Comissão Mista tira Coaf do ministério de Moro

Por 14 votos a 11, o governo foi derrotado na Comissão Mista que analisa a Medida Provisória 870, no destaque que devolvia o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) ao Ministério da Economia, onde estava desde que foi criado, em 1998.

Moro o levou para o Ministério da Justiça, transformando-o num braço de sua capacidade de espionar a vida dos brasileiros, inclusive na sua vida financeira.

Era mais fácil o governo ter vencido na comissão que no plenário, onde será votada definitivamente até o dia 3 próximo.

Jair Bolsonaro deu declarações pessoais a favor da permanência do Coaf com Moro e até a recriação de ministérios entrou na roda.

Agora será votada a retirada da demarcação de terras indígenas dos ruralistas do Ministério da Agricultura e da Funai das mãos de Damares Alves.

PS. O governo perdeu também neste destaque, desta vez por 15 a 9.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

15 respostas

  1. Na situação atual do país quem deveria ficar com o Coaf ? . Moro ou guedes ? . Se ficar o bicho pega , se correr o bicho come . As informações ali contidas é um maná de pressão para quem as tem . Neste instante para Guedes é fundamental , vai conseguir alterar muitos votos que hoje é contra a sua ” previdência ” . O objetivo do Moro era outro .

  2. ALO Plenário Urgente : Moro vai vazar dados do COAF sobre vocês. Todos ficarão nas mãos dele. Avisem a oposição

  3. ALÔ MAIA – Urgente: Se não me engano o decreto sobre armas na questão dos adolescentes fere de morte o Estatuto da Criança e do Adolescente. ALÔ PT entre com uma ação própria no STF com essa alegação.

  4. Esta é a notícia internacional mais importante do momento – Donald Trump notifica ao Congresso dos Estados Unidos que designa o
    Brasil como aliado preferencial daquele país, fora da Otan. Para isso,Trump usou uma lei de 1961 sobre assistência a países estrangeiros, supostamente para incrementar uma cooperação na área militar.

    O que isso significa? Como a Otan é uma organização militar, significa aliança militar. Aliança – este foi o termo oficialmente usado por Trump. Aliança militar. Isto não é pouca coisa. E Trump está não apenas expressando um desejo, mas levando ao Congresso a comunicação de que já está selada uma aliança militar com o Brasil que, para ser incrementada, certamente deverá implicar em treinamento e material militar a ser trazido ao país.

    Para onde? Para quê? Com que fim? Será que o corte gigante de verba do governo brasileiro para a área militar tem a ver com esta notícia? Quando foi selada esta aliança militar, e com quem? O que diabos foi que o apocalíptico Araújo andou assinando por aí? O que o Brasil vai ganhar com isso?

    O único país a que até agora teve esta magnífica distinção foi o Afeganistão. Será que vamos nos transformar em um novo Afeganistão? Será que tudo isso tem a ver com o fato de que o atual embaixador dos Estados Unidos no Brasil é Michael McKinley, que veio para Brasília direto do Afeganistão, onde foi embaixador dos EUA entre 2014 e 2016?

    Ao reconhecer a validade oficial da nova aliança militar, o assessor John Bolton disse que ela se faria válida já contra a Venezuela, o Irã e o China.

    Parece que Bolsonaro andou assumindo compromissos geopolíticos de mega proporções, sem o conhecimento de ninguém no Brasil, e sem dar bolas para o Congresso Nacional.

    Os militares brasileiros que se preparem, porque poderão estar à beira de participarem forçosamente de uma guerra de conquista de um país vizinho ao nosso, além de outras aventuras, sem que tenham tido a oportunidade sequer de discutir o assunto, por conta de uma aliança que já foi consagrada sem que nenhum cidadão brasileiro soubesse, seja militar ou não.

    1. O brasil (minúsculo) virando bucha de canhão para uma invasão americana à Venezuela. A classe média [pobres de direita] enviando seus filhos para morrer pelo petróleo de Trump.

    2. O G1 ( eles fazem de conta que brigam,mas o jogo é outro) o mostra como um fato “quase” sem importância .Só permitiría “benefícios” que hoje o Brasil não tem.
      Balela,enganação,safadeza.O império nunca faz acordos que não lhe sejam altamente benéficos.
      Isto é só uma confirmação do discurso do chefe da marinha do miliciasno no seu dia de posse (jan2019) a respeito do ALINHAMENTO com os “antigos parceiros” decidida por eles ,os fardados entreguistas sem consultar ninguém nem ser autorizados por ninguém.
      E passou batido até pra mídia progressista ,disto agora quase ninguém falará.
      E assim, já não estão os anéis nos dedos para entregar (os perdemos todos),as próximas entregas serão os dedos ,o corpo, a vida numa eventual guerra na Venezuela ou qualquer outro país do interesse dos rapinheiros american boys.
      Pátria amada Brazzzzzzzil!!!!!!

      1. Parece que tiramos a sorte grande na loteria do Inferno! Porque é que estes desvairados não escolheram outro país para ser seu aliado preferencial? A Argentina, a Colômbia? Estamos mesmo bem arranjados!

  5. Um cara que como juiz cometeu todo tipo de abuso como será confiável agora que é um agente político? Daí não ter nenhuma base de apoio a não ser dos seus cúmplices.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *