Caso do Dpvat é mais uma marola sem futuro

A extinção do seguro obrigatório para veículos, o Dpvat, tenha sido ou não uma vingança de Jair Bolsonaro contra o seu desafeto Luciano Bivar, presidente do PSL, tem chance quase zero de prosperar.

Primeiro, porque implica parda de receita – este ano, R$ 2,1 bilhões – para o SUS e não haverá a menor simpatia por tirar dinheiro de hospitais e casas de saúde no Congresso.

Segundo, porque o argumento que há fraudes – onde não há – nos sistemas de apuração é o mesmo que justificaria acabar com a Previdência porque, aqui e ali, há fraudes.

Foram nada menos que 38.281 mortos cujas famílias receberam o seguro no ano passado e 228 mil que tiveram direito a esta mínima indenização por terem ficado com algum grau de invalidez.

Também aí é duro de crer que os deputados queiram tomar o lado do governo quando vierem as manifestações de cadeirantes e outros acidentados do trânsito.

E você vê que, nos números, a grande maioria dos condutores é de motociclistas que, em geral, são as pessoas mais pobres e desassistidas.

É claro que as seguradoras ganham dinheiro, mas os prêmios vinham se reduzindo desde que foi apertada a fiscalização sobre as empresas e chegaram a um valor muito razoável: confira aí nos documentos do carro deste ano: R$ 12 para veículos particulares, sendo R$ 5,40 para o FNS, que é dinheiro do SUS, mais R$ 4,15 de custo do bilhete, valor que permaneceu inalterado.

Aqui no Rio, o custo do Dpvat, hoje, é menor do que o de quatro litros de gasolina por ano.

Não está aí, portanto, a tão alegada carga tributária sobre a classe média.

E se não é essa a razão, começa-se a acreditar que o Dpvat entrou na guerra da laranja.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

21 respostas

  1. Se a existência de fraudes é justificativa para acabar com políticas que beneficiam a população, sugiro acabar agora com todas as deduções previstas nas Declarações do Imposto de Renda. Com certeza é ai que se concentram as maiores falcatruas que levam ao desvio de recursos públicos. Seria bem feito para os indivíduos da classe média e alta que tanto se indignam com os desvios do bolsa família como se fosse esse o grande problema.

  2. Se essa lei passar, o Bozo fará o mesmo que o cidadão que botou fogo na casa para se livrar dos cupins. Parece que ele tem 2 neurônios mas, ao que tudo indica, só tem um. E funciona muito mal.

    1. Tinha dois. Um deles, cuja função era evitar que cagasse andando e causasse maiores constrangimentos aos parças ficou um tempo fora de ação. Foi quando inventaram a facada, a fim de justificar a bolsinha. Quando voltou a funcionar o tal neurônio, tiraram a bolsa. Parece não ter adiantado muito.

  3. ais caro é o ipva paulista, e ninguém reclama, ate´ que seja eleirto um governador de oposição, ai todos cairão matando…..

  4. Paguei o DPVAT de 2018 121,00 me acidentei de moto, quebrei o pé, não foi o SAMU que me levou para o pronto socorro, tentei fazer o BO 5 x a PM me empurrava de um lugar ao outro, não. consegui receber.Brasil um país de ladroes.Tem que acabar com os parasitas que sugam esse país. Privatizar tudo!

  5. Me perdoe o articulista, mas a medida vai passar pelo congresso… ops digo pocilga.
    Qualquer 50 “mérreis” compram os porcos que pululam na pocilga!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.