Cadeirinhas infantis: aperte o cinto, o bom-senso sumiu

Há dez anos, tornou-se obrigatório o uso de cadeirinhas para o transporte de crianças pequenas em veículos automotores.

É uma recomendação internacional de mais de 20 anos e seu uso, segundo a  Organização Panamericana de Saúde, pode reduzir em 60% o numero de mortes. É uma redução percentual de risco maior até que a do uso de capacetes por motociclistas.

A duras penas, criou-se uma consciência de sua necessidade entre as famílias brasileiras, desde a implantação de regras para o transporte de crianças, em 2010.

Ainda assim, falha. Um rápida pesquisa mostra que, agora em abril deste ano, um bebê de 10 meses, sem cadeirinha, morreu ao ser ejetado do carro, no Paraná. Outro, de 11 meses, saiu ileso de uma capotagem feia em Fortaleza.

De repente, Jair Bolsonaro, sem ouvir ninguém, desprezando a opinião de médicos de traumas e instituições de estudo de acidentes viários, decide sozinho e resolve substituir a multa para quem desobeceder esta regra por uma “advertência escrita”.

Em português claro, por um nada, um “ai,ai,ai”.

É inacreditável que até nisso o país esteja vivendo tamanho retrocesso.

É inacreditável que se cometa tamanha irresponsabilidade.

Tudo para ele é o elogio da morte: tirem os radares, eliminem os exames toxicológicos, acabem com as cadeirinhas das crianças.

Em nome da liberdade do indivíduo, mate-se e morra-se.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

22 respostas

  1. Muitas das propostas, sugestões e decretos que esse ser, o presidente eleito e empossado sugere um projeto subjetivo, íntimo e inconfessável de “extermínio dos pobres” aos quais já declarou sutilmente que odeia. Nesse projeto apresentado hoje, há possíveis consequências nefastas se caso seja aprovado. Vejamos, com a diminuição dos radares mais desastres, com eles mais uso dos serviços médicos precários na rede pública. Com a precariedade dos hospitais e postos de saúde, mais mortes. E assim um dis itens do projeto inconfessável. Isso é só uma parte da proposta de hoje. Lamentável termos esse desgoverno.

  2. Completando seu raciocínio Brito: retiremos os impostos sobre os cigarros para que o povo possa fumar mais, aumentemos o uso de agrotóxicos para que o povo possa consumir mais, liberemos o porte de armas para que o povo possa matar mais, estendamos o prazo de validade da CNH para dez anos porque assim o Estado vai ficar muito tempo sem saber quem perdeu as condições de dirigir, façamos uma guerra com a Venezuela para que venezuelanos e brasileiros possam morrer em combate, detonemos a previdência para que os velhinhos morram mais rápido, arrebentemos com a Amazônia – pulmão do mundo – para que não só os brasileiros, mas o mundo todo se ferre e por aí vai. Em outras palavras: estamos sendo governados por um homem que está sob o controle mental de forças ocultas. Ele quer destruir tudo que está certo e funcionando plenamente. Ele quer destruir o país. É inacreditável até onde a coisa está chegando. Será que ninguém – isto é, com poder para tanto – vai fazer nada mesmo? Pois eu digo que a mente do capitão está a serviço de criaturas poderosas que estão por baixo dos panos arquitetando implantar uma Nova Ordem Mundial e o principal objetivo delas é diminuir 1/3 da população global. Ele não dorme é porque está sendo controlado mentalmente. E o que é pior: sequer sabe disso. A propósito capitão, sobre as sandices que o senhor está cometendo em cima do Código de Trânsito só falta mesmo abolir o uso do cinto de segurança, né.

    1. Excelente comentário. Destruição,é isso que move esse monstro. Eu só queria muito saber qual foi assim leitmotif que moveu os dedinhos irresponsáveis que clicaram dezenas de milhões de vezes o 17 naquele dia de outubro….

    2. E com isso voltaremos à crescer 6 ou 7% ao ano. INACREDITÁVEL! Nenhum plano de investimentos para o país, só desinvestimentos. Petrobrás e Embraer que o digam.

  3. Para o liberal que se mete no corpo da mulher querendo impedir a morte do feto proibindo o direito da mulher decidir sobre o próprio corpo, ameaçando com processos de homicídio e cadeia pra mãe e pro médico que ajudar no aborto, faz muito sentido dar a liberdade para os pais matarem seus filhos com carros. O liberal quer mesmo é a liberdade de ser imbecil.

  4. vão usar as armas e os acidentes como ferramenta de controle populacional. deixa o povo se matar, que sobra mais para eles.

  5. Ele quer mudar isso tudo porque seus bolsominions devem ter lhe falado que são coisas de petralhas.
    Esse louco quer dizimar a população brasileira. Só não sabemos ainda qual a sua meta de redução mas ele está se movendo em todos os sentidos possíveis: liberando armas, sucateando o SUS, permitindo que a polícia mate pra lá, eliminando as regras de trânsito, ….. e por aí vai esse festival de sandices.

  6. Jair Messias Bolsonaro já deu provas demais que sofre de algum grau de demência. Seguramente sua completa incapacidade de ter empatia por qualquer ser humano que não seja um torturador ou assassino demonstra psicopatia, mas tem algo mais sinistro, pelo que demonstram suas ideias e atos. Urge defenestrar do poder esse Governo, antes que mergulhemos em um caos irreversível.

  7. Pobre doente mental.
    Mas mensageiro da morte. Morte do país.
    Mas quem o colocou ali, globo, generais do cabide de emprego e parte podre do judiciário, tem toda a responsabilidade pelo desastre que causam ao país.
    E sabiam quem ele é.

  8. É o dito presidente com uma fixação fálica e com a obsessão de tornar o trânsito mais fatal ainda. Eita, despreparo!

  9. Tirando todo o resto de absurdos, tendo a concordar com a queda do exame toxicológico.
    O motorista profissional não pode, obviamente, conduzir sob efeito de nenhuma substância psicoativa, mas tem vida privada. Tem férias, fins de semana, folgas.
    Esse exame abrange até 1,5 ano da vida do sujeito, indiscriminadamente. Um baseado que o cara fume, já será necessário abandonar a profissão.
    A não ser que se instituam também os exames para algumas outras profissões-chave, como médico cirurgião, por exemplo.

  10. Tirando todo o resto de absurdos, tendo a concordar com a queda do exame toxicológico.
    O motorista profissional não pode, obviamente, conduzir sob efeito de nenhuma substância psicoativa, mas tem vida privada. Tem férias, fins de semana, folgas.
    Esse exame abrange até 1,5 ano da vida do sujeito, indiscriminadamente. Um baseado que o cara fume, já será necessário abandonar a profissão.
    A não ser que se instituam também os exames para algumas outras profissões-chave, como médico cirurgião, por exemplo.

  11. E nós, conscientes e racionais continuaremos a utilizar cadeirinha, cinto de segurança, capacete e respeitaremos o pedestre que no caso também somos…. E isso não porque fomos forçados um dia, faremos por amor a nossa família, nossos pequenos etc.
    O Mijair é um doente, um criminoso sociopata e tudo o que ele disser ou fizer deve sempre servir de exemplo sobre O QUE NAO SE DEVE FAZER JAMAIS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.