Capitania hereditária. Ou playground

Capitão baixou enfermaria, os garotos fazem a festa.

“Pit”, o 02, rosna ameaças à lenta democracia, que ainda impõe limites à família e vira a grande notícia do dia.

Dudu, o 03, depois de exibir o ‘trabuco” no hospital e na Firjan, diz que seu instinto garante que será embaixador no Texas, digo, na Washington de Donald Trump.

“Rachid”, o “01”, que andava murcho como laranja que perdeu o viço, agora é apontado como “superministro” pelo Estadão, capaz de passar a perna em Sergio Moro até em nomeações no Conselho Administrativo de Defesa Econômica, autarquia federal vinculada ao Ministério da Justiça.

Temíamos virar uma ditadura militar e acabamos, vejam só, nos tornando um império familiar.

Quem quiser alguma coisa, que fique amigo dos filhos, porque o resto da manada pouco apita.

Parabéns à elite brasileira. Parabéns aos oficiais generais de nossas Forças Armadas. Parabéns aos grandes grupos econômicos e midiáticos.

Graças a vocês, 500 anos depois, o Brasil voltou a ser uma Capitania, apenas com mudança de metrópole, mas ainda hereditária.

Mas com modernidade, reconheça-se: agora, os meninos mandam, desmandam e aprontam no “play”, sob o olhar complacente das babás fardadas.

 

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

28 respostas

    1. Flávio, isso não é pergunta que se faça! Qusay, o nome já diz, é o marido do genro do presidente e mãe do poodle. Uday é o retardado que vai pra Disney ou algo semelhante nas imediações. Apesar de não teres perguntado, Rachid é o Zero Um. Comparando com os Três Patetas, ele seria o Moe. É a cabeça mais privilegiada da família, mas, sob pressão, desmaia e se caga. Mas, tudo bem, ninguém é perfeito.

  1. “Babás fardadas”… O Brito anda merecendo uma estátua. Nossas forças armadas desceram a buracos onde os moradores costumam a rastejar na imundície. Não há como confiar nessa gente para defender o Brasil. Quatro imbecis arrogantes espezinham 210 milhões de pessoas sob a covardia humilhante de “babás fardadas”.

    1. Muito bom, Brito. Gostaria que esses imbecis lessem o artigo. É brilhante. É absurdo que esses calhordas não se envergonhem do papel lamentável que vêm representando. Abriram mão de qualquer resquício de dignidade, de hombridade, de honestidade, de moral, se é que algum dia tiveram.

    2. Isso: “Quatro imbecis arrogantes espezinham 210 milhões de pessoas sob a covardia humilhante de babás fardadas”.
      A melhor definição que já vi, até hoje, do momento vergonhoso pelo qual estamos passando.

  2. Futuro apocalíptico: Jair 2022, Flavio 2026-2030, Carlos 2034-2038 e Renato 2042-2046. A coisa vai ser feia!

    1. Impossível. No ritmo atual, entramos em guerra civil em 2020 e nos pulverizamos em 6 países diferentes em 2023…

  3. Não podemos deixar de agradecer tbm aos pastores fundamentalistas quem construíram muito para que isso acontecesse.

  4. Francamente, não entendo porque algumas pessoas pedem que os militares se movimentem, obviamente, no sentido de defenderem a soberania do Brasil e o povo brasileiro. Quando eles fizeram isso na história do Brasil?!…Que eu saiba, nunca!…Quando aos Bolsonaro, esses jamais serão chamados de democratas porque se eles sabem exatamente o que é a democracia, e eu até penso que eles têm uma ideia do que seja, jamais a aceitarão.

    1. Já tivemos sim pelo menos uma exceção notável. Em 11 de novembro de 1955, ante ao golpe que parte de Congresso, a oligarquia de então e notadamente Carlos Lacerda armavam, o General Lott interveio com forças legalistas, permitindo a posse de Juscelino e adiando as trevas por 8 anos e meio. O quase golpe de Lacerda e Café Filho terminou com a fuga deles no crusador Tamandaré. A guarnição de Copacabana chegou a disparar um tiro de advertência no navio de guerra. Bons tempos!

    2. Já fizeram. O General Lott já pôs tanque na rua pra garantir a eleição em 1954, após o suicídio do Getulio, e com o apoio do comando Sul do exército o velho Briza conseguiu desarticular o golpe contra o Jango em 1961, quando o Jânio Quadros renunciou. Há uma veia legalista em parte das forças armadas.

  5. Só diria que em lugar de um império, estamos vivendo no danado de um fuzuê familiar. O Alcolumbre retrucou no Senado a convocação ditatorial do 02. Disse ele: “Eu confio na democracia, eu acredito nas instituições e, por isso, eu cumpro meu papel tentando dar estabilidade a um país de 200 milhões de brasileiros que aguardam as nossas respostas para emprego, mais saúde, mais educação”. Foi o bastante para um tal de Carvalhosa entrar com uma queixa crime contra ele, por impedir o andamento dos pedidos de fechamento do STF. Tem gente que está além da ditadura, e é capaz de achar que o Carluxo é um procrastinador comunista.

  6. Bolsonaro comanda um governo militar e miliciano. As Forças Armadas são comandadas por entreguistas. Entreguista é um eufemismo pra Traidor da Pátria.

  7. A GLOBO,ESTADÃO,FOLHA ESTÃO FINGINDO QUE SÃO CONTRA AS PALAVRAS DE CARLUCHO O BOSTA.
    A GLOBO,ESTADÃO FOLHA COMO TODA MÍDIA TRADICIONAL APOIARAM A DITADURA E ESTÃO A
    APOIAR ESSA TAMBÉM POIS FINGEM QUE ESTAMOS EM UMA DEMOCRACIA COM GOLPES E PRESOS POLÍTICOS.

    1. Exato. Dão gritos inócuos contra filigranas enquanto os golpistas vendem e saqueiam o Estado Brasileiro nas sombras. Cortina de fumaça, trompe d’oeil.

  8. A “CURTURA” DESSA “FAMIA” ME ESPANTA:
    EDUARDO BOLSONARO COMPARA CARLUCHO O BOSTA A “WINSTON CHURCH”.
    E O CARA VAI SER EMBAIXADOR?!

  9. “Parabéns à elite brasileira. Parabéns aos oficiais generais de nossas Forças Armadas. Parabéns aos grandes grupos econômicos e midiáticos.”
    CAMBADA DE FILHOS DA PUTA !
    TRAIDORES DO POVO BRASILEIRO E DO BRASIL.

  10. Brito, aguardemos…certamente um Twitter do general vilas-boas certamente colocará ordem no galinheiro !

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *