China se prepara, porque coronavírus está longe de ser detido

Embora a mídia tenha passado para segundo plano o assunto, o fato é que o surto de coronavírus na China não dá sinal de abrandamento.

À meia-noite de ontem (hora local), segundo a Comissão Nacional de Saúde da China, a segunda-feira registrou 3.235 novos casos confirmados de infecção, 64 mortes e 492 pacientes graves. Foram 5.072 casos suspeitos em 24 horas e 171 mil pessoas estão em observação médica.

Num sinal de que as preocupações se agravam, um centro de convenções, um ginásio (foto) e um centro cultural em Hubei, centro de propagação da doença, foram transformados em enfermarias, com um total de 3,400 leitos.

O formigueiro humano de Pequim desapareceu e o The New York Times mostrou as ruas da cidade, de mais de 21 milhões de habitantes, basicamente vazias.

A economia, é óbvio, está funcionando a meia-bomba e, segundo a Bloomberg, a demanda por combustível caiu 20%.

É inevitável que o problema perdure por semanas ou até mesmo por meses, com forte impacto na economia.

O pesadelo está só começando.

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

11 respostas

  1. Nao tenha em mente q vem uma catastrofe
    Morreram pessoas e horrivel porem todo ano milhares morrem de gripe
    Eu acredito na competencia do governo chines em deter e suprimir essa epidemia.
    Eu digo isso pq pela qualidade da imprensa nacional qualquer surto de gripe vao querer explorar e manioular o povo
    Sei q es honesto e bem intencionado mas aainda acredito q essa e mais uma gripe comum apesar de saber q pode ser algo como um virus modificado.

  2. Eu fico lembrando do filme Tubarão e me pergunto: que dimensão o problema atingiria em países em que governos são submissos aos interesses econômicos privados? O governo chinês tomou medidas imediatas para conter o problema mesmo com os previsíveis reflexos negativos sobre a economia. Um governo capitalista submisso ao capital privado teria tido coragem e força para tomar medidas semelhantes? Mesmo considerando a desconfiança criada pela epidemia ser tão favorável aos eua, é o caso de dizer: Ainda bem que aconteceu num país em que o estado é forte e se impõe sobre os interesses econômicos imediatistas.

    1. Os EUA não tiveram a coragem de fazer o que a China está fazendo, pois em 2009 com o surto epidêmico do vírus H1N1, que atingiu cerca de 55 mil estadunidenses, com a mortalidade de aproximadamente 2,5% dos afetados pela virose. O CDC levou dois meses e meio para desenvolver um kit para diagnóstico do vírus.

  3. Há quatro dias, em um post deste blog, informei que todos os casos confirmados de coronavirus na China continental totalizavam 68% do número de casos confirmados apenas do epicentro em Huwei. Hoje isso é de 51%. Somente esses números não permitem eliminar possibilidades muito diferentes. Pode ser que a contenção tenha falhado e a doença conseguiu se espalhar, mas pode ser que a taxa de contaminação em Huwei tenha se reduzido e o aumento no número de casos confirmados não seja tão intenso quanto antes.

  4. Aids,ebola,gripe aviária,coronavirus ,etc sempre tem origem na África ou Ásia ,nunca nos países dominantes,por qué?
    e por qué só agora??? se sempre tiveram essas condições sanitárias, de higiene e costumes ancestrais? que eram ainda piores do que são hoje !!.
    A economía chinesa está sofrendo um duro golpe,quem se beneficía?
    MK ultra e outros projetos do império com sua —própia gente— não são um motivo de suspeita sobre eles??? não é paranôia,a história diz que não é…

    1. Não é paranoia e já há quem defenda seriamente a hipótese. E de quebra vem a ressurreição do racismo contra chineses e orientais em geral. Esquecem dos bilhões de dólares que o turismo de chineses deixam para os cofres de suas cidades. Estão todos se lembrando de que os chineses eram semi-escravos nos filmes de caubói. Tinham trancinhas e dois grande dentes na frente. trabalhavam na cozinha e dormiam no quartinho dos fundos, e até o grande Einstein os chamava de sujos, como a mulher do metrô do Rio chamou uma descendente de japonesa.

    2. Costumes ancestrais? Um caso: a sociedade Xavante do Mato Grosso recebeu um presente em comemoração aos 500 anos brasileiros, em 2000. Um projeto de arquitetura que construiu casas de alvenarias (ocas?) com a mesma planta semicircular e um banheiro com fossa e tudo. A aldeia passou a cheirar esgoto, coisas que nunca sentira antes. Obviamente um presente do grego clássico. Como no caso do vírus Tortor bovis que os italianos introduziram na África. Os sistemas naturais/ancestrais de defesa foram destruídos. Por aí.

  5. A previsão para o início da elaboração de uma vacina é de dois meses, dada por uma cientista inglesa. Os russos também estão acelerando esforços, juntamente com cientistas chineses, no sentido de obter uma vacina o quanto antes. Apesar do surto continuar com números assustadores na China, o problema por lá parece estar equacionado. O que mais preocupa é a possibilidade de alastramento do surto em lugares fora da China antes que a vacina esteja disponível. Mas péssimas consequências já estão advindo com o surto, e não apenas na economia. O racismo contra chineses se espalha pela Europa, América do Norte e Austrália. No Canadá, as crianças de origem chinesa estão sendo hostilizadas nas escolas. Parece que a condição de fragilidade exibida forçosamente pela China fez renascer em alguns lugares o desprezo que seus nativos tinham pelos chineses, até finais do século vinte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.