreu em completa desgraça. Ainda hoje o país luta para se livrar de sua maldita herança!”.

  4. Mas…será que o Bozo aguenta até agosto? Esse miliciano pode cair bem antes por insanidade muito superior ao do velho Jânio Quadros.

    1. Comparado ao Bozo, Jânio Quadros era um grande estadista e um excelente exemplo de lucidez!

  5. Aí teremos uma nova “Redentora”.
    E não será um “dejá vu”. Será ao vivo e, como sempre, das gândolas.

    E Lula preso!

  6. Milicos de hoje estão se mostrando incompetentes até em sua principal especialidade: dar golpes.

    1. É porque a especialidade nunca foi deles: apenas executavam as estratégias traçadas por Tio Sam. Agora que o golpe “estilo século XX” não interessa mais aos gringos, os daqui estão perdidinhos…

  7. O Ministério Público do Rio continua mole
    O MP do Rio continua não vendo
    Nem janeiro, fevereiro e março
    Alô, alô, Flávio Bolsonaro
    Aquele abraço!
    Alô torcida da milicia
    Aquele abraço
    Queiroz continua
    Faltando as audiências
    Não explica os saques
    Nem cheque de 24
    na conta da moça
    E continua dando
    As ordens no terreiro
    Alô, alô, seu Ministério Público
    Cadê o processo?
    Alô, alô, Michele
    Onde está o empréstimo?
    Alô, alô, seu Chacrinha
    Somos todos palhaços
    Alô, alô, Terezinha
    Aquele abraço

  8. Bozo está pendurado na PEC do fim da Previdência. Este é o projeto único atribuído a esse governo, projeto oriundo da ala mercadista (Guedes à frente) que se pretende tornar ordem unida, mas que enfrenta resistências na ala bolsonarista, especialmente dos policiais e das baixas patentes das FFAA.

    Setores expressivos do mercado financeiro já demonstram descrença diante da óbvia incapacidade do chefe do Executivo. Se a descrença generalizar-se nos próximos dias, nada mais sustentará o Bozo.

    1. Se for para sair, que seja por cassação de chapa, para levar o Mourão e toda a milicada (ou miliciada?) junto. Como, infelizmente, as chances disso acontecer são remotas, também torço para ele sangrar até o fim.

  9. O Bolsonaro apos o término do joguinho da Selecinha do Galvão disse: Até tu seleção????

  10. E o poder econômico cobrando resultados vai pressionando alguém que não suporta pressão de forma alguma. Tudo pronto pra outra crise institucional. E assim vamos vivendo nosso Brasil. Percebem? Se não tivermos um saída madura (ops! nada a ver com Venezuela) da nossa elite secular dominante teremos mais uma ruptura das regras, isto é, outro golpe e o escolhido é o Mourão, não tem outro.

  11. A “nova politica” dos laranjais? A nova política de emprego para familiares? Com tanta corrupção, nepotismo, fak news e milicianos essa “nova política” só pode ter surgida do esgoto.

  12. A mim parece que ele não quer que a “reforma” da Previdência seja aprovada. Para a base mortadela, vai vender a ideia de que é contra. Para a FIESP patológica, vai argumentar que precisa de poderes excepcionais, por que o Congresso não quer a reforma.

    1. Ele sabe que será defenestrado no dia seguinte à aprovação da PEC, por isso, tenta se segurar o quanto pode.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.