CNT/MDA: Haddad isolado em 2º abre novo momento da campanha

Como se afirmou no primeiro post de hoje, a pesquisa CNT/MDA, que não sofre a distorção dos levantamentos telefônicos, mostrou literalmente o que se  previra:

Jair Bolsonaro em torno de 30% e Fernando Haddad já atingindo – ou chegando lá – os 20%, perto de o dobro de Ciro e com Marina Silva e Geraldo Alckmin baixando em direção à casa dos 5%.

Bolsonaro teve 28,6%; Haddad, 17,6. Ciro baixou aos 10% e  a dupla Geraldo Alckmin (6,1%)/Marina Silva(4,1%) orbitando os 5%.

Cono a pesquisa foi feita entre quarta-feira e sábado, é bem provável que os 20% de Haddad sejam uma realidade, hoje.

Em nenhum dos cenários simulados – e foram tantos que até Marina, com seus 4% entrou nas hipóteses – em nenhum Jair Bolsonaro rompe a barreira dos 40%.

Na última rodada, quando o nome petista era Lula, em todos eles o ex-presidente marcava 50%, com décimos de variação.

É preciso muita “fé na mídia” para achar que um personagem sem arestas como Fernando Haddad possa ter mais rejeição que ele.

Está aberta uma nova fase da campanha, embora ainda não tenha terminado o tempo da informação de que Haddad é Lula e Lula é Haddad, tanto que na pesquisa espontânea, Fernando Haddad marca 9,1%, mas 7,5% continuam indicando Lula, mas o espaço da confusão do “sei que ele não pode ser, mas não sei quem ele apoia”.

Que fase será essa?

Bolsonaro, como se viu, insuflando seus fanáticos, depois de uma pequena trégua hospitalar.

Alckmin e Marina atirando para todos os lados, na esperança, apenas, de fugir do naufrágio vergonhoso, o que a ambos já parece impossível.

Ciro tentando se sustentar “no gogó” que é aquele com chances de enfrentar Bolsonaro e, portanto, mais sujeito aos acidentes de sua agressividade.

E Haddad, com sua incrível capacidade inata de ser firme sem ser agressivo, inaugurando o discurso do “vamos conversar” com o (eleitor) adversário.

E o sistema mídia/Justiça a aumentar os seus disparos desesperados sobre ele, o PT e Lula.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

39 respostas

  1. Consolida-se a percepção de que o golpe fracassou. A estratégia era composta por um tripé constituído (1) pela derrubada de Dilma/PT do governo, (2) pelo impedimento da candidatura Lula e (3) pela legitimição do projeto entreguista e anti popular dos golpistas através da eleição de um dos seus (alckmin, de preferência). O grosso do eleitorado do brucutu não consegue perceber que um eventual governo seu seria a continuação e aprofundamento do projeto neoliberal predatório atual; os analfabetos políticos enxergam o Coiso como sendo contrário ao atual “governo”. Somem-se os votos de Haddad, Ciro, Boulos e até Marina e teremos muito mais que 50% do eleitorado apoiando candidatos identificados como anti-“governo”. Por conta de geopolítica e interesse em retomar o controle de seu quintal, os EUA participaram veladamente do golpe; por conta de interesses financeiros, a banca colaborou com o golpe; por interesse no petróleo, outras riquezas e em destruir grandes empresas brazileiras, grandes grupos econômicos também deram sua contribuição. Investiram muito, jogaram pesado, por isso é difícil imaginar que aceitarão passivamente a retomada do projeto inaugurado com a primeira eleição de Lula. A primeira opção destas forças malignas internacionais seria eleger o Coiso para manter o projeto de desmonte do país. Como o Coiso será derrotado, fica a pergunta: o que nos espera a partir do dia seguinte ao segundo turno?

    1. Acho que o tamanho da vitória (ou derrota) nos governos estaduais, assembleias e congresso é o que vai definir o day after. Se fosse fazer um prognóstico seria pessimista. Vejo que os poderes locais e o poder econômico tem grandes possibilidades de conseguir um empate para os golpistas neste campo. O PT e os outros partidos deveriam fazer um enorme esforço para reafirmar a importância do voto de legenda ou (menos) nos puxadores de votos. Uma vitória aí seria a única maneira de partimos para o ataque no day after. Não vai ser fácil o day after mesmo com uma Vitória inconteste e incontestável. Imaginem com uma derrota. Portanto, cidadãos, cidadãs, às urnas.

      1. É, não dá para acreditar que se elegerá um congresso melhor do que este que foi eleito em 2014 e é um dos culpados pelo golpe e pela atual situação em que se encontra o brazil.

      2. Além da força no Congresso, o povo vai ter que se engajar para ocupar as ruas. Foi lá q os golpistas venceram desde 2013, por falta de organização e mobilização do povão.
        A virada será nas ruas, único lugar em q o povo pode vencer o golpe.

        1. Nisso todos concordamos, mas é preciso admitir-mos, todos falhamos. Lideranças, militantes, simpatizantes e eleitores do Partido. Essa a ainda é nossa maior força, como sabem nossos adversários. Eles sabem em que miram.

        2. O povo pode vencer o Golpe nas urnas. Cabe ao Governo eleito governar para o povo e cuidar de fortalecer as ligações entre o povo e o partido que o representa. Essa é a receita e é assim que funciona. O povo não faltou ao PT em quatro eleições seguida, a alguma coisa se deve isso. Mas o governo no poder não pode discuidar da principal ferramenta de mobilização que ainda é o Partido, já que não inventamos ainda nada diferente, melhor e que possa o substituir. A chave da mobilização é a representação e esta deve basear numa relação de confiança recíproca e testada entre representantes e representados.

  2. SÃO CONFUSAS DEMAIS ESSAS PESQUISAS,VI AGORA NO AZENHA O NAZI COM 39%. SE FOR É PREOCUPANTE.

    1. Pesquisa feita por telefone.
      Mas telefone fixo ou celular?
      Se fixo for, pergunto, qual classe social ainda utiliza telefone fixo?

    2. Caçador de Passarinho, os 39% aos quais vocês se refere dizem respeito a um eventual 2º turno entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad. Nesse cenário, Bolsonaro teria 39% dos votos e Haddad 35,7%.
      Cabe observar que esse resultado é um empate técnico (está dentro da margem de erro)..
      Sobretudo, porém, é importante observar que Haddad ainda tem MUITO A CRESCER. Há um enorme contingente de eleitores que votariam em Lula que ainda não sabem que Haddad é o candidato do Lula. Portanto, é praticamente certeza que Haddad vencerá o 1º turno desta eleição com uma boa (ou razoável) diferença à frente de Bolsonaro. E considerando que a rejeição a Bolsonaro é superior à de Haddad, havendo um segundo turno com ambos, também é praticamente certeza que Haddad vencerá a eleição.

  3. Torço, do fundo do coração, que o Coiso esteja recuperado para os debates de ideias no 2º turno. Será muito interessante ver o contraste gritante. Espero que a campanha dele não invente nada para fugir do debate de IDEIAS.

    1. Não sou dado a apostas mas acredito que sua equipe sabe desse contraste e vão fazer tudo pra ele ficar dodói em repouso até o segundo turno, se possível.

    2. Torço é para que segundo turno, se houver, que seja a partir da campanha de 2022. Com novas e acachapantes derrota dos entreguistas, é claro.
      Para 2018, quero mesmo é Haddad em primeiro turno. Com porcentual de votos suficiente para esvaziar quaisquer pretensões de questionamento!

  4. Torço, do fundo do coração, que o Coiso esteja recuperado para os debates de ideias no 2º turno. Será muito interessante ver o contraste gritante. Espero que a campanha dele não invente nada para fugir do debate de IDEIAS.

  5. Essa pesquisa CNT do mercado tá mais proxima da realidade, mas ainda é manipulada e infla Bolsonaro. Eles só não conseguem esconder a subida do Haddad, na verdade o único que está crescendo de forma consistente. Mais cedo ou mais tarde os institutos dos golpistas vão chegar aos numeros do Vox Populi.

    1. Para enganar os trouxas veja que eles nunca “sobrem” o coiso, apenas “oscilam” pra cima dentro da margem de erro…
      #HADDADÉLULA
      #MANUÉLULA
      #SOMOSTODOSLULA
      #SOMOSTODOS13

    2. Essa FAKEsquisa ainda está anos-luz da realidade. Está dando 10 pontos a mais para o bolsolixo do que ele realmente tem.

  6. Até onde irão esses disparos desesperados ? Isto é algo para que nos preocupemos. É difícil acreditar que a direita aceite a revogação do seu projeto implantado a toque de caixa, sem reagir com outro golpe. E quando falo na direita, não me refiro a esses celerados ridículos como Bolsonaro, mas ao seu comando no hemisfério norte. Não seria o caso de haver um acompanhamento internacional de nossa eleição ? Não sei se digo bobagem, mas isto não poderia ser pedido por nossas forças democráticas ?

      1. Não tinha visto essa notícia. É boa mas seria melhor se viessem figuras importantes. Assim com Jimmy Carter foi à Venezuela há anos, poderia vir um Bernie Sanders. Não sei se quero demais. Rsss

    1. Vão em lugar algum. O nosso estrategista está preso em Curitiba, mas nada poderá deter esta massa de votos em Hadadd.

  7. Puro relincho, intao quer dizer q se nao der o resultado que o bozonaro e bozominions querem a eleição é fraude?

  8. O PT republicano em terra de uma direita fascista e criminosa já exigiu a presença de observadores internacionais para acompanhar as eleições no Brasil?
    E desde ‘ontem’!

    1. Os observadores internacionais estão todos de olho no Brasil desde o início da campanha persecutória contra Lula. Multiplicam-se os líderes e estadistas mundiais que o visitam em Curitiba , incluindo Villepin, Zapatero, Massimo D’Alema, Pepe Mujica e vários outros de diversos países, além de Adolfo Perez Esquivel, prêmio Nobel da Paz e representantes do papa Francisco, entre tantos. E as eleições serão acompanhadas sim por uma equipe de observadores internacionais, isso já foi noticiado há algum tempo. Para o Brasil, tudo isso é uma vergonha porque mostra que desde o golpe de 2016 afundamos completamente, não somos um país civilizado. Nossa democracia precisa ser tutelada já que não soubemos sequer respeitar a nossa Constituição e o nosso Judiciário é um escândalo de parcialidade.

  9. A excelente entrevista que Haddad concedeu hoje aos jornalistas da Folha/Uol/SBT foi um exemplo claro de sua capacidade de conversar elegantemente com todos, simpatizantes ou adversários políticos. Menos com aqueles que quiserem desrespeitar as regras democráticas, conforme deixou bem claro. Elogiou o bom jornalismo da equipe que o entrevistou, aliás muito boa mesmo. Os colegas fizeram perguntas de alto nível, exatamente aquelas que o eleitor gostaria de fazer ao candidato, e DEIXARAM QUE ELE RESPONDESSE. Quase sem interrupções. Um show de jornalismo sério, um sopro de ar fresco no combalido jornalismo nacional. E um show de respostas equilibradas, consistentes, ricas em informações. Se os eleitores brasileiros bem informados tivessem a coragem de decidir seu voto apenas pela competência do candidato, Haddad estaria pronto a vencer no primeiro turno.

    1. A entrevista do Ciro nesse veículo foi excelente também, o problema é que esse tipo de programa dá traço de audiência quando comparado ao JN, mas não custa sonhar que um dia possamos ter mais entrevistas desse nível e não aquela inquisição golpista…

  10. A maioria destes “seca pimenteiras” que postam aqui são viúvas do Ciro,, Alkimin, e da Fadinha da Floresta. Esta turma Bolsonaristas sabem que o Haddad está subindo feito um foguete, mas, os fracassados (maioria) que postam aqui são como Cornos, sentem a dor, mas não sabem onde. Vai ver é na testa. Se segurem Bolsonamerdista, que o burro é brabo.

        1. ANTES DE OFENDER SEU BOSTA,VEJA O PERFIL AMEBA SUBNUTRIDA POIS PACIÊNCIA SE FOI COM IMBECIS A MUITO TEMPO.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.