CPMF do Guedes tem pouca chance de acontecer

Não se descarte a hipótese de, assim que sair do hospital – o lá de dentro mesmo – abrir fogo contra a nova CPMF que o Ministério da Economia anunciou hoje.

Não porque seja – e não é – a pior medida para acertar as contas públicas, mas porque é o mais emblemático ato para decepcionar os seus eleitores convencidos de que era para valer o seu proclamado “Mais Brasil, Menos Brasília”.

E, além disso, vai colocá-lo em péssima situação frente ao Congresso, que só tem chance – e remota – de aprovar isso se for entupido de benesses e emendas que, no parco Orçamento do país, já nem tem tanto espaço para acontecer.

Não será fácil sequer fazer tramitar uma proposta destas, porque – ao contrário do que ocorreu na Previdência – não haverá o apoio maciço da mídia, do empresariado e do mundo das finanças.

Por isso, até agora, os agentes econômicos ainda não levam a sério o novo imposto.

A ideia que isso vá substituir as contribuições previdenciárias patronais é, por enquanto, uma quimera não-dimensionada.

Por enquanto é barulho, mas vai causar muito desgaste ao governo se Bolsonaro não jogar logo água fria na fervura do noticiário.

Ou vai fritar com ele.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

  1. Tá mais pro bozo ser contra porque a cpmf permite identificar CPF e CNPJ do titular da transação. A milícia e demais criminosos, até aqui ocultos no sistema financeiro, votarão contra.

    1. É isso mesmo. Na verdade, uma CPMF simbólica na base do 0,001 já pegaria os sonegadores. O país não precisa de mais impostos. Precisa sim pegar os sonegadores dos impostos que já existem.
      Conheço gente que está riquíssima sonegando impostos. Aliás, essa gente rica toda sonega impostos. Nao existe fortuna lícita. Quem paga impostos no Brasil é somente a classe média e os pobres.

      1. Essa alíquota simbólica poderia estar blindada numa emenda constitucional, e reajustada pela inflação (para não acontecer a sacanagem que ocorre hoje, como o faxineiro do meu prédio que é descontado com IR na fonte).

        Vide meu comentário abaixo.

        1. Infelizmente, nosso país não é sério. Mas, ainda assim, eu sugiro que alguém leve essas idéias para os parlamentares e também para Rodrigo Maia e o Davi Alcolumbre analisarem. A esperança é a última que morre. Uma coisa é certa: dessa forma o problema de caixa do Brasil estaria resolvido. Mas precisaríamos de boas gestões e, sobretudo, de boas intenções.

  2. Estão se enrolando na corda que usaram para sufocar e bloquear o Governo de Dilma Roussef. Não tinham e não têm nenhuma solução para recuperar a economia que eles próprios com sua política de terra devastada ajudaram a criar. Imaginavam uma taxa de câmbio em 3 a 2,5 está em 4 com pinta de ir a mais, imaginavam a economia crescendo e ela continua inerte, não gostariam de ver uma taxa de juros menor que 7 e daqui a pouco vão ter que aceitar a 5 e a economia não vai reagir, falavam recuperar a situação fiscal e ela piorou muito mais do que diziam, diziam em recuperar a confiança e o espírito animal dos empresários e nada, a montanha pariu um monte de ratos. Mentiram, mentiram, mentiram e continuam a mentir mais que os meninos e meninas de Curitiba. Mas era só tirar a Dilma não é mesmo? Os meninos e meninas da Faria Lima são muito piores que os de Curitiba, o Telegram não chega nos pés dos chats da Bloomberg em matéria de destruição. E pensar que seus chefes são os sujeitos ocultos, primeiros promotores e primeiros beneficiários do Golpe de Estado.
    Para não ser injustos com os meninos e meninas da Faria Lima diria que acertaram a inflação e para delírio dos tarados do núcleo da meta de inflação ela continua baixíssima, e eles comemoram como um médico que festeja a temperatura baixa quase zero do pobre e infeliz do paciente em coma (literalmente) induzido. São mesmo geniais eles não?

  3. É muito estranho essa “não” CPMF vir exatamente da mente perturbada do Paulo Guedes. Como tudo que sai desse desgoverno, eu sei que será ruim pra base da pirâmide, mas, quem será que convenceu ele que isso é bom pro empresariado?

  4. Os sonhos ditatoriais do Carluxo têm um forte cheiro de desespero diante de um tempo que se esgota. As pesquisas ladeira abaixo têm muito a ver com isso. E os lances do Guedes, tanto os do plano de apressamento angustiado de privatizações feito às carreiras quanto o lance do imposto a ser criado, também são sinais de desespero diante da fuga inexorável do tempo. “Me defendam, não me abandonem, eu vou lhes dar as estatais em uma bandeja de prata!”. O tempo está se esgotando e o mês de outubro já vem por aí.

    1. Nestes dias que o Bolso merda está no Hospital é que deu para para observar a calmaria na voz do vice (Mourão).
      Ele deu a entender que está tudo uma maravilha uma calmaria etc. Só faltou falar nas novelas da Globo, receita de bolo etc e etc. Ele tá igual aquele procurador de BH que disse:Eu recebo só 24 mil por mês e será que vamos ficar neste miserê???? Enquanto milhões ganham um mísero salario mínimo , mas, uma grande minoria que ficam vendendo alguma tranqueira nos sinaleiros ganham só uns 20% do salário mínimo. Tamos bem né!!!!!
      Farinha pouca, meu pirão primeiro!!!!!!

  5. Dados do IBGE de 2014 indicam que o número de subutilização da força de trabalho eram de 15 milhões e 2 milhões de desalentados – somados, tínhamos 17 milhões de desempregados. Hoje, o número de subutilização da força de trabalho é de 25 milhões e 5 milhões de desalentados – somados, somos (sou desalentado) 30 milhões de desempregados. Se subtrairmos 30 -17 = 13.

    O valor médio do salário é praticamente o mesmo: R$2.100,00. Se multiplicarmos R$2.100,00 por 13 milhões = R$27,3 bilhões por mês, e por ano, teríamos R$354,9 bilhões a mais, movimentando a economia. Só recursos do INSS para aposentadoria fora retirados mais de 106 bilhões por ano. agora quer repor esse rombo com CPMF? MERCADO SAFADO, LADRÃO DO POVÃO.

  6. Não só milícia e criminosos (stricto sensu) repudiam a cpmf. Veja-se quem impede isso na foto: gente que recebe muito dinheiro em espécie.

  7. Estou assistindo de camarote. Os que falavam todo dia em “Carga Tributária”, durante o governo do PT, agora ensaiam uma escorregada tributária sem sentido. Essa mentira não pega!

  8. Combinação Guedes e bolsonaro, assim, Guedes levanta a bola para o bozo chutar lá do hospital, aí o seu gado vibra dizendo aí o mito derrubou a cpmf, viva o mito viva!!!!!

  9. Tá com cara de “se o congresso não aprovar alguma venda de estatal a CPMF terá que voltar”: apoio amplo e geral da classe média às privatizações

  10. Uma das principais bandeiras da direita é o corte de impostos. Quando ela propõe a criação de um imposto, como agora, a esquerda deveria apoiar, DESDE QUE seja um imposto PERMANENTE, e não válido só enquanto a direita está no poder e quando a esquerda ganha a eleição o imposto já tem data de validade para acabar. Se a esquerda for inteligente ajuda a aprovar e condiciona o apoio a que não haja prazo temporário para o imposto.

  11. Fosse um governo sério (o que não é), poderia propor uma PEC em que esse imposto incidiria em transações que acumulassem mais de R$ mil mensais em saques (reajustado pela inflação), na alíquota simbólica de 0,001%, para fins meramente fiscalizatórios (combate à sonegação).

    Assim, R$ 1 mil pagaria um centavo, dez mil pagaria dez centavos e assim por diante. Um automóvel, que é um bem caro e que possui inúmeros processos na cadeia de produção, duvido que ficasse sequer vinte reais mais caro, caso esse imposto fosse todo repassado ao consumidor. O efeito inflacionário deste imposto sobre os preços seria desprezível, assim como no poder de compra da população, e por estar em emenda constitucional estaria bem garantido. Os sonegadores é que teriam que se virar.

    Mas, como disse, é sonhar com um governo sério – coisa que definitivamente não é.

  12. Interessante é que a CPMF em um País com um governo bem avaliado teria chances sim de ser aprovada. Mas, é como disse: Um Governo sério. O Presidente faria um discurso conclamando que o País esta conflagrado e precisa ser
    reconstruído como no caso da Alemanha pós 1945 e hoje é o que é, na certa é que houve a união dos esforços de todos e o Pais hoje é uma Potencia, mas com um governo “bunda mole” como o Bolsomerda isto é impossível

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.