Braga Neto é o presidente da República?

Na entrevista do Comitê de Crise do Governo Federal, com o atrativo da tardia participação do interventor de Jair Bolsonaro no Ministério da Saúde, algo chama a atenção.

É anunciado um plano de recuperação econômica de R$ 240 bilhões de reais, chamado “Pró-Brasil”, que engloba todo o tempo restante deste governo.

Sob o comando militar do general Braga Netto, que teve menos votos para presidente que o Cabo Daciolo.

O Ministro da Economia nem presente estava. O nome do presidente da República nem sequer foi mencionado pelo “chefe” do plano.

Para ele, ficaram as pobres referências de Marcelo Álvaro Antônio, o laranja do Turismo e do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, convocado para “falar pelos governadores”, sem legitimidade para isso, numa patética performance pró-liberação do comércio e das escolas que nem ele mesmo poderá realizar.

Não dá sequer para falar do general Luiz Ramos, que culpa a imprensa por mostrar o sepultamento em massa de cadáveres, que vai assustar os idosos.

O espetáculo foi patético.

O Ministro da Saúde preocupou-se em falar dos efeitos da epidemia sobre a renda dos hospitais privados e do bilhão de reais do Itaú, um trocado perto dos recursos necessários à Saúde.

Nada relativo a ações de emergência das quais o país precisa, desesperadamente.

O “Plano Marshall” ou “New Deal”, como queiram, anunciado pelo “presidente” Braga Netto é uma tolice.

Aposta, num período em que é evidente a retração do capital internacional, em que 7/8 dos recursos venham do capital privado.

O “investimento” público na recuperação econômica não chega a um mês da ajuda emergencial. As obras citadas pelo general eram de duplicações de trechos de 9 km de rodovias! A rigor, avenidas urbanas, nada perto de uma revolução viária.

Mais do que dinheiro, porém, falta-lhe legitimidade política para liderar um projeto de recuperação econômica.

Pior, tem diante de si um desestabilizador cotidiano de qualquer serenidade, representado pelo presidente da República.

Amanhã, num vídeo no TV Afiada, trato mais aprofundadamente deste tema.

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

25 respostas

  1. Hoje em dia celulares tem cameras e muita gente tem celular, por isso será mais difícil esconder a realidade. Sobre o tal plano Pró-brazil, é enrolação. Desde o golpe de 2016, todos os planos giram em torno dos princípios neoliberais. Pauno Jegues já está há mais de ano implantando o neoliberalismo predatório, aí, do nada, os caras aparecem com um plano oposto? Éconversa mole, puro marketing.

  2. Esses merdas não têm estatura para o entendimento da situação.
    Nem percebem o tamanho do buraco que nos metem.
    Não é possível que não enxerguem que a agenda neoliberal precisa ser, no mínimo, suspensa.
    Tenham humildade, e engulam a verdade dos fatos: vocês não têm competência para conduzir essa crise.
    Chamem o Lula, porra!

    1. Mesmo com tão pequena participação do investimento público, a Globo tirou a máscara e mostrou os dentes, começando a reclamar da ausência de seu bebê Guedes destas reuniões do novo New Deal dos generais. Investimento público, jamais! Chamaram o vetusto Salim para dizer no ar que isso era inadmissível! Se fosse assim, tudo no Brasil seria inadmissível! Brasília não existiria, se prevalecesse a opinião das Miriam Leitão da época. Não existiria a Petrobras, responsável pelo progresso de décadas do país. Os pré-pandêmicos vão continuar fiéis a uma religião liberal que foi enterrada no resto do mundo pelo coronavirus. Onde se vai encontrar o recurso privado para fazer os gigantescos investimentos que o país precisa para retomar a economia? Nos cofres dos irmãos marinho? E quem vai planejar a retomada? Algum think tank de New York?

  3. Este ” governo ” é constituído por gente muito vil. E como se percebe, o que têm de gente imprestável neste país é assustador.

  4. Chamem a Presidenta Dilma que explica como deveria ser o PAC do bozo. 9 km de estrada, deve haver um e rro ou é isso mesmo? Não seriam 9000 km? Esse governo está mesmo perdido.

  5. O ministério da desestatização e o da economia já se posicionaram contra o plano. Dizem que o governo não tem dinheiro. E não tem mesmo. Eles transferiram tudo para o sistema financeiro que, aliás, vem recebendo propaganda “gratuita em horário nobre na tv Globo” por dia “contribuição” no combate ao coronavirus.

    1. Uma das maiores vergonhas que vejo na tv….. propaganda disfarçada de notícia….. tudo para não valorizar o SUS? Ou essas empresas de merda vão doar sempre a partir de agora??

    2. Não ter dinheiro não seria problema algum ..bastaria recompor os fundos do BNDES, eliminar a LEI DO TETO, retomar os projetos de AUTONOMIA estratégica como os gasodutos, BR e refinarias por exemplo..
      ..ter gente de visão, uma equipe capacitada, líderes de confiança, um PROJETO de país, atenção dos investidores, respeito de outras NAÇÕES e povos, apoio de ampla maioria da população lúcida, ter raiz ..essas coisas que dá pra se obter logo ali, ma esquina, ou no 1o quartel …kkkk.

  6. Braga Netto foi o ungido do tuiteiro general Villas Boas – golpista traidor da constituição – para comandar a intervenção militar no Rio de Janeiro. Quase certamente foi o ungido do mesmo tuiteiro citado para a atual função e, da mesma forma, será o mais provável ungido – pelo tuiteiro e seus mais de 2500 coleguinhas de pijama pendurados, agora duplamente, nas tetas do tesouro – para chefiar uma junta militar de uma nova ditadura.

    No Rio de Janeiro, em 2018, teve todos os poderes para liquidar não só com a imensa banda podre das polícias civil e militar, mas também para identificar, botar na cadeia e levar à punição as milícias homenageadas pelos Bolsonaro. Não fez nenhuma coisa nem outra. Pior: bastou o assassinato de Marielle Franco, por milicianos a mando de interessados na eleição de Bolsonaro, para que a “intervenção no Rio” deixá-los – polícia bandida e milícia homenageada pelos Bolsonaro – em paz e se concentrar na perseguição e humilhação a pobres e no combate apenas a criminosos concorrentes das milícias homenageadas pelos Bolsonaro e da banda podre das polícias, também eleitoras de Bolsonaro..

    Mas uma coisa quase certamente fez, a identificação dos mandantes do assassinato de Marielle e Anderson. Será por conhecer este e outros segredos que ganhou tanto poder junto ao Genocida? Será este ou outro segredo relacionado que fez o Genocida agradecer publicamente a um general tuiteiro traidor da constituição e dizer que levaria “este segredo” da sua eleição para o túmulo, junto com Villas Boas?

    1. Esse “generalzinho” tem muitas histórias podres para contar,sem dúvidas.
      O entrevado golpista vilas boas ,continúa a nos comandar,assim como comandou o GOLPE.

    2. Sr. Francisco, sem discordar de seu post em nada, só para colaborar: por favor, corrija a data. A intervenção militar se deu cem anos depois de 1918. Embora a maioria dos leitores aqui certamente terão compreendido, há sempre o risco de um bovino bolsonarista ler e achar que Braga Netto é quase tão idoso quanto o Helenão, rsrs. No mais, parabéns pela lucidez. Saudações!

      1. Fico feliz que foi você, Eu, quem notou, permitindo que eu, este outro, me corrigisse. Muito agradecido e um grande abraço.

  7. O que será que se passa com nossa Bruzundanga? O que será que se passa com nossos “super ministros”, “especialistas” e “gestores” todos possuidores de “erudição sólida e própria” e “saber reconhecido” em “matérias” econômicas, financeiras, orçamentárias e demais artes, conhecimentos e ciências ocultas? Está tudo sempre certo, tudo tão bem preciso e bem calculado, mas no final nada parece funcionar. A realidade parece conspirar contra seus planos e suas receitas sempre tão geniais. É tudo culpa do PT , do Lula, da Dilma, do Joesley e do seu sócio o Lulinha, da China, do corona virus e é claro do comunismo que bate ai as nossas portas.

  8. Tb achei muito fraco o tal plano. Mais uma carta de intenções do que qualquer coisa.
    Mas na penúria que estamos, tento ver o copo meio cheio.
    O simples fato de aparentemente ter forças no governo que estão pressionando por um programa de infraestrutura com investimento público pra mim já é motivo de comemoração.
    Sinal que há alguma oposição ao neoliberalismo. Se conseguirem emplacar umas hidrelétricas no Tapajós e Juruena já dá pra dar graças a deus e dizer que saiu alguma mínima coisa boa desse governo lamentável.
    E antes que venha algum debiloide associar usinas na Amazônia ao Bolsonaro, lembro que os projetos que mencionei foram todos idealizados no governo Dilma (na parte elétrica pelo menos ela acertou a mão!).

  9. Falam horrores de Cuba Venezuela e Coreia do Norte. Da Arabia Saudita nao. Imagina
    Agora ficamos nessa situaçao de cargo de presidente eleito vago e esse general formado em formatura querendo ditar nosso destino

  10. Enquanto os militares tentam corrigir a mer da que fizeram o presidente desfila na avenida. Como tem general nesse país que se entrega passivamente diante da guerra entre as nações. Visão de geo-política zero. É preciso mudar radicalmente a visão ou talvez a falta dela na AMAN.

  11. A insanía reina soberana nestes anos pós -golpe.
    O post assinala erros,atrás de erros,básicos, que em qualquer situação normal,seríam tidos como ridículos.
    Mas,não vivemos uma época normal ,os dementes,os imorais,os incompetentes estão dando as cartas ,porque nós deixamos que assim acontece-se.
    Como sairemos disto? melhores ou mortos ????

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *